15/08/2020 às 09h50min - Atualizada em 15/08/2020 às 09h50min

Coordenador da Rede de Urgência e Emergência fala sobre obstáculos para abertura de novos leitos em Uberlândia

Clauber Lourenço disse à reportagem que a Prefeitura dará as devidas explicações ao Ministério Público por meio do secretário de Saúde

DHIEGO BORGES
MP também investiga possível omissão de socorro a paciente que faleceu | Foto: Valter de Paula/Secom/PMU
Dois dias após a 17ª Promotoria de Justiça de Uberlândia abrir procedimentos para investigar possíveis crimes praticados quanto à falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na rede pública na cidade, a Prefeitura se manifestou sobre a situação do Município. 

Na tarde desta sexta-feira (14), o coordenador da Rede de Urgência e Emergência do Município, Clauber Lourenço, conversou com a reportagem do Diário e disse que a Prefeitura dará as devidas explicações ao Ministério Público por meio do secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues. 

Nesta semana, o Diário noticiou a respeito de duas investigações movidas contra a Prefeitura. Uma delas foi motivada por uma reportagem do Diário no início do mês, quando famílias denunciaram a dificuldade de se conseguir transferência na rede municipal. Um dos pacientes, que estava em tratamento contra um câncer, acabou falecendo à espera de um leito. 

Em entrevista ao Diário, nesta semana, o promotor Daniel Marotta Martinez disse que os dados publicados nos boletins pela Prefeitura não estavam correspondendo à realidade e que, portanto, havia necessidade de uma apuração para esclarecer sobre a veracidade das informações divulgadas nos docume
ntos. O MP também investiga possível omissão de socorro no caso do paciente que faleceu à espera de uma vaga. 

O Diário abordou o assunto com o coordenador da Rede de Urgência e Emergência do Município, que não detalhou informações sobre a investigação movida pelo MP. Clauber esclareceu que a divulgação dos dados do boletim epidemiológico são de responsabilidade do secretário de Saúde. 

A reportagem também questionou sobre a morte do paciente que aguardava pelo leito, mas o coordenador disse que não poderia repassar informações de pacientes, mas que o Município faz o acompanhamento de todos os casos.

SITUAÇÃO DO MUNICÍPIO

O coordenador disse que a Prefeitura tem procurado ampliar o número de leitos durante a pandemia. Além dos 20 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 e 30 para outras patologias no Hospital Municipal, Clauber disse que nesta semana foi iniciada a abertura de 16 novos leitos de UTI no hospital Santa Catarina, que serão abertos gradativamente de acordo com a necessidade. 

Por enquanto, cinco novos já estão funcionando com respiradores e toda a aparelhagem necessária na ala de enfermaria, que foi adaptada para receber os leitos de UTI. 

O coordenador justificou como obstáculo para abertura de novos leitos a dificuldade de contratação de mais profissionais na rede municipal para suprir a demanda. “Temos dificuldade principalmente para a contratação de médicos intensivistas e técnicos de enfermagem”, destacou.

De acordo com Clauber Lourenço, o Município também enfrenta outro problema: o alto índice de atestados de profissionais de saúde por conta de suspeita ou contágio por Covid-19. Segundo as informações repassadas, hoje a cidade tem um déficit de pelo menos 130 profissionais, mas já chegou a ter cerca de 200 afastados. 

Lourenço também esclareceu que o Município já está fazendo contratações emergenciais para suprir a demanda. Segundo ele, neste momento são necessários de 25 a 30 profissionais, principalmente médicos intensivistas e técnicos de enfermagem. 

Outra medida adotada pelo Município, segundo Clauber, foi aquisição temporária de um espaço voltado para instalação de leitos de enfermaria na Casa da Fraternidade Dr. Hansen. O coordenador disse que 28 leitos serão utilizados exclusivamente por pacientes com Covid-19 que precisam ficar em observação. Este número pode ser ampliado de acordo com a necessidade, podendo chegar a 80 leitos de enfermaria.

VEJA TAMBÉM:

Empresa promove feira agropecuária virtual em Uberlândia


Procuradoria pede novas explicações à Prefeitura sobre o Consultório de Rua
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »