22/02/2022 às 08h00min - Atualizada em 22/02/2022 às 08h00min

HQs e música

CHICO DE ASSIS
As linguagens artísticas se cruzam, se enamoram e se misturam, e nessa relação se reelaboram, se rebelam e crescem, se reinventam e se matam, e renascem. Muito já se falou sobre a interconexão das HQs com a literatura e com o cinema, muito porque os esquemas intrínsecos dessas formas de expressão podem se comparar de alguma forma. Mas e se falarmos de quadrinhos e música, uma linguagem sonora e outra completamente visual? É possível uma relação entre essas duas?

Em alguns momentos o namoro entre Quadrinhos e Música não é somente possível, mas inevitável. O cartunista Angeli tem todo um universo que nos anos 80 faz parte da cena musical. Personagens como o Bob Cuspe, por exemplo, surgem dos esgotos do movimento punk que teve sua maior expressão nas músicas de bandas como Sex Pistols. Robert Crumb, o principal expoente da cena dos quadrinhos independentes americanos, é um grande amante da música folk.  Grande colecionador de discos antigos e autor do álbum “Blues”, uma homenagem às raízes da música dos USA. Os anos noventa em Seattle são muito bem retratados em “Ódio” do Peter Bage. E mais um milhão de referências possíveis. O tema da cena musical e os quadrinhos se comunicam sempre e muito. Marcatti concebeu a capa de um disco do Ratos do porão, mas além disso fez HQs com os membros da banda. Ou seja, a relação entre quadrinistas e bandas de Rock foi muito intensa, porque participavam de uma mesma cena. De um mesmo ideal. Underground éramos nós todos.

Mas é possível falar de uma relação intrínseca entre HQs e Música? Vamos então nos debruçar sobre os “tubarões voadores”. Essa é uma experiência que realmente consegue ligar música e quadrinhos. Luiz Gê sempre buscou trabalhar seus quadrinhos conectando outras linguagens e quando fez isso com Arrigo Barnabé chegou em um ápice bastante doido. “Tubarões voadores” é possivelmente um momento onde música e quadrinhos se enamoraram, transaram e reproduziram de uma forma não vista antes.
Quem se interessar muito pelo tema quadrinhos e música, e gostar do trabalho do Luís Gê pode encontrar à venda o álbum “Musica e Quadrinhos” no site
https://www.mmarteproducoes.com/ onde fica demonstrado a interrelação quadrinhos e música. 
 

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
 
Leia Também »
Comentários »