21/07/2019 às 09h00min - Atualizada em 21/07/2019 às 09h00min

Confrarie

ÉRIKA MESQUITA
Historicamente, as confrarias surgiram na Europa durante a Idade Média e tinham como objetivo o culto a santos da Igreja Católica. Daí o significado de uma “reunião de frades”, de irmãos. No dicionário Michaelis encontra-se que a palavra vem do francês “confrarie”, sendo definida como “associação com fins religiosos; conjunto de pessoas que exercem a mesma profissão ou têm o mesmo modo de vida; sociedade, irmandade”.

E o que isso tem a ver com vinho? Muita coisa, pois as confrarias montadas em torno do vinho e da boa mesa são uma ótima oportunidade para encontrar amigos e viver agradáveis momentos.

A primeira confraria que se que estabeleceu no Brasil com critérios bem definidos foi a Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho (Sbav), em 1980, na cidade de São Paulo. Naquele momento, não era fácil reunir vinhos estrangeiros porque as importações eram limitadas, o vinho nacional nem de longe tinha a qualidade de hoje, então o pioneirismo da SBAV é importante para a história do vinho no Brasil.

Hoje há centenas, talvez milhares, de confrarias espalhadas pelo país, algumas mais organizadas com estatutos registrados em cartório, registro como pessoa jurídica, mas também há inúmeras outras informalmente criadas e que também são muito importantes.

E não é difícil montar uma confraria. O primeiro requisito é que se unam nesse grupo pessoas que tenham afinidade entre si e tenham curiosidade pelo mundo do vinho, afinal de contas uma confraria não se estabelece apenas com o propósito de beber, mas também de conhecer o que se está bebendo, porque é fundamental que os confrades e confreiras evoluam para escolherem vinhos melhores.

Reuni aqui algumas dicas que podem ser úteis se você deseja criar uma confraria com os amigos: reúna um grupo pequeno de início e estabeleça critérios para a entrada de novos membros; defina um dia do mês ou da semana, bem como o local em que as reuniões serão realizadas; eleja a cada encontro um organizador, que poderá sugerir o limite de preços e um tema, como por exemplo, “vinhos com a uva Tannat”. No dia marcado, cada confrade pode levar seu vinho ou as compras podem ser feitas antecipadamente pelo organizador do encontro em nome da confraria.

É importante que as degustações sejam feitas às cegas, sem que os confrades saibam o que estão bebendo. A surpresa na revelação dos rótulos ao final é sempre muito interessante.
 
PARA MONTAR UMA CONFRARIA
  1. Reúna um grupo pequeno de início e estabeleça critérios para a entrada de novos membros
  2. Defina um dia do mês ou da semana, bem como o local em que as reuniões serão realizadas
  3. Eleja a cada encontro um organizador, que poderá sugerir o limite de preços e um tema. No dia marcado, cada confrade pode levar seu vinho ou as compras podem ser feitas antecipadamente pelo organizador do encontro em nome da confraria
 *Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »