18/09/2021 às 08h00min - Atualizada em 18/09/2021 às 08h00min

Chorar no trabalho pode? Ou é ruim?

KELLY BASTOS
Bom dia!
A maioria de nós tende a ver chorar no trabalho como algo embaraçoso, constrangedor e um sinal de fraqueza. Isso pode ser particularmente irritante para as mulheres profissionais, que temem que, mostrar que elas estão tristes, frustradas, ou magoadas, irá confirmar estereótipos negativos que muitas mulheres já enfrentam no local de trabalho.
Mas chorar no trabalho nem sempre significa destruir a sua persona profissional. Há situações em que isso pode realmente ser produtivo, mesmo quando há outros momentos em que é melhor guardar as suas lágrimas para mais tarde.
Você vai passar a maior parte das suas horas acordado com colegas de trabalho, e você tem a opção de colocar um muro ao redor de suas emoções ou compartilhá-las. Esse compartilhamento do choro pode criar uma relação de empatia com seus colegas de trabalho e funcionários.

Essa empatia ao chorar no trabalho é criada quando está conectado ao crescimento pessoal. Se você estiver procurando por um trabalho que você ama, tem que ser algo pessoal, que promova seu crescimento. E um trabalho pessoal terá altos e baixos, incluindo também as emoções envolvidas.

Só cuidado com os exageros, pois quando o choro é excessivo, por qualquer motivo, vai obter o resultado oposto de obter a empatia das pessoas.

Chorar no trabalho ainda é um tabu, mas está se tornando algo mais aceitável e, acima de tudo, algo importante para que as pessoas aprendam a lidar com as emoções no ambiente de trabalho.

Chorar na empresa deixa as pessoas mais seguras -  Se a equipe e o chefe, principalmente o chefe, lidam bem com isso, oferecendo um ouvido e lenços para a situação. Pense bem: a empresa investe em processos seletivos, em treinamentos, e quando o funcionário chora, ela não faz com que ele se sinta seguro e confortável para agir como ele mesmo? E se uma empresa não reagir bem ao seu choro, por que você está em um ambiente que não acolhe você no momento em que você precisa? O choro é também uma excelente oportunidade para o empregado analisar se a empresa é uma boa empresa e merece seu investimento de tempo e dedicação, ou se a empresa é um investimento que não vai proporcionar o ambiente seguro que você precisa para seu crescimento pessoal e profissional.

Chorar no trabalho cria pontes - Às vezes, as lágrimas no ambiente de trabalho agem como uma ponte, criando conexões de maneiras inesperadas, mas autênticas. Quando você tem uma compreensão profunda sobre si mesmo e você está compartilhando-a pela primeira vez com um estranho, o choro pode ser a coisa mais natural e honesta a fazer. Seria quase desconcertante se não houvesse uma forte demonstração de emoção em certas situações. Uma pessoa que não mostra esses sentimentos seria considerada fria, o extremo que ninguém quer no ambiente de trabalho também.

Evite lágrimas de frustração no trabalho -  Mas só porque chorar às vezes pode ser produtivo não significa que você deve se dissolver em lágrimas sempre que as coisas não saem do seu jeito. Chorar de frustração não só mostra sua imaturidade, como vai também afastá-lo de seus colegas de trabalho e de conversas produtivas que você deve ter para resolver um problema.

O mesmo vale para quando você recebe uma crítica. Não é hora de chorar ao receber uma crítica, é hora de ouvir e, acima de tudo, fazer uma reflexão profunda sobre si mesma, lidando com o feedback negativo. É importante separar as críticas profissionais de sua autoestima, que são duas coisas completamente diferentes.
 
Chorar no trabalho causa demissão? -  Depende. As lágrimas em si não podem causar uma demissão por justa causa, mas a situação em que aconteceu o choro pode causar uma reação de estranheza dos seus pares e de seus superiores, e que pode gerar sua demissão não por justa causa, mas sem justa causa por você não estar mais se encaixando na empresa. Mas lembre-se do que falamos: se você não pode se expressar no ambiente de trabalho, será que a empresa é mesmo o lugar certo para você?
 
FONTE: 
https://www.pontorh.com.br


 Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »