21/10/2018 às 08h00min - Atualizada em 21/10/2018 às 08h00min

Mercedes Classe C ganha versão com motor elétrico

Linha 2019 do modelo fabricado no Brasil chega às lojas no próximo mês

FOLHAPRESS
Foto: Divulgação
A Mercedes revelou na semana passada a linha 2019 de seu carro mais vendido, o Classe C, que chega às lojas durante o mês novembro, ao mesmo tempo em que acontece o Salão de São Paulo, no mês que vem. Feito no Brasil (na sede da marca em Iracemápolis, no interior de SP), o novo modelo traz como maior novidade uma leve reestilização no visual e uma inédita versão "mild-Hybrid" (termo em inglês que representa algo como "híbrido leve" por aqui, embora a marca não a considere híbrida), que adiciona a um motor a combustão um sistema de motor elétrico recarregado com a energia da desaceleração para aumentar a eficiência de todo o conjunto e economizar combustível.

Visualmente, o facelift se concentra nos novos faróis (agora todas as configurações têm dispositivo full-LED), novos para-choques frontais, rodas e lanternas (também em LED) que criam o formato da letra "C". Entre as versões, as mudanças limitam-se aos tons de couro adotados no interior, bem como o aplique de madeira de alguns consoles e no desenho e tamanho das rodas, além da oferta de motores a gasolina. Começa em R$ 187.900 na versão C180 Avantgarde com motor 1.6 turbo de 156 cv. A novidade mecânica vem só na C200 EQ Boost, que custa R$ 228.900: um motor 1.5 turbo (183 cv e 28,6 kgfm) acoplado a um pequeno motor elétrico (14 cv e 16,3 kgfm), que juntos podem render até 197 cv de potência. A Mercedes não o considera "híbrido", mas o carro foi classificado nessa categoria pelo governo.

Esteticamente, traz os mesmos faróis, lanternas e para-choques das outras versões, mas ganha equipamentos inéditos, como painel de instrumentos digital; tela central do sistema multimídia maior (com 10,2"); ajuste elétrico e memorizador para o banco do motorista; espelhos retrovisores antiofuscantes; airbag de joelhos para o motorista; sensor de chuva e teto solar com abertura elétrica. Há também uma versão mais forte, aC300 Sport, de R$ 259.900. O grande diferencial é o motor 2.0 turbo de 258 cavalos com câmbio automático de nove marchas. Entre os equipamentos, o carro ganha escapamento com ponteira dupla, volante esportivo com base achatada e madeira no painel e nas portas.
 
SÃO PAULO
Fábricas começam a revelar os carros para o Salão

 
O Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece entre 8 e 18 de novembro no São Paulo Expo, já começa a ter suas atrações reveladas. A Mini vai comemorar os 25 anos do primeiro Cabrio (conversível) trazendo a versão remodelada do carro apresentado em abril na China. Vai mostrar, por exemplo, a função que se conecta a serviços de previsão do tempo para avisar o motorista que vai chover caso a capota esteja aberta. A Porsche vai exibir a reestilização do SUV compacto Macan. Entre as novidades estão a tela de 11" no painel e a lanterna traseira que vai de uma ponta a outra da tampa do porta-malas.

Ainda no mercado de luxo, a Audi trará o A6, que foi apresentado na Europa durante o Salão de Genebra, em março. As vendas já estão confirmadas para a primeira metade do ano que vem. O sedã terá motorização híbrida, capaz de rodar na cidade sem usar o motor a gasolina e desligá-lo em algumas situações de velocidade de cruzeiro, de 55 a 160 km/h. O A6 traz ainda, no interior, 3 telas para controlar as mais variadas funções do carro, incluindo comandos do painel de instrumentos e central multimídia.

Entre os carros nacionais, uma novidade será um conceito que antecipa a reestilização do Nissan Versa. As alterações visuais devem prolongar a vida tanto do sedã quanto do March, já que a nova geração lançada na Europa seria muito cara de ser feita no Brasil. A marca também confirmou a presença do Leaf de segunda geração, hatch 100% elétrico que está nos planos da Nissan para o mercado brasileiro.
 
COMPASS RECHEADO 
Na linha 2019, Jeep pode até estacionar sozinho e ser ligado à distância; conheça a versão 4x4 a diesel


Foto: Divulgação

 
 O Jeep Compass chegou à linha 2019 mais equipado. O utilitário mais vendido do país ganhou equipamentos em todas as versões. Não há alterações nos motores 2.0 flex de até 166 cv, com câmbio automático de seis marchas, e 2.0 Diesel de 170 cv com câmbio automático de nove marchas e tração nas quatro rodas. Na versão Sport, que começa em R$ 111.990, apenas maçanetas e capas dos retrovisores ganharam pintura na cor da carroceria. As rodas 17" são novas. A mais vendida, Longitude, de R$ 124.990 (gasolina) e R$ 151.990 (diesel) recebeu tela de 7" no painel e rodas 18" redesenhadas.

A Limited, de R$ 142.990 (G) e R$ 171.490 (D), ganhou auxiliar de estacionamento e chave presencial com partida à distância. Junto com a Trailhawk, só movida a diesel pelo mesmo preço da Limited, ganharam controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão com frenagem automática e monitoramento de faixa com correção ativa.

A reportagem andou na versão Longitude a diesel. Com bom espaço, o Compass tem bom desempenho graças ao torque do motor. A tração nas quatro rodas é protocolar. Atua para dar mais estabilidade em curvas e uso moderado fora de estrada, mas não é para trilhas pesadas. Vai bem no espaço interno, no tamanho do porta-malas e na autonomia. Com consumo na faixa dos 10 km/l, o Compass pode rodar cerca de 600 km com um tanque.

VOLVO S60 CHEGA NO ANO QUE VEM
A Volvo apresentou nos Estados Unidos a nova geração do S60 e já marcou o desembarque do sedã no Brasil em julho do ano que vem. A perua V60 já está disponível nas lojas por R$ 199.950. A marca promete trazer as versões mais caras. A R-Design T6 terá motor 2.0 turbo com 320 cv de potência e tração integral. A Polestar T8 tem um mesmo motor, mas com um gerador elétrico no eixo traseiro. Os dois juntos rendem 420 cv. Em qualquer configuração, a transmissão é automática de oito marchas. Assim como acontece com o XC60 e com a perua V60, o S60 deve vir com generoso pacote de itens de série. Destaque para o sistema de condução semiautônoma "Pilot Assist" munido de sensores, radares e câmera de 360 graus, permitindo que o carro se guie sozinho a até 130 km/h. Cabe ao motorista ficar atento para interferir se necessário.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »