24/07/2020 às 14h20min - Atualizada em 24/07/2020 às 14h20min

Os compromissos do mandante no retorno

ALBERTO GOMIDE
O Campeonato Mineiro, após uma parada jamais vista na sua história, será recomeçado no próximo domingo (26). Foi a decisão que a FMF e os clubes encontraram, obedecendo determinações impostas pelas autoridades que atuam no enfrentamento ao novo coronavírus.

Para que as partidas aconteçam com segurança, um protocolo sanitário para evitar contágio pelo coronavírus foi elaborado pela Federação Mineira de Futebol (FMF).

Abraços após o gol, cusparadas no chão, beijar a bola, entre outras coisas comuns nos jogos de futebol estão proibidas nos jogos do Estadual. O uso de máscaras fora do campo de jogo será obrigatório e o clube mandante será responsável pelo cumprimento de todo o protocolo de prevenção contra o coronavírus.

Confira com mais detalhes os protocolos de segurança sanitária para os jogos do Campeonato Mineiro:

Locais de jogo divididos em duas "zonas":
 
Zona 1 (campo de jogo e vestiários): delegações dos clubes (40 pessoas em cada uma), arbitragem (quatro), quadro da FMF (seis), equipe de doping (dois), televisionamento (11), gandulas (seis), maqueiros (dois), responsáveis por placa de publicidade (dois), segurança privada/Polícia Militar (10), funcionários do estádio (três), enfermeiros e médicos (quatro) e equipe do VAR (oito).

Zona 2 (cabines de imprensa e arquibancada): Membros de Diretoria, Conselho Deliberativo, Departamento de Análise de Desempenho, Imprensa, Comunicação, Marketing, Jurídico, seguranças e demais setores dos clubes, que não terão acesso ao campo de jogo em nenhuma hipótese. Eles não podem ter acesso ao ônibus da delegação.

No jogo do próximo domingo, às 10 horas, no Estádio Parque do Sabiá, pela 10ª rodada da fase inicial, o mandante Uberlândia Esporte, será o responsável por estes e todos os demais detalhes para a segurança e bom andamento da partida.

O compromisso da equipe da casa é “pesado”, e, neste caso, o UEC vai enfrentar um time que sempre deu trabalho ao Verdão em todos os aspectos. É um time “tinhoso”. E o Vila é um dos sérios candidatos ao rebaixamento. Assim, vai fazer de tudo para não perder para o UEC, o que, se acontecer, vai praticamente garantir o descenso do clube à Divisão de Acesso no próximo ano. Por sua vez, o Uberlândia não corre o risco de rebaixamento, e tem boas pretensões para ficar com uma vaga para o Torneio Inconfidência e até para a Série D do Campeonato Brasileiro.

Os times, certamente, vão voltar a campo bem diferentes do que estavam praticando quando o campeonato foi paralisado. A começar pela formação, já que os clubes perderam jogadores neste período por força de contrato. O UEC estava e segue com o treinador Luizinho Lopes, que deu uma cara nova ao time, tanto é que ainda não perdeu nenhum jogo. Pena que o torcedor está proibido de ir ao estádio...
 
CPB cria programa com aulas online
 
A temporada esportiva 2020 no Brasil também sofreu e continua sofrendo um grande revés sob todos os aspectos. Cada segmento cria uma situação para tentar reduzir os estragos provocados pelo coronavírus. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), por exemplo, criou um programa para proporcionar treinamentos online aos atletas do paradesporto brasileiro.

Embora haja dezenas de transmissões ao vivo, vídeos e aplicativos que oferecem diferentes tipos de treinos para fazer em casa durante o período de isolamento social, é raro ver algo voltado para pessoas com deficiência. Visando propagar a atividade física para esse público, especificamente pessoas com deficiência física e visual que são sedentários ou não possuem orientação profissional, o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), lançou o programa “Movimente-se”, com aulas online e gratuitas.

“O objetivo é a melhora da qualidade de vida de cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e com deficiência visual. São pessoas que muitas vezes já têm certa dificuldade de mobilidade, e em um momento de isolamento acabam se movendo ainda menos”, explica o professor Alberto Martins da Costa, diretor-técnico do CPB. Alberto Martins é de Uberlândia e há longos anos presta relevantes serviços ao paradesporto brasileiro.

Para tornar o programa ainda mais inclusivo para pessoas com deficiência visual, o CPB firmou uma parceria com o app Be My Eyes. Por meio da tecnologia, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, usuários do programa “Movimente-se” poderão tirar dúvidas específicas com profissionais de educação física do CPB.




Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.



 
Relacionadas »
Comentários »