20/08/2018 às 09h17min - Atualizada em 20/08/2018 às 09h17min

Acidentes geniais!

ANGELA SENA PRIULI | COLUNISTA
Você sabia que algumas descobertas que mudaram completamente nosso padrão de saúde foram feitas "sem querer". Sabe quando você está procurando uma coisa e acha outra que nem esperava? Foi assim, por um acidente, que o Raio-x, a insulina e a penicilina foram desenvolvidos.

Nenhum desses "acidentes" teriam ocorrido sem a pessoa certa para reconhecer seu valor, mas eles mostram que as melhores inovações podem vir do inesperado.
Raio-X

Em 1895, um cientista alemão chamado Wilhelm Roentgen estava trabalhando com um tubo de raios catódicos num experimento de física que emite luz em determinada condição. Apesar do fato de que o tubo estava coberto, ele viu que uma tela fluorescente próxima brilhava quando o tubo estava ligado e a sala estava escura. Ou seja, os raios estavam de alguma forma atravessando e iluminando a tela. Roentgen tentou bloquear os raios, mas a maioria das coisas que ele colocou na frente deles não pareceu fazer diferença, mas quando ele colocou a mão na frente do tubo, ele notou que podia ver seus ossos na imagem que estava projetada na tela. Então, ele substituiu o tubo por uma placa fotográfica para capturar as imagens, criando os primeiros raios-X.

A tecnologia foi logo adotada por instituições médicas e departamentos de pesquisa - embora, infelizmente, tenha levado algum tempo até que os riscos da radiação de raios X fossem compreendidos. Mas por muito tempo e ainda hoje, usado da forma correta, auxilia nos diagnósticos por imagem e salvam vidas!

Insulina
Em 1889, dois médicos da Universidade de Estrasburgo, Oscar Minkowski e Josef von Mering, estavam tentando entender como o pâncreas afetava a digestão, removendo o órgão de um cão saudável. Alguns dias depois, eles notaram que as moscas estavam voando em volta da urina do cachorro - algo anormal e inesperado. Ao testar a urina, eles encontraram açúcar e então eles perceberam que ao remover o pâncreas eles haviam induzido diabetes no animal.

Os dois cientistas médicos nunca descobriram o que exatamente o pâncreas produzia para regular a quantidade de açúcar no sangue e, consequentemente, na urina. Mas durante uma série de experimentos que ocorreram entre 1920 e 1922, Frederick Banting e Charles Best da Universidade de Toronto foram capazes de isolar uma secreção pancreática que eles chamaram de insulina. Sua equipe recebeu o prêmio Nobel e, pouco tempo depois, uma indústria farmacêutica já produzia e vendia insulina. Ao longo dos anos, a insulina já foi modificada muitas vezes para causar menos efeitos colaterais e continuar salvar pessoas com diabetes!

Penicilina
Em 1928, Sir Alexander Fleming, professor inglês de bacteriologia, notou que começou a crescer tipo de um "mofo" nas placas de Petri em que ele cultivava colônias de bactérias Staphylococcus. Ah, sim! é importante cultivar bactérias em laboratório para entendê-las e também para ensinar como é sua carinha ao microscópio para os alunos.

Bem, enquanto procurava as colônias que não haviam sido infectadas com o mofo, notou algo intrigante: as bactérias não estavam crescendo em torno do mofo. Na verdade, Fleming descobriu que o tal "mofo" era uma linhagem rara de um fungo chamado Penicillium notatum que secretava uma substância capaz de inibir o crescimento bacteriano e ele também ganhou o Nobel por tal descoberta. A penicilina foi introduzida no mercado na década de 1940, ajudando a abrir a era dos antibióticos e salvando muita gente de infecções!

Se sabendo o que quer encontrar já é difícil, imagine descobrir por acidente?

Abençoados sejam os cientistas e suas mentes geniais!

Para que a vida humana (lembrando que isso inclui nós, brasileiros) seja cada mais impactadas pela ciência é preciso que todos estejamos alertas sobre como nossos cientistas e seus projetos estão sendo apoiados! #simaciencianobrasil

Aproveito a moda e te pergunto: Que SAÚDE você quer para você?
Relacionadas »
Comentários »