14/11/2023 às 08h00min - Atualizada em 14/11/2023 às 08h00min

Unimed

ANTÔNIO PEREIRA
A solução dos problemas de saúde do povo da velha Uberabinha eram os benzedores e os raizeiros. Quando isso não dava certo, o jeito era levar o doente no carro de bois para Uberaba, ou chamar um médico de lá, que vinha a cavalo. Tanto um jeito quanto o outro gastava quase uma semana. Às vezes, o doente morria no meio do caminho ou, quando o médico chegava ele já tinha sido enterrado.

Depois vieram os farmacêuticos provisionados que também receitavam. Os primeiros foram o Miguel Jacinto de Melo e o Antônio Maximiano Ferreira Pinto. Por fim, quase na virada do século, chegaram os primeiros médicos: Carlos Gabaglia, o primeiro, era um itinerante, esses ficavam um tempo aqui, outro acolá. Ficou um ano. Mal saiu, chegou o Rafael Rinaldi que ficou até à morte, quando já havia outros.

Depois veio a Santa Casa, as primeiras casas de saúde, o primeiro posto profilático, os primeiros hospitais, a Sociedade Médica, a Faculdade de Medicina e os hospitais públicos.

O sistema de cooperativa médica começou em Santos, criado pelo médico Edmundo Castilho, em 1967. E se espalhou porque atendia os interesses dos profissionais e dos pacientes. Primeiro por São Paulo e, em 1971, chegou a Minas Gerais, quando, em Belo Horizonte, 152 médicos fundaram a Medminas.

Uberlândia, sempre pioneira, alguns dias depois, em 15 de maio, criou a sua. A justificativa dos cooperados era que as clínicas particulares cobravam caro dos pacientes e pagavam barato para os médicos. Aqui na região, criou-se uma ampla sociedade: a Medminas do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba. Onde ficaria a sede de toda a região? Foi o primeiro impasse. Tanto Uberaba quanto Uberlândia reivindicavam essa primazia. Para não perderem o costume de se baterem pela supremacia regional.

Sem solução, Uberlândia criou a sua e deixou a sede pra lá. A daqui ficou na Sociedade Médica.

Reuniram-se 52 médicos na Sociedade Médica e elegeram seu primeiro presidente, o pediatra José Ribeiro. O problema dos pacientes associados, é que o sistema permitia-lhes um atendimento melhor e mais barato, porém, eles continuariam a pagar a Previdência oficial, os Institutos, que nunca atenderam bem.

No começo houve uma certa dificuldade por falta de experiência. Reny Cury foi a BH e ficou na Cooperativa de lá uns dias pegando a técnica administrativa deles. Trouxe pra cá.

Tudo organizadinho, fizeram o primeiro contrato, com o 36º Batalhão de Infantaria Motorizado. O atendimento foi ampliado por contratos com laboratórios e outras atividades paralelas. O segundo contrato foi com a União dos Viajantes.

Em 1975, a organização mudou de nome: Unimed. Em 1984, sob a presidência de Luiz Carlos de Souza, a Cooperativa inaugurou sua primeira sede própria, à rua Professor Pedro Bernardo, n. 240. Em 1988 foi iniciada a construção da nova sede, à avenida João Pinheiro, 639, inaugurada em 1990 pelo presidente Carlos Oberto Tosta.

E está aí.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Leia Também »
Comentários »
Diário de Uberlândia | jornal impresso e online Publicidade 1140x90