28/11/2020 às 08h00min - Atualizada em 28/11/2020 às 08h00min

Relacionamento tóxico: consequências e como evitar!

KELLY BASTOS (DUDI)
Bom dia!

Você sabia que manipular é sujeitar a outra pessoa aos seus próprios interesses, fazê-la sentir e acreditar que são objetivos dele, ou do casal? A psicóloga e nossa colaboradora Eliana Alves Pereira explica que não é fácil detectar os sinais de relacionamento tóxico: “Quando há envolvimento afetivo, há também muita confiança no casal. Geralmente, leva tempo até que a pessoa manipulada sinta que existe algo que ‘não fecha’, o que confunde à medida que o descontentamento cresce“.

De qualquer forma, e de acordo com a profissional, somos todos treinados socialmente para dominar e manipular. Podemos conhecer dois tipos (pelo menos) de pessoas no exercício da manipulação: pessoas que não estão cientes do grau de manipulação que exercem. Elas procuram ser protetoras e acreditam de boa  fé que todas as ações que realizam são para o bem-estar de seus parceiros ou familiares. Eles reagem estabelecendo limites. E a segunda são pessoas com plena consciência de sua manipulação, que são perigosas para o desenvolvimento de uma vida saudável e feliz.

Manipulação x sinais de alerta
Segundo Eliana, “a primeira coisa é ser muito claro sobre nossos próprios desejos e interesses, analisar a história da relação e avaliar se as mudanças que experimentamos ao longo do tempo foram o que esperávamos, e não a satisfação do desejo do outro”.
Ela  diz que estar com uma pessoa manipuladora geralmente é o resultado de um processo de crescente desconforto e sensação de um sentimento repetido: “Por que me sinto tão mal se parece que está tudo bem?“. “Se não há como se distanciar do parceiro porque o envolvimento emocional dificulta, é melhor conversar com outras pessoas que passaram pelo mesmo ou iniciaram uma terapia para se fortalecer e poder estabelecer limites. A terapia de casal não é indicada nesses casos, dada a assimetria de poder que foi construída entre dominador e dominado. Alguns dominadores exercitam sua manipulação tornando-se vítimas (de doenças ou de injustiças no trabalho ou na família). Diante dele, temos que encontrar uma maneira de nos fortalecer, analisar seus mecanismos de dominação e os sinais de relacionamento tóxico“, conclui.

Mas, afinal, o que é tóxico?
“Toxicidade” é um termo usado popularmente e aplicado em livros de autoajuda para se referir a “masculinidade” e “vínculos tóxicos”. Mas, não confunda este tipo de pessoa com aquelas que você simplesmente discorda ou não se dá bem. Ter opiniões diferentes é muito comum, mesmo dentro de uma relação. A partir do momento que você compreender isso, mostrará que é racional e sensata.

Dentre as características de uma pessoa tóxica, estão: Se colocam no papel de vítima quando os convêm; Culpam outras pessoas pelos seus fracassos; Não conseguem ficar felizes com o sucesso do outro; Defendem com toda força que as pessoas e o mundo estão contra ela; Pessimismo é o sobrenome destas pessoas; São extremamente raros os momentos que aceitam que são culpados; São egocêntricos; Colocam as pessoas em posições de escolha, como: “ou eu ou ele” e “ou o meu ou o dele”; Irritam-se facilmente quando algo não é do jeito que eles querem.

Vale ressaltar que muitos desses pontos podem ser sutis e passarem despercebidos. Afinal, dentro de uma relação de manipulado e manipulador, características “ruins” tendem a ser normalizadas, como se esses tipos de atitudes fossem “normais” dentro de um namoro ou casamento.

As consequências de ser manipulada
Eliana Alves Pereira também lista algumas consequências geradas pela manipulação a curto e longo prazo: Diminuição ou perda da autoestima; Diminuição da atenção; Perda de vínculos sociais, trabalhistas, amigos e familiares; Transtorno de humor; Depressão; Problemas físicos. 

A psicóloga explica que a manipulação se torna evidente em nosso corpo: “A dominação como objetivo e a manipulação como instrumento sempre prejudicam o estado mental, comprometem a saúde psicofísica, contra o bom viver e a nossa liberdade“.

Como evitar viver um relacionamento tóxico
Os sinais de relacionamento tóxico podem não ser muito claros, mas, a partir do momento que percebemos que estamos em um, atitudes imediatas devem ser tomadas. Não fique se explicando por tudo, nem pedindo desculpas ou ficando na defensiva. Também não ceda a caprichos egocêntricos e que não levam em consideração sua opinião. Lembre-se que você não precisa provar nada a ninguém, além de ser dona de si. Não espere um pedido de desculpa, dominadores não admitem os seus erros.

Converse com pessoas de sua confiança para enxergar a situação como um todo, de forma racional e não emocional. Procure um especialista para te ajudar a lidar com a quebra das expectativas. Muitas vezes é difícil sair da zona de dominado, por não perceber o quanto está imersa nela.

Não tenha medo de colocar um ponto final na relação. Você é, sim, suficiente, e não precisa de ninguém para seguir sua vida normalmente e feliz. Dê tempo ao tempo!

Bom final e boa semana!


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
Relacionadas »
Comentários »