31/08/2017 às 05h58min - Atualizada em 31/08/2017 às 05h58min

A sua Uberlândia

A uberlandense Paula Resende Mota tem 22 anos e, ao contrário de muita gente que ela conhece, não pensa em sair daqui. “Amo a cidade, aqui é meu lar. Nasci, fui criada e me vejo velhinha aqui, não tem por que mudar. A cidade está evoluindo muito, tem recebido mais recursos, mais oportunidades. É preciso cuidar de setores como o de trânsito, que está ficando cada vez mais complicado. A cidade ainda tem uma cultura de interior e eu moraria aqui para sempre”, disse a assistente de produção. (Foto: Divulgação)

 

Morleno Rodrigues de Souza Júnior é flautista, publicitário e produtor natural de Uberaba. Está em Uberlândia há quase dois anos e veio para a música. Morador do Jardim Finotti, acredita no potencial da cidade para desenvolver sua carreira. “Uberlândia é uma cidade com muitos recursos e oportunidades. Vim em busca de novos horizontes e os encontrei. Claro que tem alguns pontos negativos, esse clima de cidade grande dentro de uma cidade pequena”, afirmou o jovem. (Foto: Divulgação)

 

Terezinha de Jesus Carvalho, 68 anos, está para se aposentar como vendedora e também foi autônoma. É natural de Florância (RN) e vive há 45 anos em Uberlândia. Aos 2 anos e meio, já estava em Canápolis (MG) e, por isso, se diz uma “mineira do pé rachado”. “Moro em frente à praça Sérgio Pacheco, no centro de Uberlândia, e recentemente percebi uma melhora por aqui. O espaço esteve muito negligenciado, via coisas horríveis da minha janela, como tráfico e cheguei a ligar muitas vezes para o posto policial. Depois da poda das árvores, melhorou”, disse a moradora. “A cidade me atende em tudo, inclusive no sistema de saúde. Vivemos tempos difíceis, mas sou do tipo que ainda tem fé no ser humano. Deus nos deu o planeta para cuidarmos dele e isso começa pela nossa cidade”. (Foto: Adreana Oliveira)

 

Marcos Alves Fernandes, 43 anos, armador natural de Araguari que mora em Uberlândia há 10 anos, veio para a cidade por causa do mercado de trabalho. “Aqui sempre tem emprego, pode demorar um pouco para conseguir, mas, se a pessoa se esforça, consegue. É bem melhor do que outras cidades do interior que conheço. O que mais gosto aqui são as áreas verdes e gostaria de ver mais cuidado nessa área”, disse. Para ele, o município tem muitas nascentes de rio que merecem mais atenção para serem preservadas. “Gostaria que fossem feitos mais parques lineares nos arredores destas nascentes para a população aproveitar mais o espaço, interagir, fazer uma caminhada, passear e também ajudar a preservar. Em alguns lugares a situação é de partir o coração, e eu, como amante da natureza que sou, queria ver mais ação do poder público e privado sobre essa questão”. (Foto: Adreana Oliveira)

 

Sirlei Victor Oliveira fala com a reportagem diante de sua barraca na Feira da Gente, na Praça Sérgio Pacheco. Natural de Quirinópolis (GO), está há 25 anos em Uberlândia. “Gosto da cidade e acredito que, para ficar melhor e funcionar melhor, seja preciso sempre ter foco na saúde, no transporte público e na geração de empregos. O restante é consequência”, disse ela. Para Sirlei, uma cidade com pessoas saudáveis tem mais força de trabalho e isso faz a economia girar e por isso o foco principal sempre tem que ser na saúde, porque, quando estamos bem, somos capazes de realizar muitas coisas. “É cuidar das pessoas que fazem a cidade. Também gostaria que houvesse maior otimização dos espaços com eventos com boa estrutura. As pessoas precisam saber que existem espaços como a Feira da Gente na Sérgio Pacheco ou na praça Clarimundo Carneiro e, quanto melhor a estrutura nos locais, mais elas vão aproveitar. Estamos em uma cidade muito bonita, mas precisa ser mais bem cuidada para as pessoas interagirem mais com os espaços nessas ações culturais”. (Foto: Adreana Oliveira)

Relacionadas »
Comentários »