03/06/2020 às 11h24min - Atualizada em 03/06/2020 às 11h24min

Vininho, Cida e Joaquim

José Amaral Neto
Fazer o bem basta querer. Agir com gratidão pelo bem do outro diante das bençãos recebidas: uma atitude simples. Mover-se pelo próximo, é um ato de amor incondicional que melhora a saúde física e espiritual de qualquer pessoa que doa, e mais ainda para quem recebe. Querer saber e agir para melhorar o mundo cria um ambiente exponencial de fé na vida e nas pessoas.

O momento e o mundo precisam começar a empreender melhores mensagens de bem-estar e de bons resultados das coisas comuns do cotidiano. A alma, muito mais que atenção carece de toque e expressão de carinho. No tempo do hoje tão escassos para proteger e proteger-se. Custo alto para o espírito que reage a essa ausência do afeto com o desalento.

Já não dá mais para ignorar que o humano quer o humano, mesmo não o querendo. E é por isso que espaços iguais a este precisam valorizar pessoas que possam inspirar outras pessoas. Por isso é importante compartilhar o entusiasmo de indivíduos que conseguem sair para fora da caixa sem prejudicar a si próprio e aos que precisam de seu afeto.

Vininho, como é carinhosamente conhecido o bacharel em direito e Pastor, Valdivino Rita, e mais, a professora Cida Calmin, e o advogado e professor Joaquim Reis, dignificam neste período pandêmico a palavra: irmão. Estão agindo. Cida e Joaquim através de sua Ong, o Griconeu, Grupo de Consciência Negra Uberlandense, e Vininho através de seu Ministério Reconquistando Vidas.

Uniram pessoas, e articulam há semanas, a entrega de marmitex para entidades e pessoas em situação de rua, e na arrecadação e distribuição de cestas básicas, respectivamente, na cidade de Uberlândia.

A tarefa que se impuseram mostra que é possível agir. Não são os únicos. Muitas outras pessoas estão em movimento por amor ao próximo. No entanto, Vininho, Cida e Joaquim estão fazendo a diferença onde atuam e é isso o que importante. Não a tempo a perder e muito o que fazer. Esse período atual, passada a fase endêmica, trará o rescaldo social dos excluídos. E apoiá-los agora fará toda a diferença para tê-los revigorados para lutarem para continuarem a sobreviver com qualidade.

Em momento algum nenhum dos três pediu publicidade pelo que estão fazendo. E esse registro aqui nasceu do entendimento particular de que, quando se compartilha mensagens boas, a sensibilidade humana reverbera coisas boas. Toda essa ação precisa de apoio e doação. Principalmente na disposição de mais pessoas para se envolverem em outras ações, que não só essas mencionadas neste texto.

O intuito com essas linhas escritas é o de rogar bençãos para todos, que em Uberlândia, e em qualquer cidade do Brasil, estejam em condições de promover atitudes que salvam vidas. A linha de frente ativada move o mundo para o que há de melhor nas pessoas, a confraternização de possibilidades.

E a oportunidade permite parabenizar e agradecer Vininho, Cida e Joaquim, pelo que estão representando neste momento: inspiração! Não é uma exaltação vazia; mas apenas um ato de mostrar que no “seu quadrado” coisas boas podem e devem acontecer. E se eles podem outras pessoas com ideias semelhantes e ainda guardadas também podem fazer acontecer. #VamosConversando



Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.



 
Relacionadas »
Comentários »