20/06/2019 às 14h56min - Atualizada em 20/06/2019 às 14h56min

Mini festival no Vinil tem renda revertida para finalização de CD

Evento marcará cinco anos de quarteto uberlandense

ADREANA OLIVEIRA
A banda Cachalote Fuzz deve lançar o primeiro álbum em agosto, todo produzido em Uberlândia | Foto: Divulgação
O feriado de hoje vai ser de correria para os músicos da banda uberlandense Cachalote Fuzz. Eles preparam para amanhã, no Vinil, um mini festival, ou “Showfunding”, que marcará os 5 anos do quarteto e o lançamento do single “Congelado”, faixa de trabalho do primeiro CD da banda que será lançado até agosto. O nome da noite faz uma referência às campanhas de financiamento coletivo conhecidas como crowdfunding, que têm ajudado muitos artistas a darem sequência a seus trabalhos sem precisar de lei de incentivo ou investimento privado.

“Resolvemos fazer o festival porque fica uma coisa mais orgânica, as pessoas participam mais efetivamente. É como se fosse um show normal nosso mas com um apelo maior para a colaboração com essa reta final da produção desse disco”, disse o baterista da banda e produtor cultural Arthur Rodrigues.

Banda integrante da gravadora Cena Cerrado, a Cachalote Fuzz faz parte desse movimento, que valoriza música autoral produzida em Uberlândia e possibilita ainda intercâmbio com outras bandas que têm feito a diferença em suas cenas. “Surgimos em meio a um cenário tomado por bandas cover. Não que isso tenha acabado, mas percebemos a inserção de bandas que apostam no próprio material em um circuito cada vez maior. Nós acreditamos nisso e é por essas e por outras que o marco dos nossos cinco anos será junto com outras bandas. Sempre uma ajudando a outra”, explicou.

“Congelado” é uma das dez faixas do disco todo produzido em Uberlândia e com uberlandenses envolvidos em todos os processos, até a arte para a capa. A psicodelia, claro, continua marcante nas letras e melodias e o disco trará contribuições de novos e antigos parceiros da Cachalote como Vinícius Coutinho, Pássaro Vivo e a cantora Gaivota Naves (Joe Silhueta e Rios Voadores), entre outros. “Nosso primeiro vocalista, que agora mora no México, Vinícius Coutinho, está no disco também”, disse Arthur.

Para o show de amanhã, um apanhado de tudo que já fizeram até agora e do que está por vir. Em tempo, para quem não conhece, cachalote é um gigantesco animal marinho que pode chegar a 20 metros. Junto com o fuzz é bem condizente com o que a banda apresenta. Às vezes, pela sonoridade, é como se fossem jovens presos em almas velhas. 

“É meio isso mesmo, temos muito da influência de bandas dos anos 60 e 70, como Velvet Underground, Stooges, mas ao mesmo tempo estamos conectados com o presente e gente que vem trabalhando como nós, valorizando as criações como o Boogarins, por exemplo”, disse Arthur, citando a banda goiana que como eles, fazem neopsicodelia.

“Eles estão tocando nos principais festivais mundo afora e com músicas em português, como a gente. Fomos nos moldando até chegar à nossa originalidade. É muito mais prazeroso escrever no nosso idioma e isso tem sido mais reconhecido lá fora. Vejo como se fosse algo como na Tropicália, tem gente conseguindo destaque internacional sem precisar cantar em inglês, por exemplo”, disse Arthur.

Além de Arthur, a Cachalote Fuzz tem Iuri Resende no baixo e vocal, Rafael Vaz e Romero Filho nas guitarras. Recentemente, os dois guitarristas anteriores mudaram para São Paulo, Gabriel Campos e Marcelo Chiovato. Rafael Vaz também é o produtor do disco, que foi produzido mixado e masterizado no Casa Verde Estúdio.

“É sempre bom valorizar o que temos em nossa cidade, a capa, por exemplo, é da Mariana Cecílio Abrahão, uma fotógrafa adepta da fotografia analógica que fez um trampo muito legal”, disse Arhtur, que também tem o apoio do Vinil, grande parceiro, onde eles já devem ter ter feito uns 50 shows.

As outras três bandas da noite que também participarão do mini festival são os uberlandenses do Disordark com músicas de Bowie, The Cure, Radiohead, entre outros. De Ribeirão Preto (SP) vem o duo Justu, que passou a integrar recentemente o Cena Cerrado e os mineiros do Rugá. 

Para Arthur, será um momento para comemorar todo o caminho até agora e principalmente, junto do público, trocar aquela energia que possibilita a arte circular e chegar a cada vez mais pessoas.

SERVIÇO
O QUE: Showfunding Mini Festival
BANDAS: Cachalote Fuzz (Udi), Disordark (Udi), Justu (SP) e Rugá (MG)
DJS: Seca Pacotinho DJs (MG/DF)
QUANDO: amanhã (21) com abertura da casa às 18h e início dos shows às 21h
LOCAL: Vinil Cultura Bar (Av. Segismundo Pereira, 1.121, Santa Mônica)
INGRESSOS: R$ 12
CLASSIFICAÇÃO: 18 anos
INFORMAÇÕES: 3234-6999

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »