07/01/2019 às 08h44min - Atualizada em 07/01/2019 às 08h44min

Amigos: amuletos da saúde

ANGELA SENA PRIULI
Para iniciar o ano de bem comigo mesmo, dei uma flertada com o que passou nos últimos 300 e poucos dias e me pareceu ser o primeiro passo. E dentre tudo do que é vital para minha saúde, confirmo o que tenho lido: que amizades representam um verdadeiro elixir da vida longa, da paz interior, do bem-estar! Você também se sentiu sozinho em 2018 e, de repente, uma luz deliciosa acalmou seu coração (literalmente em batidas mais calmas e compassadas) quando você encontrou aquele amigo ou amiga especial no café de logo ali?

Será que a ciência já identificou esse fenômeno? Sim, amigo, amiga! Confira!

Amigos de infância diminuem riscos cardiovasculares (1)
O tempo gasto com amigos na infância está associado à saúde física na vida adulta, de acordo com dados de um estudo americano longitudinal (realizado em um período de 16 anos) realizado com 276 meninos negros e brancos. Os resultados mostram que os meninos que passaram mais tempo com os amigos quando crianças tiveram tendência a ter pressão arterial mais baixa e menor IMC quando atingiram idade adulta, chegando aos 30 anos.

Brothers com cabeças melhores (2)
Em estudos envolvendo cerca de 280.000 pessoas, William Chopik revelou que as amizades se tornam cada vez mais importantes para a felicidade e a saúde ao longo da vida. Não só isso, mas em adultos mais velhos, as amizades são, na verdade, um preditor mais forte de saúde e felicidade do que as relações com os membros da própria família.

Com amigos, vamos longe (3)
O Estudo do Desenvolvimento de Adultos, realizado pela Universidade de Harvard, vem acompanhando dois grupos de homens com mais de 75 anos, a fim de identificar os preditores psicossociais do envelhecimento saudável. Através deste estudo, pesquisadores de várias gerações analisaram amostras de sangue, realizaram varreduras cerebrais e tiveram interações reais com os participantes para compilar suas descobertas.

E o que eles descobriram é supersimples: que relacionamentos bons e sólidos construídos sobre o amor são o maior preditor da saúde e da felicidade de uma pessoa na vida. O que todos nós precisamos é de um grupo - o tamanho não importa - mas um grupo de amigos que se torna a nossa aldeia. São pessoas nas quais você pode confiar e podem confiar em você. Demonstrou-se que isso tem a função de relaxar o sistema nervoso, fortalecer o cérebro (mantendo-o mais saudável por mais tempo) e reduzir o impacto tanto da dor emocional, quanto da física, impactando na longevidade.

Está claro que ter amigos tem efeitos dramáticos em nossa saúde física, nossa felicidade, bem-estar mental e longevidade. Mas, há um limite para o número teórico de amigos, conhecido como "número de Dunbar" (assunto interessante para outro domingo). Então, foco em quem te faz bem! Desejo que em 2019 você tenha um ano cheio de risadas e carinho dos amigos e amigas!

Fontes:
Jenny M. Cundiff, Karen A. Matthews. Friends With Health Benefits: The Long-Term Benefits of Early Peer Social Integration for Blood Pressure and Obesity in Midlife. Psychological Science, 2018
WILLIAM J. CHOPIK. Associations among relational values, support, health, and well-being across the adult lifespan. Personal Relationships, 2017; 24 (2): 408
https://www.adultdevelopmentstudy.org/grantandglueckstudy
Relacionadas »
Comentários »