07/01/2019 às 09h19min - Atualizada em 07/01/2019 às 09h19min

A conversa sempre chega à cozinha

ÉRIKA MESQUITA
Sempre com a chegada de um ano novo vem a mágica desejosa de vários planos e metas para os doze meses vindouros. Nesse ano, desde às 0 hora do dia 31, resolvi ter a humildade de uma mente em branco, não desejei nada, apenas seguir o fluxo sem muitas expectativas.

Fixei meus pensamentos na minha essência, nas coisas que eu gosto, na cozinha da qual fiquei um pouco distante, nos amigos queridos e cheios de afinidades que pouco encontrei, nos ingredientes que comprei para tantas receitas e não foram executadas por “falta de tempo”, nos abraços apertados que ainda quero dar e receber, na fé constante que sinto perto da natureza.

Com esse pensamento, os pés descalços, que piso a grama nesse momento e o barulho gostoso dos pássaros, resolvi montar uma mesa singela e juntar alguns ingredientes. Esses ingredientes representam, mesmo que instintivamente, um momento de paz, de reflexão, porque coloco tanto amor e carinho nessa seleção que passa a ser uma terapia, um momento que não necessariamente vai resultar em um prato. É o ritual que vale nesse momento.

Cada dia mais compreendo que cozinhar, montar uma mesa linda, exigem realmente essência, precisa de atenção, de um dom que não sei explicar, algo natural. Se você colocar um instrumento musical na minha mão, não sairá uma nota sequer, mas com uma pitada de sal, pimenta, canela ou alecrim na carne ou na batata faria um banquete, ou pelo menos algo bem gostoso. Velas, alguns copos diferentes, uns guardanapos, também podem virar arte com um pouco de criatividade e emoção.

Descobrir novos sabores, colocar canela no molho da lasanha em vez de colocar na maçã pode revelar um cozinheiro de essência, mas se não for assim pelo menos mostrará alguém com vontade de fazer diferente, fazer melhor, fazer com muito carinho pensando nos efeitos daquela criação.

Ousar, seguir seus instintos, isso faz pessoas simples entenderem melhor os seus dons e com certeza cada um tem o seu. Desejo que nesse 2019 a cozinha seja mais frequentada que a sala de televisão, muito mais que os consultórios médicos, porque certamente significará um ano com mais harmonia, mais companhias amorosas e agradáveis e, se der, em almoços e jantares regados pela alegria. Que o seu 2019 seja assim também!

INGREDIENTES
500 g de patinho moído
½ xícara (chá) de arroz (cru)
½ cebola
2 tomates italianos
caldo de ½ limão
3 ramos de hortelã
2 colheres (chá) de pimenta síria
1 ½ colher (chá) de sal
pimenta-do-reino moída na hora a gosto

MODO DE PREPARO
1. Descasque e pique fino a cebola. Lave, corte os tomates ao meio e descarte as sementes. Corte cada metade em cubos pequenos. Lave e pique fino as folhas de hortelã.
2. Numa tigela média, coloque todos os ingredientes do recheio, tempere com pimenta-do-reino moída na hora e misture bem com as mãos. Reserve.

PARA A MONTAGEM
INGREDIENTES

2 maços de couve
3 xícaras (chá) de caldo de legumes caseiro (ou água)
1 colher (chá) de sal
 
MODO DE PREPARO
1. Lave as folhas de couve sob água corrente. Leve uma frigideira de borda alta com água ao fogo para ferver. Prepare uma tigela grande com água e gelo.
2. Para branquear as folhas: assim que a água ferver, adicione 1 colher (chá) de sal e mergulhe 3 folhas de couve; deixe cozinhar por 30 segundos - assim as folhas ficam maleáveis para enrolar os charutinhos; com uma pinça, transfira as folhas para a tigela com água gelada para cessar o cozimento e, em seguida, para um escorredor. Repita o processo com todas as folhas.
3. Para enrolar os charutinhos: disponha uma folha de couve bem aberta na tábua; corte a folha ao meio, bem rente ao talo, no sentido do comprimento e descarte o talo - cada metade se transforma em um charutinho. Coloque cerca de 1 colher (sopa) do recheio, deixando cerca de 2 cm da base da folha livre para enrolar; enrole a ponta da folha sobre o recheio, dobre as laterais para dentro e continue enrolando até o fim. Repita com as outras folhas.
4. Coloque os charutinhos, bem junto um do outro, numa panela média, até cobrir todo o fundo. Faça outra camada sobre a primeira - quanto mais apertadinhos ficarem, melhor, eles não abrem na hora de cozinhar.
5. Regue com o caldo de legumes (ou água) e leve ao fogo médio. Quando começar a ferver, diminua o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos, com a tampa entreaberta. Desligue o fogo e sirva a seguir.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »