08/06/2021 às 08h00min - Atualizada em 08/06/2021 às 08h00min

Chegaram os Cardoso

ANTÔNIO PEREIRA
Os primeiros a chegarem às futuras terras de Uberlândia foram os Pereira, depois os Rezende e os Cabral. E não parou mais de chegar gente, Carrejo, Cotta Pacheco, Martins, Freitas, Ribeiro, Alves de Amorim, Paniago, Camargo, Dias, Carvalho, Gomes, Rodrigues, Moreira... e muitos mais.
 
José Cardoso de Mesquita nasceu em Piumhi, 1818, onde cresceu e se casou com Maria Rofina das Dores. Lavradores. Tiveram seis filhos, um deles, José também. Cidade ligada ao ciclo do ouro e dos diamantes em Minas Gerais, Piumhi já não era mais a cidade atraente dos faustosos tempos auríferos.
 
Quando José Cardoso da Silva, o filho, tinha 37 anos, resolveu dar destino melhor para a família. Juntou a filharada, os irmãos, mais alguns parentes e amigos e resolveu enfiar-se pelos sertões do centro oeste. Era 1881. Preparou e carregou os carros de bois de véspera. Escolheu animais fortes e enfrentou os poucos mais de quinhentos quilômetros que os separava de Uberabinha.
 
Vieram. Passaram pelo chapadão da Serra da Canastra, pela nascente do São Francisco, pelos arraiais do Desemboque (já bem decadente), Sacramento, São Miguel da Ponte Nova (Nova Ponte) e terras de Santo Antônio de Uberaba.
 
A viagem bucólica, lenta e longa, permitiu-lhes ir observando a beleza mística daquele sertão deserto. Não lhes faltou ocasião de se assustarem com a bicharada solta pelos caminhos, alguns ferozes. Mas sorviam com alegria a beleza que vinha das águas claras, das cachoeiras, matas frescas e cerrados virgens.
 
Poucos moradores à margem das estradas boiadeiras e quase nenhum viajante. De vez em quando um indígena aculturado, remanescente dos antigos caiapós moradores da região. Descendente dos que sobraram que o bandeirante Pires de Campos não achou pra matar.
 
A partir da antiga São Miguel (Nova Ponte), o grupo se sentiu mais entusiasmado. Chegavam às terras férteis onde trabalhariam e viveriam. O sonho estava rondando. José Cardoso estava muito entusiasmado. Em São Pedro de Uberabinha, a caravana ficou alguns dias pelos arredores fazendo compras na vila.
 
O grupo se enfiou para o pontal. Lá na frente, Cardoso encontrou as terras férteis das cabeceiras do córrego dos Cassiano, afluente do Rio das Velhas. Encantado com o lugar, de vista aprazível, adquiriu uma gleba e se instalou. Abriu clareira na mata, ergueu sua casinha de pau-a-pique e começou a trabalhar.
 
Seus amigos e parentes, participantes do grupo, foram se instalar mais pra frete, na região de Dourados, Onça e Macacos.
 
Instalados, os Cardoso tomaram parte na formação da população daquela região e hoje se encontram espalhados por todo o município e além. José Cardoso nasceu em Piumhi em 1844 e faleceu em Uberabinha em 1922.
 
Fonte: Waltercir José Cardoso, in “Entre parentes”.   
 
ERRATA: Na crônica O MESTRO BARRACA, registrei que o jovem Barraca foi morar com os jesuítas no Seminário de Uberaba. Não foi, porque não havia jesuítas em Uberaba. Possivelmente com outra Ordem. Existiam dominicanos, maristas e capuchinhos. Depois vieram outros. Obrigado, dr. Guido.



Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »