26/08/2020 às 14h56min - Atualizada em 26/08/2020 às 14h56min

Uberlândia apresenta aceleração de preços em julho, aponta Cepes

Centro de Pesquisas afirmou que comparado aos índices nacionais de inflação, cidade apresentou maior taxa pelo terceiro mês consecutivo

DA REDAÇÃO

O Centro de Pesquisas Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU), vinculado ao Instituto de Economia e Relações Internacionais (Ieri), divulgou os dados de julho deste ano relacionados ao boletim do Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia (IPC) e do boletim da Cesta Básica de Alimentos de Uberlândia.

O IPC apresentou, no último mês, variação de 0,63%, ficando 0,16 ponto percentual acima da taxa de 0,47% registrada em junho. Três dos nove grupos analisados pelo Cepes apresentaram aumento no preço, sendo eles “alimentos e bebidas”, “transportes” e “habitação”. Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os valores coletados no período de 1º a 31 de julho em relação aos obtidos entre 1º e 30 de junho.

Devido à pandemia da Covid-19, a coleta presencial de preços nos locais de compra foi suspensa e tem sido realizada por telefone e sites, entre outros meios. O economista responsável pela divulgação dos boletins, Pedro Henrique Martins Prado, explica que a partir dos dados coletados os pesquisadores trabalham com diferentes indicadores para gerar um acompanhamento melhor dos dados de Uberlândia e poder traçar um bom panorama da economia da cidade.

Em julho, apesar da aceleração de preço do grupo de alimentação e bebidas, foi possível observar uma deflação significativa, ou seja, uma redução de preço em itens como “tubérculos, raízes e legumes”, com 10,91% de queda, e “frutas”, com 6,98%. Prado destacou que a diminuição nos preços se deve mais à dinâmica de produção, relacionada ao clima, plantio e colheita, do que a demanda local, sendo um comportamento sazonal dos itens.

Quando comparado com os índices nacionais de inflação, Uberlândia apresenta maior taxa pelo terceiro mês consecutivo. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação do custo das famílias com renda mensal de um a cinco salários mínimos, foi de 0,44% em julho.

Já na comparação com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que avalia os gastos das famílias com renda mensal de um a 40 salários mínimos, a taxa também é mais alta. No mesmo período mensal, o índice atingiu 0,36%.

De acordo com Prado, ao analisar esses dados, nota-se que Uberlândia apresenta uma variação de preços mais rápida do que o restante do país e isso pode estar relacionado à velocidade que medidas de isolamento social são tomadas em diferentes municípios brasileiros.

CESTA BÁSICA DE ALIMENTOS
O gasto mensal da cesta básica de alimentos de Uberlândia em julho foi de R$ 432,46, com queda de R$ 14,10 em relação ao mês anterior. O boletim calculou também que o tempo médio de trabalho necessário para adquirir os produtos da cesta básica na cidade em julho, recebendo o salário mínimo, foi de 91 horas e 3 minutos.
 
A estimativa de salário mínimo necessário para uma família de dois adultos e duas crianças ou três adultos, na cidade de Uberlândia, ficou em R$ 3.633,09. O salário mínimo oficial (R$ 1.045,00) equivale a 28,76% do necessário, segundo a pesquisa, que avaliou o poder de compra no maior município do Triângulo Mineiro, durante o mês passado.


VEJA TAMBÉM:

47% dos eleitores votariam em Odelmo Leão, aponta Ibope


Agências de viagens retomam atividades com promoções para estimular vendas em Uberlândia

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »