18/08/2019 às 08h00min - Atualizada em 18/08/2019 às 08h00min

16 uberlandenses partem para Lima

Associações locais em parceria com a Futel têm maior parte de competidores ; Praia Clube terá atletas na natação

EDER SOARES
Rodrigo Parreira representa o país no paratletismo | Foto: Divulgação

Encerrado o Pan-Americano de Lima, no Peru, agora é a vez do país receber a partir do dia 23 deste mês paratletas de todas as Américas para a disputa do Parapan. Os esportes paralímpicos vêm ganhando a cada ano maior visibilidade, despertando o interesse do público em geral e incentivando pessoas com diferentes tipos de deficiências a entrar no mundo do esporte, aumentando a autoestima e mostrando que não existem limites para quem quer ser um atleta.

A sexta edição do Parapan contará com a presença de 1.890 atletas, de 33 países, em 17 modalidades. O Brasil estará em Lima com 512 integrantes de 23 estados e do Distrito Federal. Somente Uberlândia estará em terras peruanas com 16 competidores. Dentre os convocados locais estão membros das equipes CDDU/Futel de halterofilismo, atletismo e bocha; Aparu/Futel, também no atletismo; Praia Clube na natação e Gustavo Carneiro no tênis em cadeira de rodas.

Os convocados do CDDU são Amanda Aparecida Santos de Sousa, Ângela Faria Teixeira, Elizete Ernestina de Araújo, Lara Aparecida Ferreira Sullivan de Lima, Luciano Bezerra Dantas, Mateus de Assis Silva e Rodrigo Rosa de Carvalho Marques, que serão acompanhados pelo treinador Weverton Lima dos Santos e pela auxiliar técnica Emilene Rosa Alves dos Santos. Já Matheus Rodrigues Carvalho, na bocha, será acompanhado do seu calheiro, Oscar Carvalho.

“Estamos com atletas com muita garra e preparados para trazer grandes resultados para o Brasil e para Uberlândia. É uma competição de alto nível, mas que o fator concentração faz toda a diferença, e por toda a preparação estamos muito confiantes”, disse Weverton, que é um dos treinadores da Seleção Brasileira.

Já a Aparu, no atletismo, parte para o Peru com Mauro Evaristo de Sousa, que competirá no arremesso de peso, e Rodrigo Parreira da Silva, que é um dos grandes nomes de Uberlândia na competição. Ele conquistou duas medalhas, uma de bronze e outra de prata, nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Parreira buscará medalhas nos 100m e 400m, além do salto em distância. “Minha meta é brigar por medalhas em todas as provas. Estou muito confiante, pois venho me preparando muito para este momento”, afirmou.

Também fazem parte da comissão do Comitê Paralímpico Brasileiro o chefe da missão, Alberto Martins da Costa; o fisioterapeuta Vander Fagundes e a classificadora Patrícia Silvestre de Freitas, todos de Uberlândia.
 
TÊNIS
No tênis em cadeira de rodas, Uberlândia será representada por Gustavo Carneiro Silva e o seu treinador Raphael Oliveira de Moraes. “Eu fiquei alguns meses parado em função de uma lesão, mas tenho como meta na disputa de simples chegar pelo menos a uma semifinal, o que já estaria ótimo. Na disputa de duplas acredito que temos grandes chances de voltar com medalha”, disse Gustavo Carneiro.
 
PRAIA NATAÇÃO
Sempre forte nas disputas de natação, o Praia Clube também mandará representantes para o Parapan de Lima. Os nadadores terão a companhia do técnico Alexandre Vieira, treinador do Praia e também da seleção. Vão para a disputa Laila Garcia, que competirá nos 50/100/400m livre, 50m borboleta, 100m peito e 200m medley; Gabriel Oliveira nos 100 costas, 200m medley e 50m borboleta; Guilherme Silva nos 50/100/400m livre, 100m peito e 200m medley, e ainda  Vanilton Filho na disputa dos 50/100/400m livre e 100m borboleta.

“Estou feliz em ser convocado para participar de mais um Parapan. Para os atletas, é importante ter o treinador acompanhando em uma competição deste nível. A expectativa é excelente e o índice para esta disputa foi diferente das edições anteriores. Para se ter uma ideia da dificuldade, os atletas que estarão na capital peruana tiveram que obter, no mínimo, o segundo índice das Américas em suas respectivas provas, ou seja, nossos nadadores estão no Top 2 do Continente. Sem dúvida alguma, será uma prévia muito forte das Paralimpíadas Tóquio 2020”, afirmou Alexandre.

Integrado ao grupo praiano em janeiro de 2019, Gabriel Melone de Oliveira está feliz com a oportunidade de poder participar de um evento esportivo dessa grandeza. Aos 20 anos, ele sabe o quanto a disputa será árdua e confia no trabalho desenvolvido sob supervisão do comandante Alexandre. “A expectativa é boa e estou focado nos meus objetivos. Será uma experiência incrível por ser meu primeiro Parapan Absoluto com a Seleção Brasileira. Darei o meu melhor para me aproximar de uma medalha dessa relevância. Estamos treinando com intensidade para termos êxito. Confiante para uma grande jornada”, disse.
 
RECORDE
O número de brasileiros convocados é o maior na história das participações brasileiras no Parapan, sendo 24% a mais de atletas em relação a última competição, ocorrida em Toronto no ano de 2015. De Minas Gerais, são 26 paratletas, o que dá ao estado a quarta maior delegação do país, atrás apenas de São Paulo (101), Rio de Janeiro (35) e Paraná (28).

Segundo a auxiliar técnica da equipe de halterofilismo, Emilene dos Santos, a expectativa para a disputa é bastante positiva. “Uberlândia tem um número significativo de vitórias importantes no halterofilismo, o que esperamos repetir no Parapan”, disse.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »