11/11/2018 às 07h31min - Atualizada em 11/11/2018 às 07h31min

Liguem os motores

Salão do Automóvel, que começou na última quinta e vai até dia 17, está com menos marcas, mas com mais otimismo e diversão

FOLHAPRESS
Nissan Leaf - Modelo elétrico tem autonomia de 320 km por carga | Foto: Folhapress
O Salão do Automóvel de São Paulo foi aberto ao público na última quinta com menos montadoras do que as edições de 2014 e 2016. Contudo, deverá haver mais otimismo nos corredores do São Paulo Expo, devido à retomada nas vendas. O número de emplacamentos no mês de outubro foi o melhor desde dezembro de 2014: 254,7 mil unidades vendidas entre carros, ônibus e caminhões. A animação está à mostra no evento, que revela as novidades para 2019 - e muitos automóveis já chegam como modelo 2020.

Um desses é o T-Cross, principal atração da Volkswagen. O carro, que chega às lojas no primeiro trimestre do próximo ano, está sendo exibido nas versões mais equipadas, com câmbio automático e motor 1.4 turbo flex (150 cv). Ao seu lado está o conceito da futura picape nacional da marca, concorrente da Fiat Toro. A marca mostrou apenas um desenho e disse se tratar de um conceito bem próximo da realidade. "O modelo está planejado para ser lançado no mercado brasileiro no futuro próximo com apenas algumas modificações", diz em comunicado da marca enviado à imprensa na última semana.

Além dos carros, o estande da Volks conta com salas de realidade virtual, espaço com atividades para crianças e uma garagem em que ocorrem jogos de fuga. Os visitantes têm que decifrar enigmas para encontrar a saída. Outras marcas também oferecem entretenimento ao público, aproveitando os espaços deixados pelas montadoras ausentes. A Chevrolet montou uma oficina para troca virtual de pneu com brindes para os mais rápidos. A marca também comemora os 50 anos do Opala no salão.
 
SIMULAÇÃO
 
Na Ford, os visitantes participam de um jogo cujo prêmio é acelerar o Mustang em um dinamômetro. O carro não sai do lugar, mas será possível ouvir o ronco dos motores e sentir a carroceria balançar. Em outra parte do estande um simulador reproduz as sensações de uma trilha off-road a bordo da picape Ranger. A área externa tem um circuito para testes de carros híbridos e elétricos. BMW i3, Kia Soul EV, Chevrolet Bolt e Renault Twizy estão entre os veículos disponíveis. Citroën, Jaguar, Land Rover, Lexus, Peugeot e Toyota são as principais marcas ausentes no evento.

As montadoras divulgaram comunicados ao longo do ano em que afirma ter priorizado eventos próprios e outras feiras para exibir seus próximos lançamentos.
 
VEDETES
Ferrari e McLaren disputam a atenção do público

 
Seis passos separam os estandes da Ferrari e da McLaren no Salão do Automóvel de São Paulo. A marca inglesa tem um espaço que remete ao piloto brasileiro Ayrton Senna, a começar pelo carro com seu sobrenome. O carro usado pelo tricampeão de F1 em 1991 também está em exposição, junto com capacetes, troféus e um macacão.

Na Ferrari, a nova 488 Pista está em um tablado. A marca é representada no Brasil pelo grupo Via Italia, que expõe também modelos Rolls-Royce, Maserati e Lamborghini. A 488 tem motor V8 turbo com 720 cavalos de potência e pode chegar aos 100 km/h em 2,8 segundos. A aceleração até 200 km/h ocorre em pouco menos de 8 segundos, segundo o importador. Seis unidades devem ser trazidas para o Brasil. Cada uma irá custar R$ 3,7 milhões.

O McLaren Senna é ainda mais forte. São 800 cavalos extraídos de um 4.0 V8 biturbo. Os números de aceleração até 100 km/h e 200 km/h são de, respectivamente, 2,8 segundos e 6,8 segundos. Seu preço, porém, a Ferrari parecer uma pechincha: cerca de R$ 8 milhões.
 
 
Além do visual
Honda HR-V ganha cara nova e mudanças na suspensão e no câmbio


 Honda HR-V tem lanternas que ganharam lentes fumê | Foto: Folhapress
 
 
FERNANDO PEDROSO 
Depois do Jeep Renegade, que ganhou novo visual na semana passada, agora foi o Honda HR-V a passar por uma reestilização. O visual mudou, com a frente redesenhada com novo para-choque e grade. Os faróis receberam canhões de luz e guias de LED para uso diurno. Atrás, as lanternas ganharam filetes de LED e lentes fumê. Por fim, no interior, o painel agora tem iluminação em volta dos mostradores na versão EXL.

Mas é onde os olhos não veem que estão as principais mudanças do modelo, que ficou mais confortável. Os bancos dianteiros ganharam novas espumas, com maior apoio para as pernas, no assento e abas laterais mais pronunciadas no encosto, além de novos tecidos. O motor 1.8 16V de até 140 cv segue inalterado, mas a transmissão automática do tipo CVT (sem trocas) foi reprogramada para ficar mais linear e suave. A suspensão foi recalibrada e ganhou novos amortecedores, mais progressivos e com maior capacidade de absorver impactos. Até o isolamento acústico do HR-V foi melhorado pela engenharia, com mantas mais densas e novos materiais em outras áreas da carroceria do jipinho. Houve também ganho de equipamentos.

A versão LX, de R$ 92.500, agora vem com controle de cruzeiro, tela multimídia de 5" e faróis de neblina. A EX (R$ 98.700), tem airbags laterais, câmera de ré, aletas no volante para trocas simuladas de marcha, ar-condicionado digital e repetidores de setas nas capas dos retrovisores. A atual versão topo de linha é a EXL, de R$ 108.500. Passa a ter airbags de cabeça, rebatimento elétrico dos retrovisores e multimídia com Android Auto e Apple CarPlay com tela de 7".
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »