16/10/2017 às 05h02min - Atualizada em 16/10/2017 às 05h02min

O poder do perdão (parte 1)

KELLY BASTOS | COLUNISTA

Seja honesta consigo mesma: sua vida, até aqui, foi feita só de amores ou você também já sofreu com grandes dores? Se escolheu a segunda resposta, vá além e reflita se alguma dessas passagens dolorosas ainda causa incômodo seu peito, quando a lembrança vem à mente. Nesse caso, o reboliço ocorre porque você ainda não abriu mão desse sofrimento. Em outras palavras: não se perdoou nem à pessoa que a feriu. Pode parecer impossível desculpar alguém que tenha nos feito um mal tremendo, mas a coach e psicóloga Eliana Alves Pereira, mostra que, mais do que viável, o perdão é um caminho necessário para levar a uma vida plena. “Se você realmente quiser perdoar, vai conseguir. Muita gente me diz: ‘Ele não merece absolvição!’. Se ele merece eu não sei, mas você certamente tem direito de se perdoar”, afirma a especialista.

Por que perdoar aquele que me feriu?

A resposta é simples e direta: por você. Quer um exemplo? Se a festa do seu vizinho acordou seu bebê à meia-noite e isso a incomodou, você precisa perdoá-lo. “Mas por quê, se o vizinho foi tão sacana? Porque, quando você for amamentar seu filho, é seu leite que sairá com raiva, um veneno poderosíssimo”, responde Eliana. 

Quem eu devo perdoar?

A expert destaca que as pessoas mais importantes a serem desculpadas estão ao seu lado: família, amigos, vizinhos e colegas de trabalho – especialmente aqueles com quem seu santo não bate. “Tudo e todos que a magoam também: um assaltante, uma pessoa que a feriu, um ente querido que se foi.  Ou seja: há muito trabalho pela frente.

A pessoa tem que me perdoar para o ciclo ser completo?

“O poder do perdão é forte justamente para quem perdoa, não para quem é perdoado. O perdão é algo individual e intransferível, não é a reconciliação em si”, esclarece a coach. Quando perdoo alguém que me feriu, essa pessoa nem precisa ficar sabendo. Que dirá estar disposta a fazer esse mesmo movimento de libertação... “O outro, muitas vezes, nem sequer está arrependido do que fez — e tudo bem. O que importa é a forma como você se sente diante da experiência em questão”, pondera. 

Por que é tão difícil desculpar?

“Quando pesquiso a raiz disso, encontro sempre pactos de vingança”, diz Eliana. No ciclo da vingança você precisa estar com dor. A dor gera raiva e, com ela, você pode se vingar de quem a feriu. O apego à raiva torna o perdão um caminho difícil, mas livrar-se disso pode salvar sua vida. 

O perdão pode se tornar uma atitude automática?

Às vezes perdoar é rápido, às vezes demora. “Mas uma coisa é certa: não é automático, tem que trabalhar nisso todos os dias. Não existe crescimento sem dor e sem esforços”, afirma a psicóloga. Por isso, seja compreensiva com você e persista nesse propósito. 

Em que âmbitos da vida a remissão é saudável?

“Em todos ”, garante a profissional. Perdoar traz liberdade, impulsiona o sucesso profissional, a vida amorosa e a relação familiar e ainda dá sabor à vida. Perdoe para viver satisfeita, com saúde e bem-estar. Perdoe para se livrar de um peso que a impede de alçar voos mais altos!

Leia Também »
Comentários »