11/08/2020 às 13h08min - Atualizada em 11/08/2020 às 13h08min

Donos de pet shops avaliam projeto de câmeras nos estabelecimentos de Uberlândia

Caso lei seja sancionada, setor terá um ano para se adequar às novas normas aprovadas pelo Legislativo

SÍLVIO AZEVEDO
AuQMia defende o projeto pela importância que traz para os tutores | Foto: AuQMia/Divulgação

Um projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal de Uberlândia, na sessão da última quinta-feira (7), torna obrigatória a instalação de sistemas de gravação vídeo em estabelecimentos comerciais destinados à exibição, tratamento, higiene e estética de animais domésticos, como pet shops e clínicas veterinárias. O material registrado deverá ficar guardado por pelo menos seis meses.

O Diário de Uberlândia conversou com alguns proprietários de pet shops e clínicas de Uberlândia e todos concordaram que a iniciativa é boa para dar mais segurança aos animais. “Como dona de pet e como mãe de pet vejo sim a lei com bons olhos. Não é uma segurança apenas para os pets e seus tutores, como é uma segurança pra nós também do setor pet de ter como provar para os tutores que o cão não foi agredido ou não caiu da mesa quando houver uma suspeita”, disse a veterinária Victoria Robilotti, proprietária do EcoPet Karaíba.

O estabelecimento de Victoria já possui um sistema, porém não é de acompanhamento remoto e as imagens ficam guardadas por apenas 10 dias. Com isso, investimento deverá ser feito para se adequar. “Além do investimento, provavelmente faremos uma mudança quase que total no sistema que já existe, pois, o mais importante é trazer segurança para nossos clientes. Os investimentos na área de banho e tosa são constantes. Sempre estamos tendo que trocar e dar manutenção nos equipamentos, nos adequando às novidades do setor e fazendo melhorias para trazer mais conforto para os cães e gatos que atendemos, e para nossos funcionários também trabalharem com mais conforto e segurança”.

Dona do pet shop AuQMia, no bairro Granja Marileusa, Suelen Batista Marchi Cardoso também defende o projeto pela importância que traz para os tutores e seus animais. “Tudo que vem pra trazer mais transparência, mais qualidade para o serviço que prestamos sempre buscando a máxima satisfação ao cliente é muito bom, então é uma coisa que irá agregar a esse atendimento que tentamos buscar ao máximo com excelência”.

Para se adequar aos temos da lei, se for promulgada, Suelen acredita que o prazo para começar a valer as novas regras será importante para os donos de petshops. “O investimento não será algo barato. Como tudo já está com uma margem estreita e estamos passando por um momento delicado em relação à pandemia, que diminui muito o número de cliente no interior da loja”.

O veterinário Júlio Cezar Basso Machado possui uma clínica no bairro Granada e soube do projeto através da reportagem do Diário de Uberlândia. Segundo ele, a proposta será boa para trazer mais segurança aos tutores de animais, porém o investimento deverá ser repassado nos preços dos serviços oferecidos.

“Eu vejo a lei com bons olhos. Alguns pet shops e o meu, que será aberto em 60 dias, têm uma televisão na recepção para que o tutor acompanhe o banho. O problema dessa lei é que eles exigem que fique gravado em nuvem por um determinado período, e isso gera custo de armazenamento. E o tutor vai ter que arcar com as despesas porque teremos que repassar esse valor para eles”.

Projeto aguarda sanção
Entre as razões apresentadas pelo vereador Paulo César (PC) (SD), um dos autores da proposta, está a grande quantidade de relatos de maus-tratos causados por funcionários de pet shops que recebeu. “Foram os constantes relatos de abusos e maus-tratos em alguns pet shops da cidade. Ultimamente esse fato se tornou mais público através de um estabelecimento localizado lá no bairro Laranjeiras”.

O projeto, que ainda depende de sanção do Executivo para vigorar, prevê que além de o estabelecimento ter uma televisão passando em tempo real todo o processo de estética e higienização, os proprietários terão o direito de acompanhar de forma remota como os pets estão sendo tratados.

“É importante pois promove uma maior segurança aos tutores de animais de forma que ele levará aos pet shops e que o animal está sendo bem cuidado. De certa forma, os proprietários de pet shops e clínicas veterinárias que atuam na área de higiene e estética terão um cuidado maior na hora de contratar profissionais, que gostam de animais”, disse PC.

Caso a legislação seja promulgada, os proprietários terão um ano para se adequar. Entre as penalidades para quem descumprir a lei estão multas e suspensão do alvará de funcionamento.


VEJA TAMBÉM:

Arquivado projeto que investigaria suposta quebra de decoro parlamentar de Wilson Pinheiro

Mulher esfaqueia marido após discussão e é presa em Uberlândia





















 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »