30/03/2018 às 05h37min - Atualizada em 30/03/2018 às 05h37min

Mercedes aumenta produção de veículos em 15%

FERNANDO MIRAGAYA | FOLHAPRESS
Nova linha de produção no ABC paulista é a mais moderna do mundo | Foto: Mercedes-Benz/Divulgação
 
No embalo do aumento de 30% na produção de caminhões no primeiro trimestre deste ano, a Mercedes-Benz inaugurou na última semana a sua nova linha de montagem em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. De acordo com a montadora, é a unidade mais moderna do grupo no mundo, o que torna a produção de veículos pesados 15% mais rápida.

O conceito de manufatura 4.0 será aplicado em outras áreas da fábrica (motores, transmissões, eixos etc.) dentro do ciclo de R$ 2,4 bilhões em investimentos, que se encerra em 2022.

"É um momento oportuno para renovar, estamos em recuperação, mas ainda não crescemos. Essa nova fase de crescimento depende das reformas, só assim teremos um crescimento sustentável", diz Philipp Schiemmer, presidente da Mercedes do Brasil e CEO para América Latina.

O aumento da produção foi impulsionado também pelo mercado externo: a marca alemã registrou crescimento de 40% nas exportações em 2017. As principais demandas por caminhões partiram de países da América Latina, especialmente Argentina, além de Chile e Peru.

Ao mesmo tempo, a Mercedes do Brasil passou a exportar motores para a matriz alemã e começará em abril as vendas para os Estados Unidos. E busca expandir as vendas de veículos para África e Oriente Médio.

A unidade do ABC tem capacidade para 80 mil unidades por ano, mas hoje opera em um turno com expediente em dois sábados do mês. Schiemmer afirma que, se as vendas continuarem nesse ritmo, há a possibilidade de abertura do segundo turno já no segundo semestre.

A fabricante contratou 250 novos funcionários para a fábrica de São Bernardo do Campo e mais 80 em Juiz de Fora (MG), onde a empresa também produz caminhões. A produção mineira passou de cinco para 12 unidades por dia, em turno único.

Contudo, nos últimos anos, a empresa dispensou cerca de 5 mil funcionários no período de crise. Ao todo, há 8 mil trabalhadores contratados atualmente.

A nova logística industrial vai trazer mudanças para as operações da marca no país. Além da modernização das demais instalações no ABC, a fábrica também produzirá a nova geração do Actros, prevista para depois de 2020.

O atual caminhão, hoje, é feita em Juiz de Fora. Com a mudança, a unidade mineira passará a ficar responsável apenas pela produção das cabines de todas as linhas.

O conceito 4.0 da unidade paulista da Mercedes consiste em uma linha de produção integrada, por meio da conectividade, com softwares, sensores, telas na linha e aplicativos. Do estoque à montagem, e incluindo fornecedores, tudo é conectado e segue a produção dos quatro modelos de caminhões: Accelo, Atego, Atron e Axor.

Com o apoio dos AVGs (carrinhos autônomos) que transportam desde as peças e eixos específicos para cada modelo, o deslocamento de funcionários dentro da linha diminuiu, afirma Schiemmer.

Um caminhão que levava 100 horas para ser feito, agora é finalizado em 85 horas.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »