18/12/2017 às 13h21min - Atualizada em 18/12/2017 às 13h21min

Uma dica de viagem

ALEXANDRE HENRY ALVES* | COLUNISTA

Eu sempre digo que a expectativa é a principal semente da frustração: quanto mais você espera de alguém ou alguma coisa, maior é a chance de você se frustrar. Por isso, depois de tanto ouvir falar bem de Foz do Iguaçu, a visita que iria fazer na semana passada à famosa cidade paranaense tinha tudo para se tornar uma imensa frustração.

Não foi. Gosto muito de viajar e já fui para muitos lugares. Após pouco mais de 48 horas em Foz do Iguaçu, decidi que lá é um local ao qual eu quero voltar, com toda certeza, e muito breve. Isso é raro comigo, pois eu sempre priorizo novos lugares para visitar, certo de que a vida é muito curta para a gente ficar repetindo roteiros. Mas, Foz tem tanta coisa legal para fazer, tantas atrações na própria cidade e ao seu redor, que o pouco tempo que fiquei lá não foi suficiente nem para ver as principais atrações.

Para começo de conversa, há as Cataratas do Iguaçu. Em 2008, eu fiz uma viagem de carro desde Nova York até o Canadá, passando pelas famosas Cataratas do Niágara. A visita àquela maravilha da natureza, antes mesmo de conhecer as quedas brasileiras, não foi desprezo pela riqueza nacional, mas só questão de oportunidade mesmo. Dito isso, eu tenho que confessar que achei a visita às Cataratas do Niágara muito bacana, com tudo muito organizado e uma vista linda daquelas quedas d’água. Só que todo mundo me dizia que aquilo não era nada comparado ao que eu veria no rio Iguaçu. Agora, posso dizer que, realmente, a similar americana fica muito longe da brasileira. Não que não valha a pena visitar Niágara, mas é que, em termos de beleza natural, as Cataratas do Iguaçu são inigualáveis. Mais de 200 quedas d’água provocam um deslumbramento sem precedentes. Os olhos simplesmente ficam encantados! Não bastasse isso, achei a organização do parque no lado brasileiro excepcional e o ingresso (menos de 40 reais para adultos) bem justo. Tudo é muito arrumado e a visita não se resume a chegar lá, olhar as quedas e ir embora. Há muita natureza envolvida, trilhas, matas, enfim, dá para passar um tempão por lá, especialmente para quem gosta de caminhar. E, além disso, ainda há o parque no lado argentino, que não recebeu a minha visita e é um dos motivos pelos quais eu quero voltar.

Falando em Argentina, já pensou em visitar três países de uma vez? Pois Foz do Iguaçu permite isso. Fomos jantar na cidade de Puerto Iguaçu, no lado dos “hermanos”. Nada muito especial, mas quem gosta das carnes argentinas e de um cassino vai encontrar ali um verdadeiro paraíso. Outra viagem “internacional”, se é que se pode dizer isso, é a paraguaia Ciudad del Este. Separada de Foz apenas por um rio, basta atravessar a ponte e você chega ao maior camelódromo do mundo, sem qualquer carga de preconceito. Aliás, para quem quer evitar a bagunça do comércio das ruas, já há um bom shopping na cidade (Shopping Paris) que permite fazer compras com tranquilidade, segurança, confiabilidade e conforto. Nem tudo compensa, já vou logo adiantando. Achei, por exemplo, que tênis está mais caro por lá do que no Brasil. Mas, eletrônicos, bebidas e muitos produtos são realmente mais baratos. É possível, por exemplo, comprar um notebook da Apple em uma loja autorizada, declarar na alfândega o produto, pagar o imposto e, ainda assim, economizar uma fortuna quando comparado ao Brasil.

Falando em Brasil, voltemos às atrações de Foz do Iguaçu. A sensação que tive é que a cidade é perfeita não só para adultos que querem atravessar fronteiras em busca de jogos, jantares e compras. Crianças têm um mundo de diversão pela frente, a começar pelo Parque das Aves, outro motivo de eu querer voltar lá. As Cataratas, por si só, já atrairiam os pequenos. Mas, esse santuário de pássaros é um toque a mais para encantar as crianças. Além disso, Foz do Iguaçu tem muitos hotéis com bons equipamentos de lazer, o que, juntando com o calor que faz lá durante o verão, permite curtir as férias com muito sol e piscina. Para os adultos, fora o que eu falei, tem outro motivo de eu querer voltar: a visita à Usina de Itaipu, que pode ser feita de várias formas, inclusive em um passeio mais técnico, conhecendo-se o funcionamento da usina.

Dá para perceber que eu fiquei encantado, não é mesmo? Pois então, Foz do Iguaçu bateu o recorde de visitas este ano e, na minha opinião, tem que continuar batendo mesmo. A cidade é, de acordo com o que li, o segundo destino mais procurado pelos estrangeiros que visitam o Brasil. Nós também estamos começando a descobrir Foz, e não apenas pelas compras no Paraguai, mas pela rica estrutura turística que o local oferece. Pretendo voltar em breve e aconselho você, caso ainda não conheça, a também programar uma visita.

(*) Juiz Federal e Escritor - www.dedodeprosa.com

Relacionadas »
Comentários »