09/05/2018 às 10h41min - Atualizada em 09/05/2018 às 10h41min

Para as mulheres, com carinho

ANA MARIA COELHO CARVALHO | BIÓLOGA
 
Sempre que perguntavam a Einstein se ele acreditava em Deus, respondia que acreditava no Deus de Spinoza. Quem não conhecia Spinoza ficava sem entender. Ele, Spinoza, foi um filósofo holandês do século XVII e que escreveu um texto como se Deus estivesse falando com os homens, com trechos assim: "O que eu quero é que saias pelo mundo e desfrutes da sua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que fiz para ti. Minha casa está nas montanhas, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e expresso meu amor por ti. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho, não me encontrarás em nenhum livro! Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor. Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar, se Eu te fiz. Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se sou Eu quem te fez? Que tipo de Deus pode fazer isso? Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti quando beijas teu amor, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho de mar. Tu sentes gratidão? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. A única certeza é que tu estás aqui, que vives a vida  e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora, não me acharás. Procura-me dentro, aí é que estou, batendo em ti".

Outro texto que gostei foi do Rubem Alves. No seu livro "Ostra feliz não faz pérola", ele conta que de vez em quando lhe perguntam se acredita em Deus. Ele responde que acredita mais que a maioria das pessoas e que tem até 33 nomes para Ele. É só falar o nome, sentir na imaginação o que o nome diz e a alma se enche de tanta alegria que isso só pode ser um pedaço de Deus. Mas é preciso falar devagarzinho e ir pensando. Por exemplo: o mar de manhã. O perfume do capim. O olhar e tudo o que ele olha. O sono na cama. A cadela e os cãezinhos. Um relâmpago silencioso. O silêncio entre dois amigos. Morder uma jabuticaba. O canto do sabiá. A terra boa. Ele cita vários outros pedaços de Deus que conhece. Acrescenta que a marca do Divino é o milagre cotidiano que é este mundo: a vida, o olho, a asa de uma libélula, a chuva, a sopa de fubá, o pão quentinho, o perfume do jasmim, a teia de aranha, um poema, o amor entre duas pessoas. Conclui, assim como Spinoza, que não precisamos de mais milagres, Deus já espalhou muitos pelo mundo.

Assim, desejo que o Deus de puro amor proteja e abençoe a todas as mulheres. E que cada uma consiga, todo dia e à sua maneira, encontrar os pedaços de Deus ao longo desta vida que, por si só, já é um milagre.
Relacionadas »
Comentários »