21/11/2020 às 08h00min - Atualizada em 21/11/2020 às 08h00min

Homem pode ter câncer de mama?

TÚLIO MENDHES

A resposta é simples. Pode. Contudo, é muito negligenciado pelo preconceito! A grave falta de esclarecimento dos próprios homens com a doença, faz com que o tumor seja diagnosticado em estágio bastante avançado, o que dificulta o tratamento!

Pois é... A glândula mamária masculina geralmente é atrofiada, com hormônio feminino (estrógeno) baixo em relação às mulheres. O câncer de mama é absurdamente um problema de saúde pública como é para as mulheres. Segundo o INCA – Instituto Nacional de Câncer, cerca de 200 homens morrem de câncer de mama no Brasil anualmente. Em contrapartida, o número de mulheres dentro do mesmo período chega a 14 mil óbitos. O câncer de mama é causado pela multiplicação irregular de células da mama. Então, todo esse desenvolvimento gera células disformes que se multiplicam e multiplicam e multiplicam formando o tumor.

Bom... existem vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. Por exemplo, em alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a características próprias de cada tumor.    

O aumento de casos fatais de câncer de mama em homens ocorre, principalmente em pacientes entre 50 e 54 anos e maiores de 80 anos. Isso porque, muitas vezes, o paciente mais idoso ou seus familiares optam por não submeter o paciente a um procedimento mais invasivo como a cirurgia ou até mesmo à biópsia.

A percepção de um caroço (tumor) no homem fica mais fácil do que mulheres. Como normalmente é indolor, o tumor pode ser confundido com outras doenças, principalmente com a ginecomastia, que consiste em um crescimento benigno das mamas nos homens, causado por uso de medicamentos ou por desequilíbrio hormonal. Por isso é fundamental que os homens estejam atentos e informados, pois além de um caroço pode aparecer descamação do mamilo ou mesmo erosões nessa área.

Outro fator importante a ser considerado é que, infelizmente, ainda há um grande número de atestados de óbito com “causas indefinidas” no Brasil, o que impossibilita a exatidão no número de vítimas fatais por conta da doença. Fatores como consumo excessivo de álcool, exposição à radiação e fatores genéticos podem estar ligados com o aumento no número de casos nas últimas três décadas.

O câncer de mama masculino tem como principal fator de risco a alteração no gene BRCA2, relacionado ao processo de restauração do DNA. Por essa razão, a grande maioria dos casos de câncer de mama em homens está ligada à mutação nos genes herdados de familiares. No caso do câncer de mama feminino, também há a possibilidade de mutação no BRCA2. No entanto, fatores como alterações do hormônio estrógeno e questões ambientais também podem estar relacionados à formação da doença.

Os possíveis sinais de câncer de mama em homens incluem: protuberância ou inchaço, geralmente (mas nem sempre) indolor; retração do mamilo; inchaço nos linfonodos axilares; vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo; pele ondulada ou enrugada.

Estas alterações nem sempre são causadas pelo câncer, contudo se perceber qualquer alteração nas mamas consulte imediatamente um médico para concluir um diagnóstico. Além disso, a ingestão do hormônio estrógeno e anabolizantes predispõe ao aumento de câncer de mama masculino. Os transexuais e usuários de medicações/suplementos em academias de musculação pertencem ao grupo de risco de desenvolver o tumor.

A recomendação para os homens é semelhante ao das mulheres: evitar o consumo exagerado de bebidas alcoólicas e anabolizantes, não fumar, praticar exercícios físicos e ter uma dieta balanceada com controle de peso. Lembre-se que a chance de cura pode estar na detecção e diagnóstico precoce da doença. Por isso é muito importante estar atento aos sinais e realizar os exames médicos periodicamente.
 
Bom, pra hoje é isso. Até sábado que vem!

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »