17/08/2020 às 16h08min - Atualizada em 17/08/2020 às 16h08min

Candidatos à reitoria da UFU falam sobre propostas e soluções para cortes orçamentários

Consulta Eleitoral está marcada para acontecer em setembro; três chapas já iniciaram as campanhas para comandar a gestão entre 2020 e 2024

BRUNA MERLIN

Faltando menos de um mês para a Consulta Eleitoral da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), candidatos a reitor e vice-reitor já iniciaram as campanhas visando comandar a gestão entre os anos de 2020 e 2024. O Diário de Uberlândia conversou com os representantes das chapas cadastradas que pontuaram as expectativas e projetos que querem alcançar, caso ganhem as eleições.
 
Neste ano, três chapas estão concorrendo aos cargos. São elas: uFUTURO, compostas pelos candidatos Dennys Garcia Xavier e Efigenia Aparecida Maciel de Freitas, ComUnidade UFU, que traz os candidatos Helvécio Damis de Oliveira Cunha e Marineia Crosara de Resende e UFU para TODOS e TODAS que é representada pelo atual reitor Valder Steffen Júnior e Carlos Henrique Martins da Silva.
 
Entre as propostas de melhorias divulgadas pelas chapas estão a manutenção e ampliação do financiamento público dentro da universidade, maior comunicação com a sociedade, captação de recursos próprios e outras. Além disso, os candidatos esperam buscar soluções para enfrentar o déficit de recursos em razão da pretensão de corte orçamentário de R$ 21 milhões que está sendo sugerida pelo Ministério da Educação (MEC) para o próximo ano.
 
Pela primeira vez, a consulta eleitoral será realizada de forma eletrônica e remotamente no dia 17 de setembro, entre 10h e 23h59. Caso seja necessário, uma nova votação ocorrerá no dia 24 de setembro. A expectativa é de que os candidatos vencedores assumam o cargo no mês de dezembro deste ano.
 
uFUTURO


Dennys Garcia Xavier e Efigenia Aparecida Maciel de Freitas concorrem aos cargos pela chapa uFUTURO | Foto: Divulgação

A chapa uFUTURO é representada pelo candidato a reitor Dennys Garcia Xavier e pela candidata a vice-reitora Efigenia Aparecida Maciel de Freitas. Eles atuam como docentes do Instituto de Filosofia e Faculdade Medicina, respectivamente.
 
Em conversa com o Diário, Dennys Garcia Xavier contou que a UFU está trilhando um profundo descompasso em relação a tudo aquilo que funciona nos termos das universidades de todo o mundo. Para ele, a instituição está perdendo a relevância dentro da própria comunidade interna, situação que o candidato pretende mudar.
 
“Pretendemos mudar uma certa cultura que foi implantada na universidade. Hoje, não existe comunicação entre a comunidade e sociedade. Temos TV e diretoria de comunicação, mas que não tem funcionado a favor dos internos e externos”, destacou.
 
Xavier também falou sobre a pretensão de implantar cada vez mais tecnologias e apostar fortemente em trabalho remoto com o objetivo de acelerar processos e promover uma interação maior de toda a comunidade. Além disso, o candidato afirmou uma necessidade da readaptação de ambiência que cerca os servidores e alunos.
 
“Através de pesquisas, nós comprovamos que não existe mais aquele ânimo dos servidores em atuar na universidade. Todos foram deixados de lado e não são ouvidos e abraçados pelo lugar. Queremos apostar no básico e investir em estrutura de acolhimento que faz falta há muito tempo como banheiros adequados, estacionamento exclusivo e outras questões que fazem a diferença para uma melhor qualidade de trabalho”, complementou.
 
Em relação à possibilidade do grande corte orçamentário que afeta diretamente a realização de atividades pedagógicas e sobrevivência da instituição, o candidato a reitor acredita que é necessário achar soluções para a captação de recursos próprios através de parcerias públicas, privadas ou venda de royalties.
 
“A UFU é uma das últimas instituições do mundo que capta recursos próprios e isso precisa ser mudado porque essa solução é de extrema importância. Nossa intenção não é privatizar a universidade e nem deixar de pressionar a política para a realização dos repasses públicos, mas é questão de sobrevivência e precisamos acrescentar nossos recursos com alternativas”, concluiu.
 
ComUnidade UFU

Chapa ComUnidade UFU é composta pelos candidatos Helvécio Damis de Oliveira Cunha e Marineia Crosara de Resende | Foto: Divulgação


O candidato a reitor Helvecio Damis de Oliveira Cunha, da chapa ComUnidade UFU que também conta com a candidata a vice-reitora Marineia Crosara de Resende, acredita que esforços terão que ser feitos para tentar driblar as consequências que o corte orçamentário pode trazer. O docente da Faculdade de Direito diz que, além de unir forças para reverter a situação que pode ser imposta, é necessário readaptar e gerar novos mecanismos para aproveitar os recursos disponíveis.
 
“Caso esse déficit no repasse aconteça, pretendemos reestruturar as atividades e planejar novos processos para a realização delas. Unir toda a comunidade para discutir a melhor saída e sempre buscar pela reversão dessa proposta porque a educação não pode ser afetada dessa maneira”, frisou.
 
O objetivo de Helvecio é também resgatar alguns valores que, segundo ele, estão sendo perdidos dentro da universidade. Um exemplo é a luta pela manutenção e ampliação do financiamento público.
 
“Esse recurso é importantíssimo. A principal fonte das maiores universidades públicas da Europa e Estados Unidos são os recursos públicos. O financiamento privado é importante, mas é somente um complemento”, continuou.
 
Por fim, o candidato defende que a UFU deve estar cada vez mais próxima da sociedade, oferecendo auxílio e apoio. Para ele, a instituição foi isolada nos últimos anos e a participação dela na vida da sociedade é fundamental.
 
“A universidade tem que ser pública e laica. É fundamental a participação da sociedade nos processos. É necessário dialogar e trazer a participação dela para as decisões”, finalizou.
 
UFU para TODOS e TODAS


A chapa UFU para TODOS e TODAS é composta por Valder Steffen Júnior e Carlos Henrique Martins da Silva | Foto: Divulgação



O atual reitor da UFU e candidato para continuar no cargo, Valder Steffen Júnior, pretende introduzir na prática aquilo que a chapa UFU para TODOS e TODAS diz. O docente da Faculdade de Engenharia Mecânica planeja continuar administrando a universidade a serviço da sociedade de Uberlândia junto ao candidato a vice-reitor Carlos Henrique Martins da Silva.
 
Uma das propostas indicadas por Valder é avançar as atividades da instituição em todas as áreas. “Queremos ofertar um ensino de qualidade que seja capaz de responder às necessidade do país. Nosso objetivo é oferecer oportunidades amplas de carreira desde a pré-escola até o doutorado”, disse.
 
Valder Steffen também defende a necessidade do avanço na ciência e investimentos nas pesquisas realizadas pelos alunos e docentes da instituição. O candidato ressalta ainda a importância de se continuar avançando com os programas de extensão que são destinados aos cidadãos da cidade.
 
“Estamos vendo o quão a ciência é importante durante esse período de pandemia. Queremos continuar apostando nela e mostrar a sua competência e compromisso com o país. Além disso, é necessário seguir com os projetos que alcançam muitas famílias do município e que sejamos capazes de oferecer auxílio cultural e assistência social”, complementou.
 
Para contornar a situação dos cortes orçamentários, Valder Steffen espera que a comunidade educacional, sociedade, sindicatos e associações se unam para demonstrar a indignação em relação à proposta do MEC e que o Congresso Nacional volte atrás e apoie a educação. O candidato fala também sobre a necessidade da busca por outras fontes de financiamento como emendas parlamentares, caso haja a interrupção de repasses.
 
“Quando há uma crise, a primeira coisa que eles querem cortar é a educação e isso é inaceitável. Iremos lutar e buscar brechas para que isso não aconteça”, apontou.



VEJA TAMBÉM:

Proposta regulamenta trabalho de vendedores ambulantes em Uberlândia


Agências da Caixa passam a funcionar com novo horário em Uberlândia


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »