25/07/2022 às 18h05min - Atualizada em 25/07/2022 às 18h05min

Zema e Kalil são oficializados para a disputa ao Governo de Minas

Convenções foram realizadas neste fim de semana, em Belo Horizonte

REDAÇÃO I DIÁRIO DE UBERLÂNDIA
Zema será candidato à reeleição ainda sem definição do vice I Foto: DIVULGAÇÃO/NOVO
Os dois principais nomes na disputa pelo Governo de Minas nas eleições deste ano tiveram os nomes oficializados nas convenções partidárias que ocorreram neste sábado (23) e domingo (24). De um lado, Romeu Zema (NOVO), que tenta a reeleição. Do outro está Alexandre Kalil (PSD), que esteve à frente da Prefeitura de Belo Horizonte e agora almeja o cargo de governador do estado.
 
Além da candidatura de Zema ao governo de Minas, o partido NOVO também oficializou Marcelo Aro (PP), que concorrerá a uma vaga no Senado. A convenção aconteceu na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em Belo Horizonte, no sábado (23). O partido, no entanto, deixou em aberto a indicação ao cargo de vice na chapa do atual governador. Dois nomes estão na lista para compor a vaga: o jornalista Eduardo Costa (Cidadania) e o advogado e professor Mateus Simões (Novo). A legenda mantém ainda diálogo com a federação partidária do Cidadania-PSDB para que o jornalista seja o candidato a vice na chapa. 
 
“São duas opções excelentes. Eu sempre tenho advogado que o NOVO precisa ter pessoas de outros partidos para deixar clara a nossa intenção de fazer alianças, federações no futuro. Pois política se faz com grupo mais amplo. Não adianta termos excelentes parlamentares, um grupo muito bom, muito bem-preparado, e não conseguir agregar. Sou totalmente favorável a essa agregação, sem renunciar aos valores do partido, que, na minha opinião, é o grande diferencial que o NOVO tem”, disse Romeu Zema.
 
Fazem parte da coligação em apoio à Zema os partidos: PP, PODE, AGIR, PATRI, AVNT, PMN, DC, SD e MDB. Em defesa da candidatura, o atual governador destacou conquistas durante os três anos e meio à frente do Estado. “Colocamos a folha salarial em dia. Os 853 prefeitos também não acreditavam e, hoje, sabem que podem contar com o Estado. Os 21 milhões de mineiros que frequentavam escolas que estavam desmoronando, onde a merenda era arroz com soja misturados, sem proteína, sem fruta. Foi esse resgate da credibilidade com muito trabalho, com seriedade, que é o grande legado”, afirmou.
 
PRINCIPAL CONCORRENTE
O principal candidato concorrente de Zema é o atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), que terá como vice o petista André Quintão, que atualmente é deputado estadual, além de Alexandre Silveira buscando reeleição ao Senado.
 
Além do PSD, a coligação “Juntos pelo povo de Minas” será composta pela Federação Brasil da Esperança, composta por PT, PCdoB, PV, PSB e outros partidos que podem optar pelo apoio até o prazo final legal das convenções.



Segundo Alexandre Kalil, essa união será importante para que Minas e o Brasil voltem o olhar para a população que mais precisa da atenção do Estado. “Governar é tomar conta do povo que te elege. Hoje reinam, mas não governam; reinam, mas não tomam conta do povo que os elegem. Nem lá em Brasília, nem aqui em Minas. Nós vamos levar uma mensagem fácil, vamos mostrar o que foi feito em Belo Horizonte e o que foi feito no Estado de Minas Gerais”, destacou.
 
DEMAIS CANDIDATAS
Além de Zema e Kalil, outras duas candidaturas estão confirmadas para o Governo de Minas. Compõem a disputa: a jornalista Renata Regina, do Partido Comunista do Brasil (PCB), e a professora Vanessa Portugal (PSTU).


• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

VEJA TAMBÉM:
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »