25/09/2021 às 08h00min - Atualizada em 25/09/2021 às 08h00min

Pessoas com Fibromialgia e Fadiga crônica receberão tratamento integral pelo SUS

TÚLIO MENDHES
Divulgação
Na última terça-feira (21), a Comissão de Assuntos Econômicos, aprovou o Projeto de Lei nº 3.525/2019 que assegura atendimento integral pelo Sistema Único de Saúde – SUS, para as pessoas diagnosticadas com Síndrome de Fibromialgia ou Fadiga Crônica. Entenda:
 
Bom... estima-se que cerca de 2,5% da população mundial sofre da síndrome de Fibromialgia, tendo incidência mais relevante em mulheres entre 30 e 50 anos. E dados da Sociedade Brasileira de Clínica Médica indicam que 1,5% da população mundial convive com o cansaço crônico. Aqui no Brasil, estima-se que os números de pessoas acometidas por essa doença estão mais ou menos na casa de quatro milhões de pessoas. Acredita-se que a prevalência do diagnóstico apresenta-se mais em mulheres do que nos homens. De cada 10 pessoas com Fibromialgia, 7 a 9 são mulheres. Não se sabe a razão porque isto acontece. Não parece haver uma relação com hormônios, afinal esse diagnóstico afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa. A idade de aparecimento da doença é geralmente entre os 30 e 60 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.
 
Normalmente, as pessoas procuram profissionais que solicitam a realização de uma série de exames. Saiba que isso é em vão, pois o diagnóstico da Fibromialgia é clínico, isto é, não precisa de uma lista de exames para comprovar que ela está presente. Se o médico fizer uma boa entrevista clínica, ele consegue diagnosticar a Fibromialgia na primeira consulta e descartando outros problemas. Um fato é que por muito tempo pensou-se que a Fibromialgia era uma “depressão mascarada”. Mas graças a Deus hoje sabemos que a dor da Fibromialgia é real, e não se deve pensar que o paciente está “somatizando”, isto é, manifestando um problema psicológico através da dor.
 
Uma triste característica da pessoa com Fibromialgia é a convivência com a dor praticamente 24h. Outra característica diz respeito à extensa sensibilidade ao toque na musculatura tanto pelo médico examinador quanto por qualquer pessoa. Ou seja, as pessoas não toleram ser “agarradas” ou mesmo abraçadas. O sintoma mais importante e ao mesmo tempo também muito triste é a dor difusa pelo corpo. Ou seja, a pessoa tem dificuldade de definir quando começou a dor, se ela começou de maneira localizada e depois se generalizou ou se já começou no corpo todo. A pessoa sente mais dor no final do dia, mas pode haver também pela manhã. A dor é sentida “nos ossos” ou “na carne” ou ao redor das articulações.
 
Sobre a Fadiga Crônica, trata-se de uma condição de diagnóstico clínico que tem o objetivo de compreender a presença de cansaço intenso. Pois bem... necessitamos de um sono reparador para revitalização do nosso corpo frente ao cansaço adquirido em nossa própria rotina, muitas vezes mais intensa que o necessário... E é justamente esse sono da revitalização que a pessoa com Fadiga Crônica não consegue usufruir, a pessoa sempre acorda cansada, além do mais, pode apresentar outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e inclusive alterações intestinais. Ou seja, a pessoa fica muito cansada sem uma causa aparente, independente da quantidade de repouso que realize. O tratamento é direcionado para o controle dos sintomas e muitos pacientes podem se recuperar com o passar do tempo.
 
Bom... depois de entendido as diagnoses, é hora de explicar a aprovação do Projeto de Lei nº 3.525/2019 que assegura atendimento integral, através do SUS, às pessoas com Fibromialgia e também Intensa Fadiga.. O Projeto de Lei estabelece que os pacientes receberão atendimento integral pelo SUS, incluindo, no mínimo: atendimento multidisciplinar por equipe de profissionais da medicina, psicologia, nutrição e fisioterapia. Além da garantia de acesso a exames, assistência farmacêutica e acesso a terapias, inclusive fisioterapia e atividade física. 
Encerro a coluna de hoje parafraseando a fala do relator do Projeto: Essa ação do legislativo é excelente, contudo, demorou muito para oferecer acesso ao tratamento digno e efetivo às pessoas atingidas pela Fibromialgia ou Fadiga Crônica. 


 Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »