25/05/2021 às 08h45min - Atualizada em 25/05/2021 às 08h45min

A inauguração da Banda Municipal

ANTÔNIO PEREIRA
A Banda de Música Municipal foi criada em agosto de 1951, mas só entrou em atividade em maio de 1952.
 
Uberlândia já teve muitas Bandas de Música, a partir da Banda dos Pintos, a primeira, assim chamada por ter sido organizada pelo farmacêutico “Pintão” e seus familiares, em 1860.
 
Por época da criação da atual Banda, já existia a do Victor Melazzo, mas, naqueles começos dos 50, não era muito regular, nem ensaiava.
 
O Prefeito Tubal Vilela da Silva, dos mais dinâmicos que tivemos, preocupado com as coisas do espírito, flautista que era, criou a Banda Municipal.
 
Nos primeiros dias de agosto de 1951, enviou Projeto de Lei à Câmara criando uma Escola de Música. No § 2º do Art. 1º, o Projeto esclarecia que uma das finalidades da Escola era formar uma Banda. Na Exposição de Motivos, o Prefeito lamentou que “nem mesmo uma Banda de Música possuímos em nossa cidade”. Diz também que em Uberlândia havia até “falta de pequenos conjuntos musicais, comuns em quase todas as cidades”.
 
O Projeto teve tramitação rápida. Entrou no dia 9 de agosto e já no dia 23 virou Lei, de nº 199.
 
Na própria Exposição de Motivos o Prefeito contava que já tinha se inteirado de preços dos instrumentos e que estava contratando um regente.  Indicava também uma sala do Mercado Municipal para sede da corporação.
 
Numa viagem a Belo Horizonte, Tubal conseguiu do Comando Geral da Força Pública que fosse colocado à sua disposição um Sargento instrutor de música.
 
Quando o ano de 1951 já ia terminando, os jornais noticiaram que os instrumentos estavam comprados e que a Escola já tinha efetuado quase cem matrículas.
 
Não sei por quê, em vez do Sargento, a Prefeitura contratou os serviços do maestro João Clemente de Oliveira, o Barraca, de Tupaciguara, que ficou no comando da Banda por mais de dez anos. No dia 1º de Maio de 1952, como parte dos festejos comemorativos do Dia do Trabalho, Tubal Vilela promoveu a inauguração da Banda Municipal que tinha 28 figurantes. O Programa da Festa do 1º de Maio e Inauguração da Banda foi o seguinte:
 
04,00 horas - Alvorada
07,00 horas - Hasteamento das Bandeiras Nacional e do Círculo Operário  
10,00 horas - Missa e Bênção do Estandarte da Banda
13,00 horas - Execução dos Hinos Nacional e Operário e Passeata pelas ruas da cidade
18,00 horas - Retreta - Hinos comemorativos da data mais:
 
Cisne Branco (dobrado), Sonho de moça (valsa), Kismet (fox), Fogo de Palha  (Fantasia), La Favorita (trecho de ópera), A Voz do Sertão (dobrado), Reve do Bal (dobrado), Quem Tem Medo Fica Em Casa (samba), Fascinação (valsa), Miserere (trecho d”O Trovador”)
 
Em homenagem ao maestro Barraca foi oferecido um almoço à Banda no Bar da Mineira, presentes o Juiz de Direito Layre Santos, o Promotor Ciro Franco, o Presidente da Câmara Paulo Lisboa, os paraninfos da Banda, Coronel Luizote de Freitas e Delce Rezende Diniz, alguns Vereadores e os Chefes de Serviço da Prefeitura.
 
O ágape iniciou e terminou com música. Os discursos começaram com o Tubal que elogiou a Banda e se disse satisfeito com sua primeira apresentação. Falaram ainda o dr. Abelardo Penna, Jerônimo Arantes saudoso das velhas bandas do Melazzo e do Lindolfo França. Pelo maestro Barraca falou o componente da Banda Alair José de Souza e finalmente o Vereador Paulo Lisboa.
 
Depois da retreta à tarde, a Banda foi para a residência do empresário Primo Crosara que aniversariava e lá ficou até....até ...
 
Fonte: jornais da época, Leis Municipais.     
 

Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Relacionadas »
Comentários »