02/08/2022 às 08h00min - Atualizada em 02/08/2022 às 08h00min

O nascimento do Sindicato Rural

ANTÔNIO PEREIRA
O antigo Parque de Exposições do Sindicato
A Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Uberlândia, ACIAPU, fundada em 1933, já tinha patrocinado duas exposições: uma em 1936, nos fundos da Santa Casa de Misericórdia, que ficava na avenida Floriano Peixoto; outra em 1938, no salão que havia sob a sua sede, à avenida João Pinheiro, onde é o Edifício Armante Carneiro. Esta exposição fez parte das festividades de inauguração do prédio da sede, construído pelo Presidente Angelino Pavan.
               
Foi a terceira exposição que despertou o entusiasmo dos pecuaristas. Ela se deu em 1943 e foi encomendada pela ACIAPU a Luiz Acioly, um nortista que só andou pela cidade enquanto realizou esse compromisso. Depois foi embora. Essa exposição também foi atrás da Santa Casa (avenida Cesário Alvim), entre as ruas Quintino Bocaiúva e Tenente Virmondes. Nesses fundos havia um campo de futebol onde, além das constantes “peladas”, funcionavam parques de diversões, circos, touradas etc.
               
Os associados da ACIAPU entenderam que sua entidade poderia construir um parque adequado para exposições e, para isso, reuniram-se extraordinariamente no dia 11 de maio de 1943. O Presidente era João Modesto de Sá. Quem explicou aos presentes a intenção daquele encontro foi o Prefeito Vasconcelos Costa. O Diretor da Feira Permanente de Amostras de Belo Horizonte, Oscar Lamounier, que estava presente, esclareceu sobre as providências e outros aspectos a serem observados para a construção e o funcionamento de um parque. Depois de longos debates, concluiu-se pelo lançamento de uma subscrição a título de empréstimo coletivo à ACIAPU que restituiria as importâncias dentro das suas possibilidades.
               
A lista seria aberta por 28 pecuaristas que emprestariam dez mil cruzeiros cada. Era uma importância considerável para a época. A primeira assinatura foi de Nicomedes Alves dos Santos. O mais alto empréstimo foi de Godofredo Machado & Filhos, com trinta e quatro mil cruzeiros.
               
Na escolha do terreno, foram descartadas as áreas oferecidas por Higino Guerra e Antônio Domingues por estarem distanciadas da parte urbanizada da cidade.  Foi escolhido um terreno da Imobiliária Tubal Vilela constituído por dois quarteirões de frente para a avenida Vasconcelos Costa e dois voltados para a avenida Fernando Vilela, ficando fechados os trechos da rua Padre Pio e da avenida Belo Horizonte. Eram 48 mil metros quadrados e foram adquiridos por cento e trinta mil cruzeiros.
               
O projeto foi realizado pelo arquiteto João Jorge Coury, com um parque circular, arquibancadas e pavilhões, arborização e imponente entrada pela avenida Vasconcelos Costa.
               
Aproveitando a passagem do Governador Benedito Valadares pela cidade, a ACIAPU realizou pequena exposição usando os dois pavilhões já prontos. O Governador doou duzentos mil cruzeiros para a continuação das obras e a Prefeitura entrou com mais cinquenta mil.
               
Quem inaugurou o parque foi o Presidente da ACIAPU, Misael Rodrigues de Castro (1944/46), que mais tarde, de 1948 a 1952, foi Presidente da Associação Rural.
               
Por essa época, um grupo de pecuaristas da ACIAPU se propôs fundar uma Associação Rural e contou com o apoio da Associação Comercial. Tudo correu bem, só não foi tranquila a passagem do imóvel de uma entidade (ACIAPU) para a outra (Associação Rural). Na verdade, o parque era propriedade da ACIAPU, entretanto, havia sido adquirido e construído com verba oriunda do bolso dos pecuaristas. Era uma situação difícil. Resolveu-se, com alguns desencontros, mas sem guerra.
A primeira diretoria da Associação Rural, ainda provisória, foi encabeçada por Misael Rodrigues de Castro, eleita em 4 de agosto de 1948. Misael foi reeleito algumas vezes e permaneceu no comando da entidade até 1952, quando foi eleito Nicomedes Alves do Santos que dirigiu a instituição até 1956, ano em que foi empossado Odilon Custódio Pereira. Foi nessa gestão que se deu a doação definitiva dos terrenos pela ACIUB (com o nome reduzido pela saída dos pecuaristas) para a Associação em troca de parte dos mesmos, onde depois foram instalados a sede e o Pavilhão de exposições (FENIUB).
               
Em 1965, por determinação da Lei Federal 4.214, a Associação mudou seu nome para Sindicato Rural.
                  
Fontes: ACIUB, Sindicato Rural, Tito Teixeira

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Leia Também »
Comentários »