12/05/2021 às 08h00min - Atualizada em 12/05/2021 às 08h00min

​A influência da cultura e educação nas nossas escolhas

ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA
A cultura se define como um elemento dinâmico na existência humana, pois não existe indivíduo que não tenha sua própria cultura. É importante entender qual a influência da cultura na educação, tendo em vista que a educação fundamenta as discussões de sua responsabilidade social e está centrada na formação do cidadão e sua competência para desenvolver-se em atividades do cotidiano, priorizando os valores essenciais de sociabilidade entre indivíduos.

As inúmeras abordagens sobre o termo cultura, geralmente induz à percepção sobre temas como a literatura, artes, música, ou uma série de outras habilidades desenvolvidas pelo homem durante toda a sua existência; vale ressaltar que essa percepção é muito mais ampla, considerando-se que a cultura pode ser entendida como tudo aquilo que o ser humano produz. De acordo com Lopes, Mendes e Faria (2005), sua definição se refere às “teias de significados” construídas ao longo da existência humana; tudo que a ele faz referência e que ele adquire durante sua existência, partindo sempre das relações sociais. Assim, quando se trata do termo cultura, seu significado faz referência a tudo que foi produzido pelas mãos humanas e que foi preservado como bem social, assim ela tem relação com os valores dos grupos sociais, vivenciado pelos indivíduos.

Existe uma intrínseca relação entre cultura e educação, visto que a própria educação é considerada como sendo parte da cultura. A cultura pode ser entendida como fruto da inventividade humana, só existe cultura porque existe o homem, e a educação está incluída neste contexto.

As várias concepções sobre educação a consideram como um processo de aperfeiçoamento humano que implica na afirmação dessa possibilidade e na exigência de sua realização, a dificuldade concentra-se em saber como seria esse homem, mais desenvolvido. Iniciando com a definição etimológica que entende a educação como uma ação ao mesmo tempo de dar, de alimentar e de ajudar o desenvolvimento das potencialidades do indivíduo, percebe-se que muitas vezes os agentes da educação, tanto a formal quanto a não formal, podem alimentá-lo com elementos que não o completam por não se adequarem às suas necessidades.

O processo da educação, nessa concepção, como em muitas outras semelhantes, confunde-se com a ideia de ajustamento. O indivíduo educado seria o ajustado à vida da sua comunidade, sem nenhum julgamento crítico sobre seus usos e costumes, sobre o seu modo de viver, aceitando passivamente a cultura de seu meio social. Essas podem ser consideradas concepções relativistas da educação. Não pretendem nenhuma transformação social, mas a simples preservação da cultura.

Vamos refletir:... Atualmente, o conceito de cultura é analisado sob uma perspectiva bilateral: o homem cria a cultura e é influenciado por ela. A socialização, como visto, pressupõe o preparo do indivíduo para o desempenho de papéis sociais, necessários ao ajustamento social, tornando-o membro de uma determinada cultura; logo, é possível admitir que comportamentos podem, em boa parte, ser desencadeados por uma forma adquirida de agir ou reagir, fruto de uma visão de mundo.  

Compreendendo educação como o desenvolvimento de potencialidades do ser humano para aperfeiçoá-lo como pessoa e a cultura como produções humanas comprometidas com valores, os educadores entendem haver uma estreita relação entre os dois temas, mas nem sempre evidenciaram uma clareza no entendimento dos termos. Há uma generalização de significados em relação ao termo cultura e um entendimento abrangente que promovem cultura.

Por ser um forte agente de identificação pessoal e social, a cultura de um povo se caracteriza como um modelo comportamental, integrando segmentos sociais e gerações à medida que o indivíduo se realiza como pessoa e expande suas potencialidades. Entretanto, é necessário lembrar que essa percepção individual tem grande influência por parte dos grupos sociais. As escolhas selecionadas ou valorizadas pelo grupo tendem a ser selecionadas na percepção pessoal.

Pensando estrategicamente... A identidade cultural, em níveis diferentes, constrói a consciência do povo. Isso ocorre devido à necessidade de comunicação, e aquele que se comunica o faz por meio de certos meios e formas. Um dos objetivos de democratizar a cultura é aumentar o acesso aos bens culturais que já existem, possibilitando que as pessoas possam desenvolver o seu próprio modo de ser e participar da comunidade como um todo.

Entenda-se que, como a educação é um fator que constitui e é constitutivo a partir da cultura, e esta deve estar no ponto para ser capaz de auxiliar na promoção da formação necessária para a integração da sociedade, visando conjuntamente e em prol desta, as ferramentas indispensáveis à aprendizagem dos conhecimentos com real significado social.

A educação é um processo de solidificação dos direitos humanos e da cidadania. Sua fundamentação se encontra no texto Constitucional brasileiro e somente com a colaboração de todos os partícipes da sociedade e do Estado é que os direitos humanos fundamentais alcançarão a sua plena efetividade. Só se constrói uma democracia forte e perene, quando se tem uma sociedade plenamente desenvolvida culturalmente.

É sabido por todos que o Brasil só progredirá através da educação. Onde estariam essas principais barreiras? Nas escolas, nos governantes, nos professores, pais ou alunos?

O essencial é que as instituições se atualizem e saibam como se adaptar às novas necessidades. Apenas pelo caminho da nossa cultura e educação, conquistaremos um país mais justo e menos corrupto.



Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Relacionadas »
Comentários »