01/12/2019 às 10h00min - Atualizada em 01/12/2019 às 10h00min

Doce Dezembro

ALICE GUSSONI
Foto: Marcel Gussoni

Estava caminhando por entre os checklists do meu ano. Tentando cumprir os prazos. Existiu um sincero esforço para encaixar na agenda algumas pequenas viagens, horário para exercícios físicos, meditação. Percorri o caminho das metas, sem nunca perder a esperança.

Mas de repente… atônita e contendo um pequeno ataque de choque, me dei conta que chegou dezembro, sem dizer sequer uma palavra. Veio silencioso, sem pré-aviso. Na verdade, sem ser nem mesmo convidado. Inocência a minha achar que o ano estava longe de acabar. Que aquelas listas seriam cumpridas, os quilos perdidos.

Tão otimista e ingênua como Alice no País das Maravilhas. Quando pequena, sempre ouvi os mais velhos dizendo “Como o ano passou rápido!”. E na minha pequena cabeça aquilo era uma frase que os adultos usavam para preencher os desconfortáveis silêncios. “Como está calor!”, “Essa chuva não chega nunca!”. Agora me pego em estado de choque, sem conseguir me resignar que o 2019 está no fim.

Em pensar que quando era criança o ano todo era praticamente uma contagem regressiva para o Natal. Hoje sinto alegria misturada à culpa por não ter batido minhas metas. Humanos com suas humanices.

Dezembro é um como muitos domingos. Aquela sensação que o fim de semana passou rápido demais e você já tem que estar pronta para a segunda-feira. Para 2020. Um ano cabalístico. Dezembro também é o mês onde geralmente se amplia o sentimento de gratidão e generosidade.

Todos fazem ou participam de campanhas de doações. Os corações se engrandecem, se sensibilizam. Parece um pouco fim de novela. Alguns nascem, outros vão para cadeia.

Também é o mês do 13°. E é tempo de restabelecer novas metas que talvez permanecerão intactas, ou serão recicladas por metas mais realistas em 2021. O ano do futuro. Porque, veja bem, depois do carnaval, 2021 vai chegar muito rápido. Tudo isso por causa do magnânimo Tempo, e sua amante, a Correria. Um casal parasita que entra nos seus pensamentos e conduzem toda sua existência. Nos emburrece um pouco, na minha opinião. Faz com que nossos valores sejam levemente distorcidos.

Se você precisasse, não conseguiria comprar Tempo. Nem fabricar algumas horas artesanais em casa. Sempre falta Tempo. Nunca há Tempo suficiente.  Por isso, na presença dele, tudo se torna tão precioso. Como estar rodeada de pessoas especiais, comendo boas fatias de afeto, dando bons goles de alegria. Também por isso, Natal vai ser sempre aquele ninho onde você se permite gastar boas horas só vivendo sem marcar nos ponteiros.

Esses dias, meu filho Theo, com uma cara muito perspicaz e me olhando com o canto dos olhos me disse:

- Mãe, às vezes eu desconfio que são as mães que dão os presentes de Natal, não realmente o Papai Noel.

Não consegui responder de imediato. Só consegui pensar: “Meu Deus! Já chegou a hora de falar sobre isso?”. Como foi que ele simplesmente cresceu, assim, em baixo do meu nariz?    Mas dezembro é como uma mãe acolhedora. Traz consigo cheiro de infância. Panetone, festas, presentes, família. Pra mim, traz também aquela gostosa sensação de que daqui a pouco vou abrir um caderno novo em folha, todo em branco, com aquele cheiro de nunca usado.

É hora de renovar-se por dentro. Reavaliar sua rota, e, quem sabe, ter coragem para tirar da gaveta aquele projeto adormecido. Sentir correndo nas veias que viver vale cada segundo. A receita de hoje é para começar o espetáculo de belezas gastronômicas natalícias. Uma sobremesa que parece só enfeite, mas é também deliciosa. Existe um vídeo explicativo bem fácil para essa receita, busque “Sabor Sonoro, uma bela sobremesa para festas”.
 
Naked cake de Pandoro e frutas glaçadas
 
Calda para glaçar frutas e castanhas
 
Ingredientes
- ½ limão (suco)
- 1 clara de ovo
- 1 xícara de açúcar de confeiteiro
- Uvas, damascos, castanhas, peras, carambolas 
- Bolinhas prateadas comestíveis para polvilhar por cima
 
Preparo
Bata tudo no liquidificador. Mergulhe as frutas e castanhas até a metade na calda. Distribua em um prato e polvilhe as bolinhas prateadas.
 
Naked cake de Pandoro
 
Ingredientes
- 1 Pandoro
- 1 geleia de sua preferência
- Frutas (usei morangos)
- Açúcar de confeiteiro
 
Preparo
Corte o Pandoro em fatias horizontais. Monte camadas passando geleia e sobrepondo com frutas. Cubra com outra camada. Ao final, coloque um pouco de geleia para colar alguns morangos inteiros e polvilhe açúcar de confeiteiro para finalizar.

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.









 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »