07/12/2021 às 08h00min - Atualizada em 07/12/2021 às 08h00min

A posse da primeira Câmara

ANTÔNIO PEREIRA
O município tinha sido emancipado em 1888 e recebeu para administrá-lo um Conselho de Intendência, nomeado pelo governo estadual, constituído pelos seguintes cidadãos: alferes Antônio Alves dos Santos, Antônio Pacheco dos Santos e o capitão José Alves de Amorim Brito. O alferes era o Presidente e, portanto, foi o nosso primeiro administrador. Recentemente (até que enfim!!!) deram-lhe uma ruazinha de apenas um quarteirão, lá perto de Uberaba, no Bairro São Jorge. Ao terminar o mandato dos Intendentes se fizeram eleições para a primeira Câmara Municipal. A posse se deu no dia 7 de março de 1892. Não havia energia elétrica, a reunião foi às onze horas da manhã. 
 
Todo mundo já tinha almoçado porque o costume da época era almoço lá pelas nove, dez horas da manhã. Os vereadores da roça tinham tempo suficiente para chegar montados nos tordilhos enfeitados. Onze horas em ponto, os Intendentes já estavam assentados à mesa diretora para a posse e transmissão. Só faltou o capitão Amorim Brito. Assumiu o suplente João Francisco de Souza.
                   
Foi um acontecimento inusitado e envaidecedor para as novas autoridades. A população estava em volta do Paço, aguardando a solenidade. Todo mundo com seu terninho de missa. À frente, garbosa, a banda de música.
                   
Nesse tempo, a administração pública era realizada pelo Presidente da Câmara e Agente Executivo (que eram a mesma pessoa), pelos Vereadores Gerais e os Distritais, os membros dos Conselhos Distritais (que eram dois: o da sede e o de Santa Maria de Uberaba) os Agentes Executivos Distritais e os Juízes de Paz.
                   
O Agente Executivo tinha por função executar as decisões tomadas pela Câmara. Não havia Prefeito. Outra coisa interessante é que Santa Maria, antes da emancipação, era distrito de Monte Alegre, mas chamava-se Santa Maria de Uberaba, nome que permaneceu por muito tempo, mesmo depois de ter sido emancipado juntamente com Uberabinha (que ficou como sede).
                   
Na sala contígua à dos Intendentes estavam os Vereadores eleitos mais os Conselheiros e os Juízes de Paz.
                   
O presidente da Intendência pediu aos seus companheiros Intendentes que fossem até a sala contígua e conduzissem os eleitos. Nem todos estavam presentes. Mas adentraram à sala de reuniões e assinaram o livro de posse os cidadãos Augusto César Ferreira e Souza (Presidente da Câmara e Agente Executivo), José Ignácio Rodrigues, Arlindo Teixeira, Manoel Alves dos Santos, padre Pio Dantas Barbosa, Antônio Alves Pereira, José Joaquim Coelho, José Theóphilo Carneiro (Vereadores Gerais) mais José de Lelles França e Antônio Maximiano Ferreira Pinto (Vereadores Distritais), os Agentes Executivos Distritais Eduardo José Bernardes (pelo Distrito da Sede) e Antônio Faustino da Rocha Filgueiras (por Santa Maria de Uberaba) – este representado por seu procurador Francisco Alves Ferreira. O conselheiro Custódio Rodrigues da Cunha também assumiu por Procuração.
                   
Estavam presentes ainda os Juízes de Paz João Luiz da Silva e Eduardo José de Oliveira.
                   
Os empossados fizeram o juramento de praxe e assumiram seus lugares. Em seguida fizeram o julgamento dos trabalhos desenvolvidos pelo Conselho de Intendência que foram aprovados com louvor.
                   
A seguir, os Vereadores escolheram o padre Pio Dantas Barbosa para Vice Presidente da Casa.
                
Após a posse do padre Pio, o Presidente Augusto César marcou para o dia 7 de abril a primeira sessão ordinária. Antes de encerrar, pôs a palavra à disposição dos Vereadores usando-a Arlindo Teixeira que apresentou o primeiro Projeto de Lei do município. Versava ele sobre a reabertura das escolas cujos professores, todos, tinham pedido demissão. Indicou também que fosse nomeado para a Aula Primária do Sexo Feminino o cidadão Eduardo José Bernardes. E que as despesas fossem cobertas por uma “Taxa Escolar” que já vinha sendo cobrada sob o nome de “Imposto de Capacitação.” Tudo foi aprovado.
                   
Assinaram a Ata os dezoito que tomaram posse nesse dia.               
                                                          
Fonte: Atas da Câmara Municipal

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Relacionadas »
Comentários »