03/07/2019 às 13h11min - Atualizada em 03/07/2019 às 13h11min

Samu completa um ano no Triângulo Norte com mais 120 mil ligações atendidas

Serviço começou a operar na região, sem Uberlândia, no dia 3 de julho de 2018

MARIELY DALMÔNICA
Cerca de 10% das ligações feitas ao 192 resultaram em orientações médicas | Foto: Mariely Dalmônica
Após um ano da implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na macrorregião norte do Triângulo Mineiro, quase 120 mil ligações foram atendidas. Cerca de 10% dos telefonemas feitos ao 192 resultaram em orientações médicas, 27% tiveram saídas de Unidades de Suporte Básico (USBs) e Unidades de Suporte Avançado (USAs) e menos de 4% das ligações eram trotes, número que tem caído desde o início das operações.

O Samu do Triângulo Norte atua em 26 municípios, 16 deles com bases descentralizadas. Existem 31 ambulâncias destinadas para a região, 21 estão em operação e o restante permanece na reserva. Os carros são divididos em 26 Unidades de Suporte Básico (USBs) e 5 Unidades de Suporte Avançado (USAs). 

A USB é utilizada em casos de urgência, quando é preciso o pronto atendimento mas não há risco de morte iminente, e o resgate é feito por um condutor socorrista e dois técnicos de enfermagem. Já a USA é acionada em casos de emergência, quando há necessidade de intervenção médica imediata, e conta com um condutor socorrista, um médico e um enfermeiro. 

“Antes da chegada do Samu existia uma rede de urgência e emergência na região, o Samu é um elo dessa rede, é um componente de atendimento pré-hospitalar. O que ganhamos com isso é tempo, redução de sequelas e maior sobrevida”, afirmou Rodrigo Alvim, secretário executivo do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência da Macrorregião do Triângulo Norte (Cistri), responsável pelo serviço.

Ainda segundo o secretário executivo, além de contribuir para a organização da rede de saúde, o Samu tem sido um apoio no fluxo de pacientes. “São quatro hospitais das cidades polos - Ituiutaba, Araguari, Patrocínio e Monte Carmelo. Além das ambulâncias, agora também temos uma unidade de suporte avançado aérea, que está funcionando há 60 dias”, disse Alvim. A unidade aérea fica locada em Uberaba e já foi acionada em 10 ocorrências.

Em dezembro do ano passado, quando o serviço estava funcionando há cinco meses, o Diário de Uberlândia publicou uma reportagem na qual especialistas descartaram a possibilidade de que o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) fosse sobrecarregado com a implantação do Samu, como temia algumas autoridades locais. Na época, o consultor técnico do serviço, Alexandre Padilha, disse que menos de 5% dos atendimentos regionais foram para o hospital nos primeiros meses - a maioria dos chamados foi atendida dentro dos próprios municípios de origem. Situação que persiste após um ano de funcionamento do Samu.
 
ATENDIMENTOS
O Samu Triângulo Norte, que funciona 24 horas por dia e todos os dias da semana, conta com equipes de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores socorristas. A equipe da Central de Regulação das Urgências, que funciona na sede da 9ª Região Integrada de Segurança Pública, em Uberlândia, é que define sobre o deslocamento de uma ambulância ou uma unidade de resgate – ou ambos ao mesmo tempo – quando houver uma solicitação de atendimento pré-hospitalar móvel.

Em março deste ano, a secretária escolar Ariadne Jaqueline de Menezes, de Ituiutaba, utilizou o serviço pela primeira vez e recebeu instruções de um médico da central para ajudar a irmã, que estava com hemorragia estomacal. “Minha irmã nunca teve nada parecido. Era de madrugada quando ela começou a passar mal, meu cunhado me pediu ajuda e eu liguei para o Samu”, disse. 

Segundo a secretária, a unidade de suporte chegou na casa de sua irmã em sete minutos, e imediatamente ela foi levada ao hospital. “Enquanto eles estavam vindo, me mantiveram na linha. Sem dúvida nenhuma, a assistência prestada pelo Samu foi de suma importância”, disse Menezes. 

Tiago Spirandeli é um dos médicos reguladores do Samu e atende diariamente a população da região que liga para o 192. “Nós damos as orientações do atendimento inicial por telefone, auxiliando a vítima, e depois decidimos para onde ela vai”, afirmou o médico. Segundo ele, muitas orientações feitas pelo telefone, principalmente aos familiares, ajudam muitas vítimas a sobreviver. “A implantação do Samu foi um avanço muito grande, principalmente para a população das cidades menores, que hoje tem um acesso médico de forma rápida”, disse Spirandeli. 

Confira abaixo o balanço de atendimento do Samu Triângulo Norte:

NÚMEROS
LIGAÇÕES
CONSIDERADAS TROTE                                                              4.531   
QUE RESULTARAM EM ORIENTAÇÕES MÉDICAS                    12.858
QUE RESULTARAM EM ORIENTAÇÕES NÃO MÉDICAS           45.606
QUEDAS DE LIGAÇÕES                                                               24.110
COM SAÍDAS DE UNIDADES                                                       32.491
TOTAL                                                                                           119.596          
 
ATENDIMENTO                  
CAUSAS CLÍNICAS                18.827
CAUSAS PEDIÁTRICAS         961     
CAUSAS TRAUMÁTICAS       7.124  
CAUSAS PSIQUIÁTRICAS     1.043  
CAUSAS OBSTÉTRICAS        1.858  
TOTAL                                      29.813
 
ATENDIMENTOS POR FAIXA ETÁRIA  
IDADE DE 0 A 1 ANO           491     
DADE DE 2 A 9 ANOS         1.028  
IDADE DE 10 A 19 ANOS    2.699  
IDADE DE 20 A 40 ANOS    8.904  
IDADE DE 41 A 60 ANOS    7.689  
IDADE > 60 ANOS                9.002  
TOTAL                                   29.813

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »