18/09/2019 às 08h30min - Atualizada em 18/09/2019 às 08h30min

'Hellboy'

KELSON VENÂNCIO
Foto: Divulgação

Depois de termos dois filmes relativamente bons, em 2004 e 2008, baseados neste conhecido personagem dos quadrinhos, finalmente depois de 11 anos de espera uma nova versão chegou às telonas. Mas o que era para ser comemorado pelos fãs, infelizmente se transformou numa grande frustração. “Hellboy”, o reboot de 2019 é muito ruim.

Nimue (Milla Jovovich), a Rainha de Sangue, foi uma bruxa tão poderosa que nenhum mortal jamais conseguiu derrotá-la. Durante uma batalha, seu corpo foi dividido em seis partes e espalhado pelos lugares mais distantes da Terra. Séculos depois, um massacre num mosteiro próximo à Londres levanta a suspeita de que alguém pode estar querendo ressuscitá-la e Hellboy (David Harbour) recebe a missão de conter essa terrível ameaça.

Sim, esta é a péssima premissa deste novo longa dirigido por Neil Marshall, que de bom para mim só fez “Constantine” e “Abismo do Medo” (o primeiro). O roteiro é tão fraco e inconsistente que chega a ser ridículo. A história de uma bruxa despedaça pelo rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda que quer ressuscitar e dominar o mundo, exterminando os humanos e liberando os monstros para ocuparem a terra. Oi????

E para impedi-la, depois que um porco (cópia do Beebop das Tartarugas Ninja) vai juntando pernas, braços e a cabeça da tal bruxa pra montar um quebra-cabeças de carne, surge o destemido demônio do bem. Gente, sinceramente é difícil até analisar esta historinha besta.

O filme tem no elenco quatro bons atores. Daniel Dae Kim que interpretou o Jim em “Lost”, o veterano Ian McShane de “American Gods”, Milla Jovovich de “Resident Evil” e David Harbour de “Stranger Things” interpretando o Hellboy. Mas por incrível que pareça, nenhum deles faz um bom trabalho neste longa. Pelo contrário, atuam sem vontade. Parece que fizeram aquilo apenas para ganhar o cachê. Se bem que se fosse eu, não teria outro motivo se não o dinheiro para participar de uma bomba dessa.

Por sorte, temos uma excelente maquiagem e bons efeitos especiais em algumas cenas. E apenas isso salva no filme. Mas que fique bem claro que estes bons efeitos estão apenas em algumas partes do longa. Porque tem outras que são horríveis!

Nota 3

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »