03/12/2018 às 10h18min - Atualizada em 03/12/2018 às 10h18min

Comendo com os olhos

DENISE AFONSO E ÉRIKA MESQUITA
Hoje vamos falar de um livro lançado recentemente aqui em Uberlândia, que tem uma abordagem inédita. “Bariátrica, Cozinhando com sabor”, de Maria Cecília Candelore. A autora nasceu no meio de duas famílias de origem italiana, cuja maioria das mulheres eram exímias cozinheiras. Desde sua infância ela foi marcada pelo aroma e pela arte de elaborar um prato bem feito.

“Lembro-me bem das nossas festas natalinas, como de hábito em famílias numerosas, como era a nossa, a festa era feita por todos. Cada casa levava uma iguaria. Cada um queria se superar na elaboração de um prato. Acho uma arte, uma alquimia ir agregando os ingredientes e vendo surgir aos poucos, o aroma, as cores”, disse a autora.

O livro reúne algumas informações que você precisa saber sobre cozinha pré e pós cirurgia bariátrica. Dicas, informações e receitas de uma pessoa que, além de ter passado por essa experiência, ama a culinária e não fez da cirurgia um sofrimento, como muitos pensam ser.

“A ideia de publicar esse livro veio da escassez do assunto no meio literário, e para mostrar aos pacientes que é possível e viável passar por esse período de ‘martírio’ da dieta sem sofrimento. Ao contrário! Com muito prazer ao degustar pratos de apresentação maravilhosa e com paladar delicioso”, disse Dr. Luiz Augusto Mattar, cirurgião responsável pela cirurgia da autora.

Observamos o quanto é importante não só na fase de uma dieta restrita mas para nosso cotidiano, uma boa dose de criatividade na apresentação dos pratos que, quando harmoniosa, desperta interesse de nos alimentarmos com mais qualidade e prazer.

Primeiro, comemos com os olhos. Em seguida vem o olfato e depois, o paladar. Às vezes, não se come um alimento gostoso porque ele foi colocado de qualquer jeito em uma louça. Você olha e não tem vontade de comer, acha que aquilo não é bom, mas pode ser maravilhoso. Portanto a apresentação do alimento é fundamental.

Bom apetite!
“Pode ser uma refeição simples, mas bem apresentada, ela tem um outro sabor”

Receita:
Receita e imagem extraídos do livro “Bariátrica, cozinhando com sabor”
ESCONDIDINHO DE ABÓBORA CABOTIÁ
Tempo de Preparo- 40 min.
Rendimento-  6
 
Quando liberada alimentação sólida, geralmente 3 a 4 semanas após a cirurgia, vamos comer legumes bem cozidos e carne bovina moída.
Como sempre digo, comemos também com os olhos e nessa receita inovei a maneira de servir sem mudar nenhum ingrediente. Toda a família também comeu e adorou.

Ingredientes:
1 prato fundo de cabotiá picado
1 xícara de café de leite desnatado
1 colher de sopa de azeite
300 g de carne moída (patinho)
2 dentes de alho
1 cebola pequena picadinha
1 pitada de sal
1 ramo de tomilho fresco
2 colheres de sopa de tomate picado sem pele e sem sementes
1 colher de sopa de pimentão picado
1 xícara de café de caldo de feijão
Salsinha á gosto
 
Modo de fazer:
Cozinhe em água e uma pitada de sal o cabotiá até derreter. Passe por um processador, liquidificador ou amasse bem com um garfo; acrescente o leite e o azeite fazendo um purê. Misture bem e reserve.

Leve uma panela ao fogo mínimo, acrescente a carne moída, vá mexendo desfazendo os grumos. Vai criar água e isso ajuda a amaciar e fazer com que a carne tome cor. Coloque o tomilho, ajuste o sal, os dentes de alho amassados e a cebola picada. Quando começar a dourar, junte os tomates e o pimentão com a salsinha. Sempre com o fogo no mínimo, vá mexendo por mais uns minutos e desligue para que não fique ressecada.

Com um aro culinário, vá armando o escondidinho; uma camada de purê, uma de carne e outra camada de purê. Enfeite com mais um pouquinho de carne e salsinha.

Sirva com o caldo de feijão coado em volta.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »