14/12/2018 às 09h35min - Atualizada em 14/12/2018 às 09h35min

Os gênios de plantão

CELSO MACHADO
Ideias são sempre valiosas, porque constituem fontes capazes de alimentar realizações e feitos. Tanto como as críticas, pois elas é que aprimoram nosso trabalho e comportamento.

Mas sou obrigado a confessar que nem sempre tenho paciência com quem vive apresentando ideias para que os outros as realizem. Ou que sistematicamente, toda vez que nos abordam, é para recriminar, reclamar ou apontar discordâncias.  Os gênios de plantão que tudo sabem, tudo conhecem, mas nada fazem. Estão sempre na retaguarda, quase nunca na batalha do fazer acontecer. São como aqueles que querem emagrecer, mas pedem para os outros fazerem regime.

Dizem que sou paciencioso. Avalio diferente. Não gosto de discutir por discutir. Contrapor ideias com quem pouco é capaz de oferecer para acrescentar. Esse tipo tão comum de pessoas que apontam erros, mas nunca propõem soluções viáveis.

São os incomodados, que para mim são igualmente acomodados. Tem a língua afiada, mas a iniciativa travada. A observação sucedida de atitude corretiva é a que desperta meu total respeito e admiração.

Tiro o chapéu quando vejo alguém com bom domínio sobre determinada função ou técnica que, observando nosso equívoco, nos ensina o modo correto de fazer.
Quer ver? Para quem, como eu, gosta de pescar, é bacana receber de um pescador mais experiente as dicas para colocar um anzol numa linha. O melhor modo de por a isca.

Imagino que para quem gosta de cozinhar, o ponto certo do tempero, a altura da chama, o tempo de cozimento, o modo do preparo dados por alguém que sabe muito do assunto são sempre bem-vindos. E por aí afora.

Nesses, vejo autoridade para opinar, criticar e nos corrigir. Um puxão de orelha dado no momento certo pode até doer, mas nos ajuda demais para agirmos com mais cautela e atenção. A crítica é que nos aponta as consequências dos nossos gestos. Muito bom que as tenhamos, até porque a pior das críticas é a do desprezo.

Agora aqui muito entre nós, tem uma diferença danada entre ser observado, até mesmo criticado, por quem tem autoridade/conhecimento, do que aguentar a ladainha de quem só sabe bater. Mais nada.

Pode ser chato escutar uma crítica, mas se ela acrescenta e é sempre valiosa. Agora, crítica de chato que é apenas chato e nada mais não é fácil aguentar...
 
 
Relacionadas »
Comentários »