09/06/2019 às 08h00min - Atualizada em 09/06/2019 às 08h00min

Dia dos Namorados leva a refletir sobre os relacionamentos atuais

Diário de Uberlândia conversou com especialista sobre relações amorosas e amor-próprio

ADREANA OLIVEIRA
Camilla Couto é idealizadora do Blog das Amarildas (Divulgação)
“Existem provas de amor/ Provas de amor apenas/ Provas de amor/ Não existe o amor” canta o titã Paulo Miklos na música “Provas de Amor”, do álbum “Como estão vocês”, lançado pela banda paulistana em 2003. Com a proximidade do Dia dos Namorados, que no Brasil é uma data bem mais comercial que o 14 de fevereiro, que celebra São Valentin, vale uma pausa para pensar como estão os relacionamentos na atualidade.

Se na letra da música o amor não está no ar, mas as provas que são dadas no dia a dia falam por si, por outro lado o excesso de exposição pode representar o inverso disso. Com o uso cada vez maior de mídias sociais voltadas para a ostentação, nem tudo é o que parece.

Nossa sociedade ainda tem problemas em aceitar aquela “toda forma de amor” considerada justa por outro ícone dos anos 80, Lulu Santos. O preconceito ainda faz, por exemplo, que duas garotas, uma de 29 e outra de 26 anos, ainda mantenham seu relacionamento discreto, longe dos holofotes. “Começamos a namorar após nos conhecermos pelo Facebook mesmo, uma amiga minha foi a cupida, no dia 14 de junho completa dois anos. Nos dias de hoje acreditamos ser mais desafiador manter um relacionamento saudável e feliz, porque muitos esqueceram o verdadeiro romantismo e valor que existe no amor. O romantismo se perdeu um pouco, a partir do momento que as pessoas abriram espaço para relações passageiras e nada sentimentais”, disse P.D. E., que pediu para não revelar a identidade.

“Fazemos muitos planos: de morar juntas, de viajar, de realmente assumir nosso amor que está meio escondido porque sabemos o quão difícil manter uma relação como a nossa numa sociedade tão doentia e preconceituosa. Ela me ensinou muitas coisas e não sinto tanto medo quanto antes. Pois tenho certeza que é dela quem preciso e quero”, explicou.

Para ela, em qualquer relacionamento, é preciso sempre demonstrar o quanto você gosta do outro. E os que estão solteiros alimentam muito mais seus desejos e esquecem de alimentar um real sentimento dentro de si, seja por medo, seja por decepção amorosa ou qualquer outro motivo. “Isso não acontece com a gente, nossas palavras se completam com nossas atitudes, mas vejo muitos casais perdendo o sentido. Num relacionamento todo dia é bom reacender a chama do sentimento, seja por um gesto, seja por um carinho, seja por uma palavra... algo que nunca deixe o sentimento esfriar e o romantismo deixar de existir”, finalizou.

Camilla Couto, concorda com esse panorama. Há três anos dedicando-se exclusivamente à orientação emocional para mulheres, com foco em Relacionamentos, a criadora do Blog das Amarildas (amarildas.com.br) e fundadora do Programa Amarildas de Relacionamento (PAR), percebeu ao longo dos últimos anos que a superficialidade tem tomado conta das pessoas, independentemente do gênero.

“Com aplicativos como o Tinder aumentam os relacionamentos descartáveis. Você sai com alguém e ao primeiro problema pula fora. Pra que consertar algo se você pode partir para um novo? Afinal, o mundo está cheio de gente e você não precisa mostrar sua vulnerabilidade, seus medos. Quando isso acontece porque a pessoa simplesmente não quer um compromisso tudo bem, mas quando acontece pelo medo de se decepcionar ou não dar certo é outra história”, disse Camilla, em entrevista ao Diário de Uberlândia.

Ela costuma aconselhar as pessoas que a procuram, principalmente as mulheres, a não aceitar menos do que merecem, porém, não se pode elevar demais o nível de exigências. “Não existe ninguém perfeito e é preciso haver coerência no discurso. Antes de buscar alguém fiel, trabalhador, honesto, verifique se você tem essas características”, explicou Camilla que é de São Paulo, mas atualmente atende em Florianópolis (SC).

A orientadora emocional afirma que a primeira pista para estar preparado para um relacionamento que tenha futuro é saber o que você quer e não se iludir com as exibições de relacionamentos perfeitos que permeiam a vida editada das pessoas nas redes sociais.

“Não existem relacionamentos perfeitos, mas ninguém vai ficar se vangloriando disso na internet, tem muita fachada. Você não pode se deixar levar pelo que vê, tem que saber filtrar, caso contrário, pode ter a sensação de que todo mundo está feliz e só sua vida está uma droga, e isso não é nada bom”.

Por isso, ela dá uma valiosa dica, seja para casais ou para quem está sozinho. “No Dia dos Namorados celebre o amor, seja por outra pessoa ou por você mesmo e esse amor deve ser celebrado todos os dias. Não se sinta pressionado a ter alguém para ‘desfilar’ com você nesta data, levar para jantar só porque parece que todo mundo tem esse alguém”.

Formada em hotelaria, com vivência em diferentes países, Camilla Couto também trabalhou por muitos anos como tradutora. Criou o Amarildas após um divórcio muito complicado e a princípio começou a escrever porque mesmo fazendo terapia e tendo apoio das amigas se sentiu muito sozinha naquela ocasião. “Com o tempo as pessoas começaram a comentar, a pedir mais conselhos, o que pra mim é muito valioso porque antes eu escrevia para me lembrar daqueles momentos, para me confortar e de repente vi que isso ajudava outras pessoas”.

E para você, esteja sozinho ou acompanhado, um Feliz Dia dos Namorados.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »