06/08/2018 às 08h28min - Atualizada em 06/08/2018 às 08h28min

Como ser mais criativo

ALEXANDRE HENRY | COLUNISTA
No início de 2015, eu percebi que precisava fazer algo para mudar o meu próprio destino, pois comecei a ter certeza de que as próximas décadas serão muito ruins para quem trabalha para o governo, com redução gradual da remuneração e corte das aposentadorias. Por conta disso, concluí que precisava de uma segunda atividade remunerada. O problema é que meu cargo restringe muito o que eu posso fazer além dele. Escrever livros, algo que eu tinha tentado, dá pouco retorno. Enfrentar uma sala de aula, já que professor eu posso ser, é exaustivo e traz pouco retorno financeiro. O que fazer então?

Coloquei a cabeça para funcionar. Aqui entra o primeiro passo para você ser criativo: reconheça que você precisa resolver um problema. Sem isso, sua cabeça não vai se preocupar com a solução. Sabendo então do meu problema (basicamente, como aumentar a renda de forma honesta e dentro das limitações do meu cargo), comecei a avaliar as possibilidades e estabeleci alguns pilares: a) eu não queria ser empregado; b) eu precisava ter liberdade de horários; c) a solução deveria estar na área da educação, onde legalmente posso atuar. Como gosto de tecnologia, decidi que seria algo ligado à internet. Tem-se aí o segundo passo para a criatividade: pense no seu problema. Nenhuma ideia interessante cai do céu se você não tiver colocado sua cabeça para funcionar.

Vamos ao terceiro passo: tente conhecer o que já existe de solução para o seu problema. Às vezes, basta copiar uma solução já existente e você poderá dedicar a sua criatividade a algo que realmente precise de inovação. Por outro lado, é comum que já exista uma solução, mas não seja a mais adequada para o seu caso e precise de melhorias. Conhecendo a realidade, você não vai gastar sua criatividade começando algo do zero. Ao contrário: vai se concentrar na evolução do que alguém criou antes de você. Ou, como costuma acontecer com frequência, você pode simplesmente descobrir que não há mais espaço para algo igual ou parecido ao que já existe e não vai perder tempo tentando reinventar a roda.

No meu caso, eu dei uma olhada nas soluções de tecnologia para a área de educação já existentes. Vi também recursos que não eram para a educação, mas que poderiam ser usados nela. Percebi então uma carência no mercado ligada a um ponto específico da preparação para concursos e, logo depois, comecei a pensar em uma ferramenta que pudesse suprir essa necessidade do mercado. Mas, como se cria algo que ainda não existe? Por meio dos passos já mencionados: pensando no assunto dia após dia, com foco em quais necessidades precisam ser supridas e buscando analisar se já não existe algo que, mesmo não tendo sido usado para aquele fim específico, possa ser adaptado para tanto.

Esse exercício de pensamento está diretamente ligado ao quarto passo: dar à mente condições para ser criativa. Pense na sua mente como um pedaço de terra pronto para fazer germinar muitas sementes. Só que, se houver muita pedra, entulho ou mesmo outras plantas ocupando todo o espaço ali, as sementes não irão brotar. Enfim, é preciso deixar espaço para que o novo surja. Quando é que a nossa mente está mais apta a isso? Quando você não tem nada para te distrair ou está entediado (ou as duas coisas juntas). Atividades que podem ser feitas de forma automática costumam ser os melhores momentos para isso. Quantas boas ideias não nasceram durante um banho? Isso acontece porque naquele momento o seu cérebro comanda o que você está fazendo quase que de maneira automática, liberando espaço para outras coisas e pensamentos.

Comigo, tive ideias excelentes para criar um portal na internet para concursos enquanto tomava banho e, principalmente, nas monótonas viagens semanais de carro que faço, em estrada duplicada, com o piloto automático ligado em velocidade segura. Inúmeras foram as vezes em que peguei a estrada, desliguei rádio e notificações de celular e comecei a pensar em como eu poderia agregar uma nova ferramenta para o site. Também tive ideias caminhando ou correndo. Mas, para isso, sempre cuidava para que nada interrompesse a minha atenção, especialmente o celular, que hoje é o grande vilão da criatividade. Deu certo e o portal de estudos virou realidade.
Todo mundo precisa ser criativo se quiser evoluir na vida, seja no trabalho, nos relacionamentos ou em qualquer outro aspecto importante. Quem não inova fica estagnado. Ser criativo não tem nada de mágico, exigindo apenas que você queira isso e que coloque a sua mente para trabalhar de forma correta e incessante. Cansa, mas vale a pena.

Alexandre Henry Alves - Juiz Federal e Escritor
www.dedodeprosa.com
Relacionadas »
Comentários »