22/05/2021 às 08h00min - Atualizada em 22/05/2021 às 08h00min

Reação Emocional Desproporcional: entenda o que é

KELLY BASTOS (DUDI)
Quem aí já se pegou sentindo ansiedade ou preocupação com situações que você sabe que merecem a sua atenção, mas que estão exigindo mais energia do que o adequado? Já? Então, em situações como essas, você possivelmente acaba desenvolvendo as Reações Emocionais Desproporcionais (RED).
 

Para explicar direitinho, consultamos Eliana Alves Pereira, psicóloga e também nossa colaboradora.
 

Segundo ela, “quem sofre com RED tem uma desconexão entre a percepção do momento presente e a somatória de vivências passadas, ativadas por meio de estímulos específicos. Assim, a pessoa fica mais sensível, impaciente, irritada e até mesmo descompensada em determinadas situações. Durante uma RED, o consciente pode até estar vivendo o momento presente, mas as emoções estão somadas à preocupação com algo que incomoda no agora e, também, em outros momentos de sofrimento e angústia. Por exemplo: a emoção sentida agora pode ser uma dor ou um incômodo afetado por experiências do passado ou imaginação do futuro. Sentir emoções negativas, ainda que não seja agradável, faz parte da normalidade, pois as emoções são mensageiras e servem de alerta - é como um alarme que toca para chamar a sua atenção”.
 

De acordo com Eliana Alves Pereira, “essas emoções comuns não são consideradas reações emocionais desproporcionais. A RED acontece quando não se entende a razão desses sinais, dessas emoções, ativando sentimentos fora de contexto - as chamadas "emoções carona". Assim, "requentamos" dentro de nós experiências passadas e misturamos com fatos diferentes do presente; e tudo vira uma grande confusão. A forma de analisar uma situação muda quando se entra em RED e a percepção dos fatos tende a ser desproporcional, exagerada e em total descompasso. Você não consegue enxergar o real peso da situação para uma tomada de decisão com assertividade e equilíbrio. O mal estar da ansiedade se instala e você se perde nas emoções”.
 

A seguir, a psicóloga apresenta alguns conceitos das reações emocionais desproporcionais para compreendermos melhor este estado emocional:

 

Desorientação - A pessoa apresenta sensação de descontrole e/ou incompreensão das próprias emoções.

 

Emoção - Há dificuldade de compreensão das emoções ou intensidade desproporcional.

 

Posicionamento - Perda do centro, assumindo papel de outra pessoa, por exemplo. Uma associação a algo que não lhe pertence, passando sensação de empatia e sofrendo com o outro, comprando uma "briga" que não lhe cabe.

 

Tempo - Trazendo para o presente emoções do passado ou fantasias do futuro, tornando o agora muito maior e mais intenso.

 

Ação - Como consequência do estado alterado da desorientação, as escolhas passam a não ser satisfatórias para o bem-estar e para a conclusão de pensamentos.

 

Para sair da RED e entrar em um Estado Emocional de EscolhiAção (EEE) é possível aplicar estes dois exercícios:

 

1. Evite filminhos mentais: tente não dar asas à imaginação do negativo. Questionar os próprios pensamentos é uma maneira de não deixar ideias sem sentido se instalarem. É normal que a mente pense coisas positivas e negativas, mas dar sequência, criar uma história na cabeça com desdobramentos negativos não é adequado.

 

2. Saia do duelo entre pensamento positivo e negativo: busque ter ações coerentes, que lhe tirem dessa disputa. Faça coisas mensuráveis que lhe deem a experiência de sair do desequilíbrio entre uma ideia e outra.

 

“Use um caderno terapêutico para anotar os seus sentimentos e ter uma organização escrita. Isso pode ajudar na organização emocional interna, contribuindo, assim, como novas e melhores escolhas. Durante o processo psicoterápico, conversar com o (a) psicólogo (a) que lhe acompanha sobre os seus pensamentos e organizar, por meio da fala, as suas ideias”.
 

“Todas estas dicas são importantes para firmar os primeiros passos da sua melhora emocional, saindo da RED e avançando na construção de um estado emocional de equilíbrio. Todo autoconhecimento contribui para um bem-estar maior de Coerência Emocional (CE). Quando você começa a trabalhar a sua orientação em relação às suas emoções, em relação ao seu posicionamento, você inicia o caminho para uma mudança efetiva. Ou seja, ao construir um alinhamento mais adequado das emoções em relação ao presente e à sua percepção, as suas escolhas tendem a ser mais produtivas e próximas do real equilíbrio. O resultado do novo estado emocional, de ser mais coerente emocionalmente, é a possibilidade de autogestão, sendo capaz de evitar ansiedade, desencontros e desorientações emocionais. Afinal, quando você muda, o seu mundo muda”, finaliza a profissional.

 

Bom fim e boa semana.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »