12/06/2020 às 11h00min - Atualizada em 12/06/2020 às 11h00min

Riqueza é...

CELSO MACHADO
Conquistar uma situação financeira privilegiada com toda certeza não pode ser ruim. Poder desfrutar de serviços, produtos, passeios, opções diferenciadas de conforto evidentemente que tem seus atrativos.

Nascer com uma formação estética atraente, dessas que marcam a pessoa pela beleza de sua aparência, também não deve ser motivo de aborrecimento para quem foi agraciado com ela.

Uma saúde boa, dessas que proporciona uma vida plena de atividades físicas, de disposição e energia para ir e vir para onde for. De praticar esportes e de estar sempre com vitalidade para gozar a vida em toda sua plenitude, sem dores nem sequelas, nem é preciso comentar. Quem não valoriza e não deseja?

Ter um dom, seja ele qual for, que permita uma carreira na área que o indivíduo se dedique aquilo que gosta e faz melhor, é outro privilégio.

Como ainda deve ser muito gratificante alguém construir uma trajetória que, pela relevância de seu papel junto à uma causa, comunidade, negócio ou contribuição a torne muito querida e respeitada.

E para não ficar exclusivamente em referências excepcionais, penso que toda pessoa que consegue viver uma vida com simplicidade, em paz com sua consciência, agindo em sintonia com seus valores, cumprindo seu papel na sociedade, tem motivos para se sentir orgulhosa de sua jornada.

Respeito e valorizo tudo isso. Agora, se alguém me perguntar como classifico uma pessoa como sendo rica, não titubeio, nem gasto tempo para responder. Já tenho a resposta pronta. E não é de agora. Há muito tempo que tenho minha opinião sobre o que torna uma pessoa rica e a cada dia ela se torna ainda mais firme.

Ela nasceu de ver e conviver com diferentes tipos, de pessoas abastadas a simples, de bonitas até as menos favorecidas, das famosas e das pouco conhecidas, das que se julgam poderosas e das que pensam que são donas do mundo.

De ver e perceber condutas, comportamentos e sobretudo reações. Principalmente do que costumo chamar “fora dos palcos”, ou seja, da pessoa na sua intimidade. Quando ela é o que é, não muitas vezes o personagem que cria para si própria e que representa no seu convívio social e profissional.

Quer saber o que me faz considerar uma pessoa rica? A resposta é mais ou menos óbvia e tenho quase certeza de que você concorda comigo: o que torna uma pessoa rica não é o que ela tem, nem o que é, mas simplesmente ela amar e ser amada. Isso sim é que é riqueza verdadeira. O restante é complemento.

Portanto feliz Dia dos Namorados. Data em que se comemora a riqueza que motiva, transforma e dá sentido as nossas vidas.



Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »