25/01/2020 às 08h17min - Atualizada em 25/01/2020 às 08h17min

Anorexia Nervosa: um Distúrbio Psíquico

TÚLIO MENDHES
O anoréxico se recusa a comer, mas não por falta de apetite, mas porque tem uma preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Por exemplo, os pacientes chegam a ingerir apenas 200 kcal por dia. Quando o distúrbio atinge um estágio mais avançado, a pessoa, mesmo estando muito abaixo do peso normal, com os ossos à mostra, ainda se acha gorda”
 
 
Um fato? Brasil é o país do futebol. Outro fato? Alguns podem negar, mas brasileiro também é noveleiro pra caramba! Tem até gente que diz não gostar, mas mesmo esses sabem o que está rolando na novela. Se não, fica sem assunto! E a galera gosta tanto, porque a maioria das novelas apresenta histórias que englobam problemas do nosso cotidiano. A anorexia é um desses problemas, assim como a bulimia nervosa e o transtorno da compulsão alimentar periódica.

Assim como eu afirmei que brasileiro é noveleiro, afirmo que a maior parte do público que assiste novela é composto por mulheres, assim como a anorexia nervosa também se manifesta geralmente nas mulheres. Uma pessoa é diagnosticada com anorexia quando apresenta um IMC igual ou inferior a 17,5 kg/m². Os que sofrem desse transtorno passam a ter uma obsessão em emagrecer, assim acabam se privando de se alimentar. Além de se privar de se alimentar, induzem o vômito para expulsar as refeições e até mesmo fazem uso de medicamentos como laxantes. Também passam a praticar exercícios físicos em excesso.

A pessoa mesmo magra, acredita estar gorda. Ou seja, a anorexia faz a pessoa enxergar o próprio corpo de maneira distorcida e, a partir daí, leva a atitudes de risco como dietas exageradamente restritivas. O resultado? A pessoa acaba emagrecendo muito e ficando abaixo do que é estabelecido como normal nas taxas de Índice de Massa Corporal. Às vezes, os portadores do transtorno chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição. Pesquisas mostram que, nesses casos, o índice de mortalidade varia entre 15% e 20%.

Infelizmente esse problema pode afetar qualquer faixa etária ou gênero. Muitas vezes, a anorexia ou outros distúrbios alimentares surgem quando a pessoa passa por momentos conturbados, como divórcios, perda de emprego, morte de um ente querido etc. Entretanto, isso não quer dizer que sejam a causa da anorexia, mas, sim, que são facilitadores do aparecimento do transtorno. No início, os sintomas são pouco perceptíveis, pois o anoréxico finge estar se alimentando e chega a usar roupas largas. Qualquer ganho de peso o apavora e causa angústia. O anoréxico se recusa a comer, mas não por falta de apetite, mas porque tem uma preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Por exemplo, os pacientes chegam a ingerir apenas 200 kcal por dia. Quando o distúrbio atinge um estágio mais avançado, a pessoa, mesmo estando muito abaixo do peso normal, com os ossos à mostra, ainda se acha gorda e quer emagrecer mais.

Acredite, mas algumas profissões são consideradas de risco para o surgimento da anorexia. São elas: atletas olímpicos, bailarinas, modelos. Justamente por estarem sujeitos a sofrer pressão para reduzirem o peso como forma de conseguir melhores performances nas competições e espetáculos. Contudo, os riscos são graves, como insuficiência renal, anemia, osteoporose, gastrite, dor abdominal, constipação, diarreia, amenorreia (perda ou perturbação da menstruação), aumento do risco de infertilidade, comprometimento do sistema imunológico, anormalidades cardíacas, arritmia, parada cardíaca súbita e o mais grave de todos, óbito.

Em boa parte dos casos não dá para prevenir o aparecimento da anorexia, mas graças à ciência existe tratamento. Ele é extremamente árduo e demorado, envolvendo a participação de uma equipe multidisciplinar como nutricionistas, psicólogos, médicos e, às vezes, exige internação. O foco é iniciar uma conscientização através de uma psicoeducação e reeducação alimentar. Não existe uma medicação inerente para a anorexia nervosa. Entretanto, alguns ansiolíticos e antidepressivos podem atuar como coadjuvantes terapêuticos amenizando os sintomas de ansiedade extrema. No entanto, é crucial observar que nenhuma medicação deve ser utilizada como único tratamento ou tratamento primário para anorexia nervosa. Se você suspeita que você ou alguém que você conhece tenha anorexia, é importante procurar ajuda especializada imediatamente.
 
Então é isso. Até o próximo sábado!




*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.










 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »