09/08/2019 às 08h30min - Atualizada em 09/08/2019 às 08h30min

A vaca e a mandioca

CELSO MACHADO

Sabedoria é atemporal e também não está necessariamente associada à formação intelectual da pessoa. Tanto existem sábios de profundos conhecimentos educacionais, como outros poucos letrados mas de uma vivência inspiradora.

É o caso destas duas histórias de personagens totalmente diferentes nas suas culturas, mas que transmitem conceitualmente as mesmas lições e valores. Meu sogro, inúmeras vezes, me relatou que o pai dele, uma pessoa rude sem nenhum estudo, trabalhava duro e mesmo assim sempre tinha disposição para plantar mandioca no quintal da sua casa. E também nos terrenos vizinhos vagos.
Depois das suas atividades diárias cuidava dos mandiocais que, graças a sua dedicação estavam sempre bonitas e oferecendo belos frutos. Ele contava que seu pai nunca negou mandioca de graça a quem lhe pedia. Só que tinha um porém, junto com as mandiocas ele entregava algumas ramas e orientava que a pessoa como plantar para ter sua própria produção e nunca mais ter que pedir.

A outra história já é de um dos mais famosos intelectuais de nosso país, filosofo, educador, escritor, uma figura de notório saber, o filósofo Mário Sérgio Cortella que tenho a honra tê-lo como amigo.

Conta que costumava dizer aos filhos quando crianças: “Quando completarem 12 anos contarei o segredo da vida a vocês.” Quando o filho mais velho alcançou essa idade foi logo procurando saber o segredo da vida. Cortella lhe disse: “contarei mas você não poderá revelar aos seus irmãos porque é segredo: vaca não dá leite. Você tem de tirar. Precisa acordar as 4h da manhã, ir ao pasto, entrar no curral cheio de fezes, amarrar rabo e pernas da vaca, sentar no banquinho e fazer o movimento certo. Este é o segredo da vida, ou você tira ou não tem leite”.

O interessante é que duas histórias de pessoas tão distintas em termos de cultura transmitem a mesma mensagem: as conquistas resultam do esforço. Da luta, dedicação e persistência. E só dá valor ao que tem, quem batalha para obter.

A missão mais valiosa do pai é dar ao filho ramas de mandioca e transmitir o trabalho que é tirar leite da vaca. Fazer por eles o que eles é que tem que fazer, ao invés de ajudar, prejudica. Não é fácil porque a nossa vontade é querer que não passem por dificuldades pelas quais passamos, mas é necessário para o bem deles. Isso é que educa e capacita.

Excesso de adubo ou de carinho, abafa e sufoca. Geralmente não dá bons frutos.

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »