08/05/2017 às 08h45min - Atualizada em 08/05/2017 às 08h45min

Projetos tentam resgatar basquete profissional

Treinador e ex-jogador têm propostas para colocar Uberlândia novamente no cenário nacional da modalidade

ÉDER SOARES REPÓRTER
Da Redação
Cristiano Grama treina equipe sub-22 para a disputa da Liga de Desenvolvimento de Basquete

Desde 2015, quando foi encerrado o basquete profissional na cidade, com o fechamento do Unitri/Uberlândia e consequente a saída do Novo Basquete Brasil (NBB), elite da modalidade no país, uma lacuna grande se estabeleceu no coração dos torcedores locais. Apesar dos quase três anos sem basquete em Uberlândia, torcedores e a imprensa local ainda mantém o sonho de voltar a ver a bola vermelha subir e descer nos ginásios do Uberlândia Tênis Clube (UTC) e também da Arena Sabiazinho, palcos de muitas decisões e jogos memoráveis.

Dentro desse contexto, duas frentes, com projetos e ideologias diferentes, começam a trabalhar a possibilidade de que o basquete profissional volte a brilhar em Uberlândia. Um deles é idealizado pelo técnico Cristiano Grama, de 39 anos, natural da cidade, foi jogador do UTC, treinador da Seleção Brasileira sub-15 e sub-16 e por último comandou o Minas Tênis em duas temporadas do NBB. Em outra frente está o ex-ala do Unitri Cambraia, ídolo da torcida uberlandense, que atualmente é empresário no ramo de confecção esportiva e foi o autor da cesta que deu o título de campeão Sul-americano ao Unitri em 2005.

 

Imediato

 

O projeto encabeçado pelo técnico Cristiano Grama tem previsão para uma volta mais imediata do basquetebol profissional. O time sub-22 já treina na Arena Sabiazinho, se preparando para a disputa da Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB), que é a mais importante competição de categorias de base no Brasil e que é organizada pela Liga Nacional de Basquete (LDB). Por enquanto, o nome do time é Uberlândia Basquete, mas uma mudança poderá acontecer conforme a procura de patrocínios para bancar o projeto, que além de Cristiano Grama, conta com o apoio do Centro Esportivo Brasil Central.

A LDB tem previsão para começar em meados de julho e a expectativa é que o time entre pronto para a competição. Vencido essa etapa, a segunda meta do time é participar, no ano que vem, da Liga Ouro, competição que é a segunda divisão do basquete brasileiro e que dá vaga ao campeão para o Novo Basquete Brasil. Na Arena Sabiazinho, a equipe já treina forte ao comando do técnico Grama. Atualmente, o time conta com 12 jogadores, a maioria atletas da cidade e que estavam fora disputando competições por outras equipes.

“Quando colocamos esse projeto do sub-22 já pensamos em um projeto maior, pois temos atletas de nível, que são de Uberlândia, jogando por todo o Brasil. A intenção é voltar e buscar títulos, como a Unitri sempre fez, mas a gente pensou pode ter um projeto mais modesto pra jogar uma Liga Ouro, com pessoas da cidade. Depois a gente conseguiria encorpar isso com uns dois ou três estrangeiros, jogadores mais experientes, isso pode ser o start inicial para o projeto ganhar a vaga novamente para o NBB”, disse Grama.

 

EXTRAOFICIAL

Volta da equipe Unitri é cogitada nos bastidores

 

Segundo Cristiano Grama, nos bastidores do projeto corre uma informação, ainda não oficial, que o ex-senador Wellington Salgado, um dos donos do Unitri e que levou a equipe de Uberlândia para Salvador (BA), em 2015, por dificuldades financeiras e falta de apoio de patrocinadores na cidade, estaria cogitando o retorno da equipe a Uberlândia.

A reportagem do Diário do Comércio tentou um contato com Salgado, mas até o fechamento desta edição não conseguiu falar com o empresário. “É claro que se a Unitri voltasse não precisaríamos disputar a Liga Ouro, mas, se nada disso der certo, que possamos começar o projeto para disputar a Liga Ouro e disputar essa vaga para o NBB. A Liga Nacional está motivada com esse projeto, tanto que nos deram as bolas que estamos treinando, pois sabem da seriedade que temos aqui em Uberlândia para ter o baquete de novo”, disse Grama.

Além do técnico Cristiano Grama, fazem parte da comissão técnica do Uberlândia Basquete o preparador físico Edicarlos Machado, que por anos foi responsável pela preparação física do Unitri, e Zé Ricardo, ex-técnico das categorias de base do Sesi Gravatás e que em 2015 foi auxiliar técnico de Arturo Alvares, no último ano de atividade o Unitri em Uberlândia.

 

Ídolo

Cambraia tem projeto aprovado no Ministério do Esporte

 

Com uma forma diferente de pensar, o ex-ala do Unitri/Uberlândia Cambraia, campeão brasileiro e sul-americano com a camisa do time uberlandense, tem uma concepção nova para a volta do basquete profissional de Uberlândia. Ele conseguiu aprovar um projeto de lei de incentivo ao esporte, junto ao Ministério do Esporte, no valor de R$ 2 milhões, no qual vai trabalhar na organização de uma série de sete workshops em Uberlândia e, talvez, Araxá, para a capacitação de 210 jogadores de basquete profissionais.

A preocupação de Cambraia está na transição do jogador do profissionalismo para outras atividades, quando muitos acabam se perdendo e não sabem o que fazer. Com esta linha de raciocínio, o ídolo uberlandense pretende mostrar aos empresários a importância de se investir na capacitação dos jogadores, e dessa forma fortalecer a ideia para a formação de um time de basquete profissional em Uberlândia.

“Existe a intenção de montar uma equipe, mas que não fique tão dependente de uma única instituição, o que seria um modelo de negócios onde a equipe é um dos produtos. A nossa ideia é que o time de basquete seja um negócio deste produto que vamos criar. Estamos tentando estruturar com um modelo diferente do que se faz atualmente. Estou trabalhando nisso há cinco anos, destinado a atletas profissionais. Uma dificuldade do jogador é fazer a transição de carreira, de atleta para outra atividade, seja por qual motivo for”, afirmou Cambraia.

“A meta é capacitar estes atletas para se programarem no final da carreira, pois, desta forma, o atleta melhora a sua performance na própria equipe que está atuando, já que ele está se programando para quando parar de jogar.  Países como Canadá e Austrália já trabalham com este modelo de gestão para a carreira dos jogadores. Fizemos uma pesquisa e 100% destes atletas mostraram preocupação com a transição da carreira para outra atividade. A meta é fazer de Uberlândia um grande centro de capacitação de atletas para todos os esportes”, disse Cambraia que voltou a enfatizar a diferenciação no projeto.

“Nós queremos uma equipe, mas oferecendo uma gama de vários produtos e serviços para que eles se tornem melhores atletas e gerando credibilidade ao projeto, além de desenvolver um projeto de base”, afirmou o empresário, que tem como meta iniciar  os sete workshops ainda este ano. Já a formação da equipe de basquete na cidade está prevista para 2018. 

 

História do Unitri/Uberlândia

 

Títulos

 

Campeão Brasileiro – 2004

Vice-campeão Brasileiro -  2003/2005 e 2012

Campeão Sul-americano – 2005

Vice-campeão Sul-americano – 2004

Campeão Mineiro – 14 vezes (último em 2014)

Campeão Super Copa Brasil – 1998 e 1999

 

Principais treinadores

 

Hélio Rubens

Ary Vidal

Miguel Ângelo da Luz

Ênio Vecchi

Ratto

Cadum

Miguel Volcam

Carlos Romano

 

Principais ídolos

 

Valtinho

Cambraia

Estevam

Helinho

Marc Brown

Brasília

Robby Collum

Robert Day

Tony Harris


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »