27/06/2020 às 10h41min - Atualizada em 27/06/2020 às 10h41min

Ter um hobby pode "salvar sua vida"

ANGELA SENA PRIULI
Olá leitores do Diário! Espero que estejam fazendo o melhor de suas vidas no momento presente. Fiquei umas semanas ausentes da CiênciaPop em virtude do que todos temem: a morte. Minha mãe fez sua passagem e agora me resta lidar com sua presença dentro do meu coração e seguir, pois a vida é o que acontece agora.

Por que te contei sobre isso? Queria chamar atenção para um problema muito comum e que todos nós poderemos encontrar conforme vamos envelhecendo: a falta de propósito, a solidão, a depressão. Sim, minha mãe, com apenas 68 anos, morava sozinha há anos, já não conseguia mais trabalhar (o que foi seu propósito por décadas), não se dedicava a nenhum hobby e tinha depressão. Junto disso, é claro, se acarretaram doenças crônicas, etc e tal, que já se sabe que são agravadas pelos transtornos mentais.

E o que eu e você, independente da idade, podemos fazer para que nossas vidas sejam mais leves?

DICA DA CIÊNCIA: Seu tempo livre é especial e importante. Fora do horário de trabalho e de suas obrigações habituais, você pode se dedicar a algo que lhe traz alegria, significado e propósito.

Os hobbies podem ser de todas as formas. Eles podem ser criativos, físicos ou relaxantes. O que separa um hobby de apenas fazer algo, como assistir a uma série de TV, é o seu nível de envolvimento. E aqui está uma boa regra geral: se você se vê olhando para o celular em vez de se concentrar na atividade, não é um hobby. É apenas uma distração.

Antes de descobrirmos como encontrar um hobby, vamos entender como ele pode melhorar sua saúde mental?
 
Criatividade e bem-estar mental
Um estudo de 2016, publicado na BMC Public Health, mostrou que os adultos australianos que praticam hobbies artísticos por mais de 100 horas por ano têm uma saúde mental significativamente melhor do que aqueles que praticam menos. Como aplicar esse conhecimento para nós? Se envolva em um hobby artístico por duas horas por semana e você pode melhorar seu bem-estar mental.
Outra pesquisa de um grupo de cientistas da Nova Zelândia, publicada no Journal of Positive Psychology, investigou 658 jovens adultos que registraram em um diário o tempo gasto em exercícios criativos. Eles anotaram quantas vezes sentiram humores positivos (alegria, atenção, interesse) e negativos (raiva, medo, desprezo, nervosismo, ansiedade). O estudo descobriu que os jovens adultos que passavam mais tempo em atividades criativas tinham um humor mais positivo. Como aplicar esse conhecimento para nós? A criatividade cotidiana pode melhorar seu humor.
 
Esportes coletivos e bem-estar mental
Sei que esse não é o momento para essa prática, mas você já pode começar a planejar atividades para quando pudermos nos reunir novamente. Além dos benefícios físicos do exercício, a participação em esportes coletivos também pode aumentar o seu bem-estar mental. Um estudo de 2015, do Journal of Leisure Sciences, descobriu que as pessoas que participam de esportes coletivos têm menos probabilidade de experimentar depressão, estresse e ansiedade. De fato, pessoas de 25 a 34 anos que não participam de esportes coletivos regulares têm duas vezes mais chances de sofrer depressão durante um período de 12 meses.

Alguns dos outros benefícios dos esportes coletivos, como futebol, basquete, vôlei, incluem: aumento da conexão social, níveis mais baixos de estresse, aumento da capacidade de lidar com contratempos e sono de melhor qualidade, aspectos que influenciam diretamente na sua saúde física.
 
Como encontrar um hobby?
Você já se fez essa pergunta? Qual meu hobby? Pergunte para seus amigos e familiares. Encontrar um hobby pode ser complicado. Longas horas de trabalho, obrigações familiares e falta de inspiração e motivação podem parecer obstáculos impossíveis. Aqui estão estratégias interessantes:
 
Reviva velhas paixões: tem um violão juntando poeira no seu guarda-roupa? Talvez haja alguns pincéis em um armário em algum lugar? Seja qual for o motivo para largar suas ferramentas criativas, você tem uma para buscá-las novamente. Dedicar um tempo para lembrar porque você desfrutou de suas atividades passadas pode trazer de volta seu interesse e abrir você para um mundo que você deixou para trás.
 
Tente uma nova atividade por semana: faça uma nova atividade toda semana. Essa estratégia exige um pouco mais de esforço, pois você precisará pesquisar e organizar o tempo para garantir que está atingindo sua meta. Sem ideias? Você pode tentar: perguntando a amigos e familiares, pesquisando empresas locais e clubes esportivos que têm atividades online, verificando cursos educacionais online (eu, por ex, vou fazer um curso de cerâmica), espiando virtualmente uma loja de ferragens ou de artesanato, pesquisando em redes sociais como o Pinterest que tem mil ideias de hobbies e dicas de "faça você mesmo".
 
Tempo primeiro, atividade segundo: sentir que você não tem tempo suficiente pode impedi-lo de seguir em frente quando se trata de hobbies. No entanto, existem hobbies que você pode aproveitar para fazer entre as atividades da rotina, como: esportes e exercícios na pausa do almoço (mas tem comer também); leitura, tricô, quebra-cabeças no transporte público (se você precisa pegar agora) ou enquanto a roupa está sendo lavada ou a comida está na panela de pressão; se você acorda cedinho, pode praticar em silêncio sua aula online de yoga ou fazer seus exercícios de musculação no quintal com a brisa da manhã. Ah, aproveite para cuidar e falar com suas plantinhas, também pode ser um hobby. Para descobrir quando você pode encaixar a prática do seu hobby na rotina, tente estar consciente do seu tempo durante o dia e isso não é excesso de produtividade, é atenção plena ao presente (que é o único momento que existe realmente). Se você está se sentindo entediado ou procurando ativamente por uma distração, pode usar esse tempo para se dedicar a um hobby e não ao celular, por exemplo. Desafio, não é? Mas quando fizer, você vai agradecer e vai criar muitos #tbts mesmo durante o isolamento.
 
Voluntariado: ajudar os outros pode ser o melhor hobby de todos. Pense em quais habilidades você possui e como você pode usá-las para ajudar outras pessoas. A partir daí, você pode postar sua disponibilidade nas mídias sociais ou tentar encontrar organizações de voluntários que precisam de seus talentos.

Enfim, comecei a coluna dessa semana com uma notícia triste, mas sinto que estou transformando essa minha experiência em um bom hobby, que é escrever, e compartilhar com você me fez bem. Espero que também te impulsione para uma experiência agradável e que sua saúde mental seja revigorada com novos propósitos e que sua saúde física seja impactada positivamente, hoje e sempre. Boa sorte para encontrar seu hobby, seu companheiro vital para toda sua existência aqui!
 
Fontes:
 
  1. Davies, C., Knuiman, M. & Rosenberg, M. The art of being mentally healthy: a study to quantify the relationship between recreational arts engagement and mental well-being in the general population. BMC Public Health 16, 15 (2015). https://doi.org/10.1186/s12889-015-2672-7
  2. Lara Fenton, Catherine White, Karen Gallant, Susan Hutchinson & Barb Hamilton-Hinch (2016) Recreation for mental health recovery, Leisure/Loisir, 40:3, 345-365, DOI: 10.1080/14927713.2016.1252940
  3. Tamlin S. Conner, Colin G. DeYoung & Paul J. Silvia (2018) Everyday creative activity as a path to flourishing, The Journal of Positive Psychology, 13:2, 181-189, DOI: 10.1080/17439760.2016.1257049
  4. https://www.cbhs.com.au/health-well-being-blog/blog-article/2020/03/19/finding-a-hobby-can-improve-your-mental-health


Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »