15/01/2020 às 08h15min - Atualizada em 15/01/2020 às 08h15min

Frozen 2

Kelson Venâncio
“As canções são muito bonitas, com ótimas melodias e letras fortes. Porém, nenhuma das músicas acaba sendo tão marcante como a famosa "Let It Go" que se tornou um verdadeiro "chiclete" na época do primeiro filme.”
 
Quem acompanha meu trabalho sabe que apesar de todo alvoroço em torno do primeiro filme, eu particularmente não achei a animação original "a última bolacha do pacote", como muitos superestimavam na época. Mas, mesmo com o pé atrás antes de assistir essa continuação, agora sou obrigado a dizer que "queimei a língua". Frozen 2 é excelente!

De volta à infância de Elsa e Anna, as duas garotas descobrem uma história do pai, quando ainda era príncipe de Arendelle. Ele conta às meninas a história de uma visita à floresta dos elementos, onde um acontecimento inesperado teria provocado a separação dos habitantes da cidade com os quatro elementos fundamentais: ar, fogo, terra e água. Esta revelação ajudará Elsa a compreender a origem de seus poderes.

A princípio essa premissa não me pareceu muito interessante, mas a partir do momento em que os personagens principais entraram em uma floresta misteriosa para esta jornada, minha concepção mudou bastante. A trama cresce muito e se torna cada vez mais envolvente, com muitas surpresas e mensagens emocionantes. Visualmente falando, o filme está muito bem feito e nos termos técnicos bem melhorados em relação ao primeiro, o que é bastante óbvio já que de lá pra cá se passaram seis anos.

A trilha sonora, um dos carros chefes das produções da Disney, também é muito boa como se esperava. As canções são muito bonitas, com ótimas melodias e letras fortes. Porém, nenhuma das músicas acaba sendo tão marcante como a famosa "Let It Go" que se tornou um verdadeiro "chiclete" na época do primeiro filme. E até mesmo o Olaf, que na animação original deveria ter sido o alívio cômico, mas, que eu, particularmente, não achei graça nenhuma na época, agora está muito melhor. Dei boas risadas com o boneco de neve desta vez.

E por fim, como aconteceu em 2013, o que mais gostei nesta continuação foi do desfecho da trama. Na época, o amor verdadeiro era o das duas irmãs, o que fugiu do trivial e me agradou bastante. Agora, os destinos das duas personagens principais foram muito bem escolhidos, também fugindo do óbvio e até surpreendendo muitos fãs.
 
Nota 9






*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.













 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »