17/11/2019 às 08h00min - Atualizada em 17/11/2019 às 08h00min

O aguardado retorno ao profissionalismo

Torcedores e ex-jogadores de Uberlândia comemoram criação de time para disputa de torneios nacionais

EDER SOARES
Uberlândia teve equipes campeãs nas décadas de 1960 e 70, época amadora do esporte, e partir de 2000, com títulos profissionais do Unitri | Foto: Divulgação

Fevereiro de 2020 marcará a volta de um esporte que em Uberlândia marcou épocas e que deixou imensas saudades nos fãs: o basquete, que estava fora da cidade desde 2015, quando o Unitri/Uberlândia fechou definitivamente o time profissional para nunca mais voltar. Na edição do dia 8 deste mês, o Diário de Uberlândia trouxe a notícia do retorno do esporte da bola laranja, que desta vez terá como gestor o tradicional Praia Clube. A novidade animou torcedores, membros da imprensa, ex-jogadores e treinadores, que esperam que Uberlândia volte logo à elite do basquetebol nacional.

O Praia Clube quer aproveitar a tradição de ser um revelador de jogadores, já que há anos conta com uma categoria de base forte e que disputa competições de basquete por todo o Brasil. O presidente do clube, Guto Braga, ainda não quis dar mais detalhes sobre como será a equipe profissional, que disputará o Campeonato Brasileiro, que é a liga de acesso para o Novo Basquete Brasil (NBB). A Liga Nacional de Basquete (LNB) ainda divulgará os moldes da competição, que tem previsão para começar em fevereiro e já conta com 11 clubes confirmados, entre eles o Praia. “Em breve faremos anúncio oficial.  Vamos fazer igual ao vôlei, tudo planejado para médio e longo prazo”, disse Braga.

A notícia do retorno do basquete profissional logo viralizou nas redes sociais. Torcedores, membros da imprensa e ex-jogadores receberam com muito otimismo a informação. “O basquete em Uberlândia faz muita falta, como sempre fez. Acho que esse projeto do basquete vindo com um clube grande e de tradição como é o Praia Clube tem tudo para se enraizar. Fiquei muito feliz com a notícia e estamos na torcida para que realmente dê certo”, disse Brasília, ex-ala/pivô do Unitri, que foi campeão brasileiro e sul-americano com o time.

O aposentado Inácio Costa sempre acreditou no retorno do basquete a Uberlândia. “Eu acompanho o basquete de Uberlândia, como torcedor, desde a década de 70, além de também ter visto os títulos do Unitri, que foi uma época maravilhosa. Tenho certeza que agora com o Praia será um time para nunca mais fechar. Estou realmente muito ansioso para ver este time jogar”, afirmou o torcedor.

O narrador e comandante da equipe esportiva da Rádio Vitoriosa, Wander Tomás, vivenciou a época de ouro do basquete uberlandense. “Extremamente positivo este retorno. Assim recebo a informação da volta do basquete profissional em Uberlândia. Sobretudo por ser um projeto de um clube tão sólido como o Praia. Mesmo sendo uma divisão inferior, acredito que a médio prazo, o basquete de Uberlândia voltará ao NBB e a reviver dias de glórias, a exemplo do que aconteceu na gestão da Unitri”, afirmou.

FUTEL
Que a cidade de Uberlândia tem tradição no basquete todo mundo sabe, especialmente em função dos títulos conquistados pelo Unitri, como o Brasileiro de 2004 e o Sul-Americano de 2005. Mas a história do esporte da bola laranja no Triângulo Mineiro começou ainda na década de 1940, com a extinta Associação Atlética Uberlândia.

Mais tarde, entre as décadas de 1960 e 1970, foi escrita outra página de sucesso com um grupo de jogadores que vestiram as camisas do Uberlândia Tênis Clube (UTC) e do Praia Clube. Foram inúmeros títulos do Campeonato Mineiro e Jogos Estudantis, além de torneios e amistosos por todo o Brasil.

