29/06/2017 às 05h13min - Atualizada em 29/06/2017 às 05h13min

Meia Wilmer é talento do Verdinho

Jogador da equipe sub-17 do Uberlândia Esporte é uma das esperanças da equipe Taça BH deste ano

EDER SOARES | REPÓRTER
Wilmer tem 15 anos e treina fora de casa desde os 11 / Foto: Eder Soares

 

Entre tantos talentos do Uberlândia Esporte Clube que disputarão a Taça BH Sub-17, competição que começará no dia 12 de julho, está o meia Wilmer, de 15 anos, conhecido no meio futebolístico como Pônei, apelido dado ao jogador em alusão à baixa estatura e velocidade. Pônei é natural de Bonito (MS) e está no Uberlândia há um ano. Apesar da pouca idade, o meia acumula experiência em competições de categorias de base. Esta será a segunda Taça BH do jogador, que no ano passado disputou este mesmo torneio com a camisa do Coimbra, equipe de Nova Lima (MG) e que mantinha uma parceria com o Uberlândia.

O Verdinho está na chave F, sediada em Muriaé, e terá ainda companhia do Nacional, equipe da casa e com quem o Uberlândia estreia no dia 12 de julho, Corinthians (SP) e Vasco (RJ).  O técnico Nilo Cury tem à disposição um plantel de 27 atletas, mas somente 25 podem ser inscritos para a competição, que é a segunda mais importante de categorias de base no país, atrás somente da Taça São Paulo. Os dois melhores de cada uma das oito chaves avançam para a fase oitavas de final.

Segundo Wilmer, a expectativa de enfrentar grandes clubes do futebol brasileiro está sendo uma motivação extra para todos. “É uma oportunidade maravilhosa jogar contra escolas importantes do futebol brasileiro como Corinthians e Vasco. Sabemos que estaremos sendo observados por outros clubes grandes também, mas, principalmente, temos que ter a consciência de que estamos vestindo a camisa do Uberlândia Esporte”, disse.

Longe de casa e dos familiares desde os 11 anos, Wilmer já se acostumou viver em casa de atletas e concentrações. Ele, que é torcedor do São Paulo, começou a jogar futebol no Ceduc de Anastácia, cidade do Mato Grosso do Sul. O sonho de se tornar jogador de futebol profissional é uma chama que não se apaga no coração do jovem atleta. “Tenho metas para a minha carreira, mas penso primeiro por etapas. Hoje estou no Uberlândia, que está me dando esta oportunidade de aprender e me tornar conhecido. Chegar a um grande clube é o que todo o jogador da minha idade almeja, mas para conseguir isso é preciso muito sacrifício e dedicação”, afirmou.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »