30/05/2018 às 09h48min - Atualizada em 30/05/2018 às 09h48min

Marketing Digital: presente e futuro, o que está por vir?

ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA | COLUNISTA
  
O marketing é uma ferramenta que tem multiplicado sua importância no mercado corporativo a cada dia. Há menos de uma década, tratava-se de um combinado de medidas tomadas única e exclusivamente com o objetivo de aumentar as vendas de um negócio. Atualmente, o marketing já ocupa um espaço muito mais importante, tornando-se uma peça-chave no relacionamento entre empresas e seus diferentes tipos de público.

Há alguns anos, apenas as grandes marcas e corporações tinham presença online, tendo como objetivo, na maioria das vezes, apenas a comunicação interna e/ou institucional. Conforme a internet foi evoluindo, seus usuários também evoluíram. Com a digitalização do mundo moderno, o marketing também precisou se reinventar, e passou a abraçar muito mais do que as vendas: ele modificou processos de construção de marcas, ressignificou posicionamentos de mercado, estabeleceu pontes entre empresas e públicos – e ainda pode ir muito além. Com esta evolução dos meios e os crescentes processos de globalização sofridos pela sociedade, o marketing digital tem aparecido cada vez mais como uma ferramenta indispensável para quem não quer ficar para trás.

É inegável o protagonismo do ambiente digital – principalmente das redes sociais – no dia a dia de boa parte do mercado consumidor. O poder deste protagonismo já é conhecido por boa parte das empresas, que têm investido em comunicação específica para as diferentes redes sociais e direcionado um capital relativamente alto para marcar presença no ciberespaço. Vale ressaltar que a geração millennial, uma das responsáveis por expandir o tal protagonismo, já representa um potencial de consumo que deve ultrapassar R$ 75 bilhões até 2019.

Levando em consideração a expressividade deste público no mercado consumidor e a migração da geração X – que ainda possui um poder de compra muito superior – para as redes sociais e o ambiente digital como um todo, chega a hora de você, empreendedor, se perguntar: sua organização está preparada para o marketing digital? Em pleno século XXI, já não é mais segredo que a relevância e o impacto dos canais tradicionais de transmissão e impressos na vida das pessoas têm diminuído drasticamente, modificando por completo as dinâmicas existentes entre as empresas e o consumidor.

Sendo assim, o mercado digital encontra-se cada vez competitivo – e, por consequência, cada vez mais saturado. Por se tratar de um ambiente extremamente mutável, em todos os sentidos da palavra, suas tendências e modas variam em intervalos de tempo minúsculos. Logo, é incrivelmente difícil fazer com que seu conteúdo se destaque em meio aos poços sem fundo de comunicações que bombardeiam o público a todo momento. Por isso, é fundamental tomar decisões estratégicas sobre sua audiência, conteúdo e plataformas. Profissionais de marketing não conduzem mais as discussões, e sim ocupam espaços de decisores e formadores de opinião. Profissionais e acadêmicos da área da Comunicação têm se perguntado, cada vez mais, sobre a influência da crise econômica para o avanço das práticas do marketing digital.

Pensando estrategicamente, é tolice negar os inúmeros benefícios trazidos com a adoção das práticas recomendadas pelo marketing digital. No entanto, não podemos nos esquecer que ainda existe um grande contingente de consumidores que não dominam a utilização dessas ferramentas. As empresas e os profissionais de marketing precisam estar sempre em busca do equilíbrio: supervalorizar as novas gerações e suas formas de se comunicarem é corroborar para o esquecimento e a marginalização das gerações mais antigas. As mudanças devem, de fato, existir – afinal, o que seria do mercado corporativo se ele tivesse parado em panfletos, cartazes e outdoors? –, mas elas não devem nos impossibilitar de colocar sempre a gradualidade em primeiro lugar, colocando-a como uma forma de nos adaptarmos às novas realidades do mercado.
Relacionadas »
Comentários »