Todos os anos, uma turma de amigos ex-basqueteiros se reúne para confraternizar e relembrar anos de glórias, quando o basquete ainda era amador na cidade, mas despertava muitas paixões. No último domingo (10), os amigos voltaram a se reunir, desta vez na casa de Lione Gargalhone. Edson Zanata, que atualmente é secretário geral da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel) e foi jogador de basquete, garante estar muito feliz com a volta do profissionalismo.

“Uberlândia respira basquete e aqui, depois do futebol, o esporte preferido sempre foi o basquete, que sempre contou com ginásios cheios. Com a condição que tem o Praia, tenho certeza que será sucesso em todo o Brasil. A Futel irá ajudar. Vamos sentar para definir, mas temos uma série de fatores para contribuir, como uma infraestrutura fabulosa do esporte, como a Arena Sabiazinho, que estará à disposição para o Praia jogar, além de outras coisas que vamos sentar para conversar e alinhar”, disse Zanatta, que atuou em sua época de atleta com jogadores como Cícero, Ricardo Bambu, Aloísio, Rubens, Branco, Tubal, Celio, Calil, Ataulfo, Roosevelt, Reny e Lione.

UNITRI
A última vez que Uberlândia contou com um time profissional de basquete foi no ano de 2015, com o Unitri/Uberlândia. Além de ser campeão brasileiro, em 2004, e sul-americano, em 2005, o time ainda conquistou 14 títulos do Campeonato Mineiro.

Nesta que é chamada por muitos como a “época de ouro” do basquete uberlandense, desfilaram pelo Ginásio Homero Santos, no UTC, e até mesmo pela Arena Sabiazinho, craques como os armadores Valtinho e Helinho, o ala Cambraia, o pivô Estevam, entre outros, sem nunca deixar de citar o técnico Hélio Rubens Garcia, um dos maiores e mais vitoriosos treinadores do basquetebol brasileiro, que comandou o Unitri nas principais conquistas.

“Uberlândia faz parte da minha história e fico muito feliz de saber deste retorno, pois a cidade tem tradição. Melhor ainda voltando em um clube como Praia Clube, é sensacional. Estou na torcida e à disposição para ajudar no que precisar”, disse Hélio Rubens, de 79 anos.

Garcia tem o título de cidadão uberlandense e uma de suas filhas reside em Uberlândia. Atualmente, o ex-treinador mora em Franca (SP) e está afastado do cargo de treinador, função que passou para o seu filho, Helinho, que foi jogador do Uberlândia e também da Seleção Brasileira.

“É uma grande notícia essa volta do basquete profissional em Uberlândia, não somente para a cidade, mas também para o baquete brasileiro, já que Uberlândia sempre foi uma referência de grandes equipes, de ginásios lotados. Eu joguei em Uberlândia tanto defendendo a cidade, como também contra, por outras equipes. Essa fusão de basquete com o Praia é fantástica, já que o Praia é um clube que tem estrutura e é formador de jogadores. Estou muito feliz”, disse Helinho.

EQUIPE CAMPEONATO BRASILEIRO 2020
Maringá-PR
Ponta Grossa-PR
São José dos Pinhais-PR
Campo Mourão-PR
Blackstar-SC
Joinville-SC
Brusque-SC
Blumenau-SC
Praia Clube-MG
Anápolis-GO
Cerrado-DF
Flamengo-RJ (a confirmar)
Pinheiros-SP (a confirmar)
Osasco-SP (a confirmar)
Liga Nordeste-BA (a confirmar)
Tatuí-SP (a confirmar)
 
TÍTULOS UNITRI/UBERLÂNDIA
Campeão Brasileiro – 2004
Vice-campeão Brasileiro -  2003/2005 e 2012
Campeão Sul-americano – 2005
Vice-campeão Sul-americano – 2004
Campeão Mineiro – 14 vezes (último em 2014)
Campeão Super Copa Brasil – 1998 e 1999
 
PRINCIPAIS TREINADORES
Hélio Rubens
Ary Vidal
Miguel Ângelo da Luz
Ênio Vecchi
Ratto
Cadum
Miguel Volcam
Carlos Romano
 
PRINCIPAIS JOGADORES
Valtinho
Cambraia
Estevam
Helinho
Marc Brown
Brasília
Robby Collum
Robert Day
Tony Harris

 










 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »