28/09/2017 às 17h48min - Atualizada em 28/09/2017 às 17h48min

Protagonistas vivem dilemas opostos

Após final, Cruzeirense Fábio se põe à disposição de Tite, enquanto Diego se vê questionado no Flamengo

FOLHAPRESS | BELO HORIZONTE
Goleiro Fábio comemora defensa de pênalti batido por flamenguista Diego / Foto: Cristiane Mattos/Cruzeiro

 

Fábio foi decisivo mais uma vez. Depois de defender a cobrança de Luan na semifinal contra o Grêmio, o goleiro do Cruzeiro cresceu novamente e pegou o pênalti de Diego na decisão da Copa do Brasil contra o Flamengo. Titular incontestável e em ótima fase, o goleiro comemorou mais um título com a camisa celeste e se colocou à disposição do técnico Tite.

O camisa 1 ainda aproveitou o momento para questionar suas ausências em convocações com técnicos anteriores e disse estar pronto para servir à seleção brasileira.

"Cresci vendo a seleção levando sempre os jogadores que estavam melhores. Infelizmente, a gente viu que muitos treinadores levaram apenas aqueles atletas que atuaram juntos nas equipes que passaram, mas não os melhores. Mas eu continuo trabalhando, respeitando todo mundo dentro de campo. Deus vai me dando oportunidade. Na hora que precisar de um goleiro, estarei lá", disse o goleiro.

Aos 36 anos, Fábio mostrou que era possível dar a volta por cima. Depois de ficar cerca de oito meses se recuperando, o goleiro voltou ao time titular após o Campeonato Mineiro e superou as desconfianças que o cercavam.

Com ótimas defesas e cada vez mais decisivo, o goleiro confirmou a ótima fase com atuações cada vez melhores e diretamente ligada aos triunfos da equipe. Na última quarta-feira não foi diferente.

 

DIEGO

Diego se tornou um símbolo do Flamengo atual. Carismático, sempre sorridente e com bom desempenho em campo. O camisa 35 era a cara do clube em campanhas, entrevistas e comunicação com a torcida. Na noite da última quarta-feira, no entanto, o meia ficou marcado da pior maneira ao perder o pênalti na disputa que decretou o título do Cruzeiro.

A moral elevada do início de passagem pelo time da Gávea está em xeque. Não somente pelo pênalti perdido, que acabou sendo apenas a cereja amarga em um bolo que já não vinha descendo bem. Com atuações abaixo da média, tinha apenas lampejos do craque que já foi, mas estava longe do protagonismo desejado.

O erro se soma ao pênalti desperdiçado no duelo contra o Palmeiras pelo Campeonato Brasileiro e ao lance que poderia ter dado o triunfo ao Flamengo diante do líder Corinthians. O fato é que Diego falhou recentemente quando o Flamengo mais precisou e está longe de entregar o futebol que dele se espera.

"Não vivo o meu melhor momento individual no Flamengo, mas também não venho de uma queda brusca. As pessoas esperam esse brilho individual e reconheço essa expectativa", disse o meia na saída do Mineirão.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »