27/06/2020 às 10h38min - Atualizada em 27/06/2020 às 10h38min

A idade certa

IARA BERNARDES
Existe idade certa para a maternidade chegar? Se formos falar em termo de fisiologia, a medicina, atualmente, indica que a gravidez ocorra entre 20 e 30 anos de idade. Não antes pela “imaturidade” do sistema reprodutivo e não depois dos 35 pela alta maturidade do mesmo, ou seja, ele está ficando velho para isso. No entanto, se formos considerar os dados das décadas de 1950 a 1960, o ideal era entre 18 e 25 anos, sendo após esse período, uma gestação tardia. Essa extensão na faixa etária se dá por alguns fatores, sendo o primeiro deles, o aumento da expectativa de vida das mulheres que passou de 50 anos para 90 anos ao longo das décadas. Além disso, a mudança nos papéis sociais desempenhados por elas teve uma reviravolta extraordinária com a luta feminista, logo, o público feminino que passava a vida a se dedicar à família, começou a aumentar a formação acadêmica, se inserir com mais efetividade e volume no mercado de trabalho e a conquistar direitos e independência que antes eram exercidos apenas pelos homens. Ademais, podemos considerar também a efetividade dos anticoncepcionais, que trouxeram mais autonomia diante da escolha à maternidade.

Diante de todas essas mudanças sociais, vieram também as afetivas e, mais uma vez as mulheres se tornaram protagonistas nas suas escolhas. Por isso, vê-se que, cada dia mais elas optarem pela maternidade quando melhor as convém, seja pela escolha do parceiro, momento profissional ou falta de vontade de abrir mão do que construiu até ali para diminuir o ritmo necessário na criação de um filho. O que quero dizer é que, diferentemente do que acontecia antigamente, a mulher moderna assume seus desejos e se programa para a maternidade levando em consideração vários fatores que não apenas a idade e a cobrança social pela chegada dos filhos.

Ao passo que, diante de tantas informações médicas, não podemos descartar o envelhecimento dos óvulos, também sabemos que existem vários tratamentos para quem opta por esperar. Além disso, é importante destacar as vantagens em esperar. Particularmente, não tenho propriedade para falar sobre isso, já que engravidei pela primeira vez aos 25 anos, entretanto, minhas amigas que optarem pela gestação após os 40 enfatizam que, por já terem vivido tudo que desejavam e estarem estabelecidas profissionalmente, esperar foi a melhor escolha, pois exercem seus papéis mais tranquilamente, podendo se dedicar melhor aos rebentos.

No entanto, acredito que vantagens e desvantagens seja relativo abordar, afinal, cada um tem sua história construída de uma forma e percebo que as mesmas vantagens para um, não pareça interessante para outros.

Da mesma maneira, quando falamos na imaturidade do sistema reprodutivo, houve flexibilização na idade apresentada pela medicina, o que não impede de, futuramente, haver novas mudanças. Percebo que a gravidez precoce também tem seus encantamentos, o fato de ser mãe jovem, fazer parte da infância dos filhos enquanto se está no auge da energia física, pode ser vantajoso para que a dinâmica entre mãe e bebê seja mais enérgica e a construção da maturidade ao lado de filhos adolescentes pode ser interessante na criação de vínculos que a grande diferença de idade não proporciona.

Logo, antes de apostarmos todas as nossas fichas em quesitos médicos, devemos entender que somos seres capazes de nos transformar em qualquer idade e diante das mais diversas situações e o que fará da sua maternidade a ideal é o fato de você escolher diariamente fazer o seu melhor, independente da idade e posição profissional. Abraçar com responsabilidade e maturidade uma gestação precoce é tão importante quanto ter leveza e energia numa maternidade considerada tardia. Basta você escolher estar de bem com sua forma de maternar, olhando para as necessidades físicas e psicológicas tanto de seus pequenos quanto sua.
 


Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »